s
Portal Café Brasil
Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Palestra Planejamento Antifrágil
Palestra Planejamento Antifrágil
Aproveite o embalo, pois além de ouvir a história, você ...

Ver mais

Como se proteger da manipulação das mídias
Como se proteger da manipulação das mídias
Descubra o passo a passo para se proteger das mentiras, ...

Ver mais

Café Brasil 774 – Adversário x Inimigo
Café Brasil 774 – Adversário x Inimigo
Publiquei um post em minha página do Facebook, dizendo ...

Ver mais

Café Brasil 773 – Falando sobre nação – Revisitado
Café Brasil 773 – Falando sobre nação – Revisitado
O Brasil é um grande país, que precisa de um povo unido ...

Ver mais

Café Brasil 772 – ComunicaAgro – Live com Tejon
Café Brasil 772 – ComunicaAgro – Live com Tejon
Um dia, descobri que grande parte dos ouvintes do ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
E a educação brasileira, como é que vai, hein? Mal, não ...

Ver mais

Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Da mesma forma como o Youtube joga no colo da gente um ...

Ver mais

Café Brasil 758 – LíderCast César Menotti
Café Brasil 758 – LíderCast César Menotti
Há muito tempo tínhamos a ideia de trazer para o ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Conhecendo a história do Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Conhecendo a história do Brasil… por meio dos que contaram a história “A história é a justiça imparcial, mas tem a mania de chegar tarde.” Roberto Campos[1] Em artigo intitulado Livros para ...

Ver mais

Tributo a Jaime Lerner
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Tributo a Jaime Lerner Recebi, com enorme tristeza, a notícia do falecimento de Jaime Lerner, ocorrido em Curitiba, dia 27 de maio. Seu trabalho como urbanista é merecedor de reconhecimento tanto ...

Ver mais

Macrotendências
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Macrotendências: mudanças em curso  “As mortes totais causadas pelo terrorismo em todo o mundo despencaram 59% desde seu pico em 2014. No Ocidente, a ameaça presente é menos da violência islâmica ...

Ver mais

Criatividade, empreendedorismo e inovação
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Anterioridade e importância da criatividade para o empreendedorismo e a inovação “Existe criatividade sem inovação, mas não existe inovação sem criatividade”. Bill Shephard Joseph Schumpeter ...

Ver mais

Cafezinho 394 – Seu trabalho não nos interessa
Cafezinho 394 – Seu trabalho não nos interessa
Isso é o que eu chamo de “celebrar o fracasso”: ...

Ver mais

Cafezinho 393 – Velhos Ranzinzas
Cafezinho 393 – Velhos Ranzinzas
Se no reino animal é a degeneração física que torna os ...

Ver mais

Cafezinho 392 – Eu vou matar a rainha
Cafezinho 392 – Eu vou matar a rainha
Tem tanta mentira em volta da gente, que acabamos ...

Ver mais

Cafezinho 391 – A suspensão da descrença
Cafezinho 391 – A suspensão da descrença
'Suspender a descrença' é aceitar temporariamente como ...

Ver mais

Cafezinho 195 – No mundo da lua

Cafezinho 195 – No mundo da lua

Luciano Pires -
Sábado, 20 de Julho de 2019, completam-se 50 anos do pouso do homem na Lua. 50 anos! Em fevereiro de 2018 visitei o Museu Aeroespacial em Washington e fiquei muito tempo diante das cápsulas do Mercury e da Gemini, os dois projetos que antecederam o Apollo, que colocou o homem na lua. O que chamou a atenção, além do tamanho minúsculo das naves, foram os painéis de controle. Parecia coisa daqueles filmes de ficção científica dos anos 50… Passam uma ideia de artesanato, daquelas coisas que são feitas uma vez só… Cara, como é que alguém tinha coragem de entrar naquilo e colocado na ponta de um foguete pra ser disparado para o espaço? Sem garantia de voltar? Os astronautas eram feitos de algum material diferente do nosso…
 
O sucesso das missões e a vida dos astronautas dependia completamente dos cálculos de navegação. Quem assistiu o filme Estrelas Além do Tempo sabe do que estou falando. Os computadores de bordo eram pouco mais que calculadoras, não havia no começo dos anos 1960 tecnologia para construir microcomputadores. Mas aí um líder visionário entrou em campo. Em 25 de maio de 1961, no auge da guerra fria, pressionado pela Russia, que um mês antes enviara o primeiro homem ao espaço, o presidente John Kennedy uniu o país em torno de uma missão impossível: vencer a corrida espacial, colocando um homem na lua antes do final da década. E ao estabelecer de forma clara uma competição com os Russos, que estavam à frente na corrida espacial, Kennedy completou sua fala pedindo diretamente ao Congresso que garantisse os recursos para as atividades espaciais, para, primeiro : antes do final da década colocar um homem na Lua e trazê-lo de volta são e salvo. Segundo: desenvolver um foguete nuclear para a ambiciosa exploração do espaço, inclusive além da Lua, até o fim do sistema solar. Terceiro: acelerar o uso de satélites espaciais para possibilitar a comunicação em todo o mundo. Quarto: desenvolver um sistema de satélites para monitorar o clima.
 
E Kennedy completou assim: “…estou pedindo ao Congresso e ao país para que aceitem o compromisso com um novo caminho, que durará muitos anos e terá um custo muito grande, 531 milhões de dólares em 1962 e 7 a 9 bilhões de dólares nos cinco anos seguintes. E se for para fazer pela metade ou reduzir nossos objetivos em face às dificuldades, é melhor nem começar.”
 
Bem, colocar o homem na lua custou mais de 20 bilhões de dólares, o que significa 180 bilhões em dólares de hoje. E mudou o curso da história da humanidade. Sabe como? Então ouça o Café Brasil 675 – O Homem na Lua. A história tá todinha lá.
 
 
 
Este cafezinho chega a você com apoio do Cafebrasilpremium.com.br, um MLA – Master Life Administration, que ajuda a refinar sua capacidade de julgamento e tomada de decisão. www.cafebrasilpremium.com.br