s
Portal Café Brasil
Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Palestra Planejamento Antifrágil
Palestra Planejamento Antifrágil
Aproveite o embalo, pois além de ouvir a história, você ...

Ver mais

Café Brasil 788 – Love, Janis
Café Brasil 788 – Love, Janis
Janis Joplin era uma garota incompreendida, saiu da ...

Ver mais

Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
O Café Brasil anterior, o 786 – O Cuzão, rendeu, viu? ...

Ver mais

Café Brasil 786 – O cuzão.
Café Brasil 786 – O cuzão.
Cara, como é complicada a vida de podcaster, bicho! A ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
E a educação brasileira, como é que vai, hein? Mal, não ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Menos Marx, mais Mises
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Menos Marx, mais Mises  “Apesar de ainda ser muito pouco conhecido entre os jovens brasileiros em comparação com Karl Marx, o nome do economista austríaco Ludwig von Mises se tornou um dos ...

Ver mais

Você ‘tem fé’ no Estado democrático de direito?
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Hoje, num grupo de professores, um velho colega me escreveu que “tem fé” no “Estado democrático de direito” e na “separação dos poderes”. Mas com uma ressalva: ...

Ver mais

Percepções diferentes na macro e na microeconomia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções diferentes na macro e na microeconomia “Na economia, esperança e fé coexistem com grande pretensão científica e também um desejo profundo de respeitabilidade.” John Kenneth Galbraith ...

Ver mais

Não pode nem rir
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Todo mundo (ou quase) viu nas redes sociais e nos grupos de whatsapp; vídeo de uma mulher careca de ares muito sérios discorrendo didaticamente sobre a necessidade de mudarmos nossa forma de ...

Ver mais

Cafezinho 422 – A política do ódio
Cafezinho 422 – A política do ódio
Não siga a maioria só porque é maioria. Não siga a moda ...

Ver mais

Cafezinho 421 – A normose
Cafezinho 421 – A normose
É confortante saber que somos normais, não é? Pois é. ...

Ver mais

Cafezinho 420 – A regra dos 30
Cafezinho 420 – A regra dos 30
Pé quente, cabeça fria, numa boa. Mas cuidado porque ...

Ver mais

Cafezinho 419 – Pau que só dá em Chico.
Cafezinho 419 – Pau que só dá em Chico.
Há quem chame isso de dissonância cognitiva, mas não é. ...

Ver mais

Conrado Paulino

Conrado Paulino

Luciano Pires -

alt

Nascido em Buenos Aires, Conrado Paulino mudou-se para Campinas em 1980, fugindo da violenta repressão militar que imperava na Argentina. Mas, independente disso, já era fanático pela mpb.

Na adolescência costumava passar horas ouvindo João Gilberto e Vinícius de Moraes e Toquinho, com fone de ouvido e a luz apagada. Em seu fone também tocava muita música espanhola, principalmente Joan Manuel Serrat, e ainda Frank Zappa, Yes e Beatles, assim como John Coltrane, Oscar Peterson, Dave Brubeck, Modern Jazz Quartet e mais tudo de interessante que caísse em sua mão. Não poderia ter ignorado o moderno tango argentino; costumava ouvir o grupo vocal Buenos Aires 8 e principalmente Astor Piazzola, por quem ainda é fanático.

Aos domingos tinha de encontrar alguma outra coisa para fazer, pois naquele dia a vitrola era de sua mãe que botava para rodar discos de bolero e música erudita. Conrado começou a tocar no violão de seu pai, músico diletante, que foi lhe passando as primeiras dicas e mais tarde lhe arrumou um professor.

Estudou com os concertistas Jorge Molinari e Roberto Lara e também aprendeu muito tirando de ouvido os discos de Baden Powell, sua primeira grande influência. Outra grande ajuda foi o método para violão de Paulinho Nogueira.

Antes de mudar-se para São Paulo, Conrado viveu seis anos em Campinas onde começou sua carreira tocando em restaurantes, casas noturnas e bailes. Tinha de tocar de tudo quase sem ensaio, o que lhe deu, além de traquejo musical, um grande e variado repertório. Tocando em bailes conheceu todo o interior do estado e sul de Minas, geralmente começando as dez e indo até as cinco da manhã.

Então surgiu o convite para dar aulas no Clam, a prestigiosa escola de música do Zimbo Trio. Começou como professor de violão e guitarra e passados de dois anos tornou-se Supervisor de Guitarra e dois anos mais tarde era Supervisor do Depto. de Cordas, responsável pelo planejamento e gerenciamento dos cursos de violão, guitarra e contrabaixo. Conrado Paulino é um dos professores mais respeitados de São Paulo, atualmente leciona na ULM e de suas aulas particulares saíram Chico César, Nuno Mindelis, Fernando Corrêa e Tomati, para citar alguns.

Conrado já acompanhou e acompanha muita gente, principalmente cantoras, entre elas Alaíde Costa, Rosa Passos, Johnny Alf, Alzira Espíndola, Claudete Soares e ainda Cláudio Curi, Roberto Luna, João Suplicy e outros.

Fazendo o que mais gosta, tocar mpb com roupagem jazzística, subiu ao palco com grandes nomes da cena instrumental, entre tantos outros: Zimbo Trio, Heraldo do Monte, Vinícius Dorin, Lito Robledo, Itamar Collaço, Nenê, Hector Costita, Luís Chaves e Paulinho Nogueira.

Atualmente sua atenção está principalmente voltada para seu quarteto que conta com Celso de Almeida na bateria (baterista da Rosa Passos, entre outros artistas), Marinho Andreotti no contrabaixo (toca na Orquestra Jazz Sinfônica, entre outros), e a Débora Picarelli Gurgel no piano e sopros. Do quarteto Conrado comenta: “fazemos releituras de classicos da mpb, tocamos Jobim, Caymmi, Edu Lobo, Ivan Lins, Carlos Lyra -entre outros- e também composições minhas, que são bem “brazucas”, samba, choro ou valsa, tudo com linguagem jazzística, no sentido da abertura para a improvisação e da “roupagem” harmônica, muito sofisticada, por sinal.”

http://va.mu/XWQC – Conrado Paulino no Clube de Jazz

http://www.conradopaulino.com.br/

http://www.myspace.com/conradopaulino

[youtube]ukZYabvKpl4[/youtube]
[youtube]ee8triCb6_A[/youtube]
[youtube]c5507Mg7jkA[/youtube]
[youtube]-2WrmV2_spE[/youube]
[youtube]gMI_ZhFmacs[/youtube]