s
Portal Café Brasil
Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

Café Brasil – A chamada
Café Brasil – A chamada
Meu conteúdo vale muito desde que seja de graça.

Ver mais

Café Brasil 745 – Superhomem
Café Brasil 745 – Superhomem
O programa de hoje passa por igualdade de gêneros. E ...

Ver mais

Café Brasil 744 – Sinalização de virtude
Café Brasil 744 – Sinalização de virtude
Você já ouviu alguns ditados como “faça o que digo, não ...

Ver mais

Café Brasil 743 – A inveja
Café Brasil 743 – A inveja
Olha, tá pesado, viu? A cizânia plantada na sociedade ...

Ver mais

LíderCast 210 – Sarah Rosa
LíderCast 210 – Sarah Rosa
“Atriz pornô e acompanhante” como ela mesma se define. ...

Ver mais

LíderCast 209 – Gabriel Lima
LíderCast 209 – Gabriel Lima
CEO da Enext e uma das mais jovens referências nos ...

Ver mais

LíderCast 208 – Alon Lavi
LíderCast 208 – Alon Lavi
Bacharel em Engenharia Biotecnológica na Universidade ...

Ver mais

LíderCast 207 – Danilo Balu
LíderCast 207 – Danilo Balu
escritor, formado em educação física, corredor, que ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Vacinas para quem precisa
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não, o assunto não é a vacina contra a Covid-19. Por dois motivos: Primeiro, tem gente demais dando opinião sobre isso, e a maioria totalmente leiga no assunto. A coisa virou briga política, e ...

Ver mais

A montanha-russa peruana
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A montanha-russa peruana Peru em flashes  “Desde a década de 1970, a democracia na América Latina cresceu num clima internacional favorável, mas suas vantagens são prejudicadas pela fraqueza de ...

Ver mais

A nova esquerda e a ideologia ultraliberal
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Amigos, a nossa alienação nunca está onde nós acreditamos que ela esteja: a nossa alienação está justamente onde temos certeza de que enxergamos a realidade.   Digo isso porque percebo, em boa ...

Ver mais

A gangorra da concentração no setor bancário
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A gangorra da concentração no setor bancário  “Concorrência é como um jogo de tênis. Não tem contato físico. Não podemos impedir que ela crie jogadas e produza. Temos que ser eficientes em nosso ...

Ver mais

Cafezinho 337 – Erebus e Terror
Cafezinho 337 – Erebus e Terror
A Expedição Franklin, no final do século 19, apesar de ...

Ver mais

Cafezinho 336 – Dê uma chance pra sorte
Cafezinho 336 – Dê uma chance pra sorte
Não dá pra provocar a sorte. Mas dá pra dar uma chance ...

Ver mais

Cafezinho 335 – Identidade
Cafezinho 335 – Identidade
Não me reconheço mais neste povo incompleto e perdido, ...

Ver mais

Cafezinho 334 – Eu vi Rivellino jogar
Cafezinho 334 – Eu vi Rivellino jogar
Eu vi Rivellino jogar. E isso me afastou do futebol.

Ver mais

Kaingangs

Kaingangs

Luciano Pires -

alt

Os caingangues, também chamados kaingang, kanhgág, guayanás, coroados, bugres, botocudos, camés e xoclengues, são um povo indígena do Brasil.

Sua língua, a língua caingangue, pertence à família linguística jê, a qual, por sua vez, pertence ao tronco linguístico macro-jê.

Sua cultura desenvolveu-se à sombra dos pinheirais (Araucaria brasiliensis). Há pelo menos dois séculos, sua extensão territorial compreende a zona entre o Rio Tietê (São Paulo) e o Rio Ijuí (norte do Rio Grande do Sul). No século XIX, seus domínios se estendiam para oeste, até San Pedro, na província argentina de Misiones.

Atualmente, os caingangues ocupam cerca de trinta áreas reduzidas, distribuídas sobre seu antigo território, nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, no Brasil.

Sua população é aproximadamente de 34 000 pessoas. Os caingangues estão entre os cinco povos indígenas mais numerosos no Brasil atualmente.

Na literatura internacional, o termo “caingangues” tem designado o povo que, na literatura de língua portuguesa, é chamado “xoclengue” (que, hoje, se autodenominam laklãnõ). Os xoclengues foram descritos por Jules Henry (1941: Jungle People: a Kaingáng tribe of the highlands of Brazil), pesquisador que esteve entre eles no início da década de 1930, no leste de Santa Catarina. Por isso, o que se costuma referir na literatura internacional como característica da cultura caingangue é, na verdade, característica da cultura xoclengue, segundo a descrição de Jules Henry.

As formas aportuguesadas “caingangue” e “xoklengue” são menos comuns nas publicações antropológicas e etnográficas. Especialmente a partir de uma convenção elaborada pela 1a Reunião Brasileira de Antropologia, em 1953, os usos mais correntes são Kaingang e Xokleng.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Caingangues

http://va.mu/cVOW – Os kaingangs no Jornal da UNICAMP

http://kanhgag.org/ – em kaingang

http://www.portalkaingang.org/