s
Portal Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 798 – Raciocínios Perigosos – Revisitado
Café Brasil 798 – Raciocínios Perigosos – Revisitado
O Café Brasil de hoje é a releitura de um programa de ...

Ver mais

Café Brasil 797 – ‘Bora pra Retomada – com Lucia Helena Galvão
Café Brasil 797 – ‘Bora pra Retomada – com Lucia Helena Galvão
Tenho feito uma série de lives que chamei de ‘Bora pra ...

Ver mais

Café Brasil 796 – Maiorias Irrelevantes
Café Brasil 796 – Maiorias Irrelevantes
Outro daqueles acidentes estúpidos vitimou mais uma ...

Ver mais

Café Brasil 795 – A Black Friday
Café Brasil 795 – A Black Friday
Uma vez ouvi que a origem do apelido Black Friday seria ...

Ver mais

Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Hoje bato um papo com Antônio Chaker, que é o ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Quadrinhos em alta
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Quadrinhos em alta Apesar do início com publicações periódicas impressas para públicos específicos, as HQs não se limitam a atender às crianças. Há quadrinhos para adultos, de muita qualidade, em ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Tipos e Regras de Divisão Lógica (parte 7)
Alexandre Gomes
Antes de tratar das regras da divisão lógica – pois pode parecer mais importante saber as regras de divisão que os tipos de divisão – será útil revisar alguns tópicos já tratados para ...

Ver mais

Simplificar é confundir
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Alexis de Tocqueville escreveu que “uma idéia falsa, mas clara e precisa, tem mais poder no mundo do que uma idéia verdadeira, mas complexa”.   Tocqueville estava certo. Em todos os ...

Ver mais

País de traficantes?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não é segredo que o consumo de drogas é problema endêmico no País, bem como o tráfico delas. O Brasil não apenas recebe toneladas de lixo aspirável ou injetável para consumo interno, como ainda ...

Ver mais

Cafezinho 444 – Congestão mental
Cafezinho 444 – Congestão mental
Quanto de alimento intelectual você consegue entuchar ...

Ver mais

Cafezinho 443 –  O crime nosso de cada dia
Cafezinho 443 –  O crime nosso de cada dia
A sociedade norte americana está doente. E eles somos ...

Ver mais

Cafezinho 442 – Por que cultura é boa?
Cafezinho 442 – Por que cultura é boa?
A cultura é boa porque influencia diretamente a forma ...

Ver mais

Cafezinho 441 – Qual cultura é melhor?
Cafezinho 441 – Qual cultura é melhor?
A baixa cultura faz crescer a bunda, melhorar o ...

Ver mais

Cafezinho 195 – No mundo da lua

Cafezinho 195 – No mundo da lua

Luciano Pires -
Sábado, 20 de Julho de 2019, completam-se 50 anos do pouso do homem na Lua. 50 anos! Em fevereiro de 2018 visitei o Museu Aeroespacial em Washington e fiquei muito tempo diante das cápsulas do Mercury e da Gemini, os dois projetos que antecederam o Apollo, que colocou o homem na lua. O que chamou a atenção, além do tamanho minúsculo das naves, foram os painéis de controle. Parecia coisa daqueles filmes de ficção científica dos anos 50… Passam uma ideia de artesanato, daquelas coisas que são feitas uma vez só… Cara, como é que alguém tinha coragem de entrar naquilo e colocado na ponta de um foguete pra ser disparado para o espaço? Sem garantia de voltar? Os astronautas eram feitos de algum material diferente do nosso…
 
O sucesso das missões e a vida dos astronautas dependia completamente dos cálculos de navegação. Quem assistiu o filme Estrelas Além do Tempo sabe do que estou falando. Os computadores de bordo eram pouco mais que calculadoras, não havia no começo dos anos 1960 tecnologia para construir microcomputadores. Mas aí um líder visionário entrou em campo. Em 25 de maio de 1961, no auge da guerra fria, pressionado pela Russia, que um mês antes enviara o primeiro homem ao espaço, o presidente John Kennedy uniu o país em torno de uma missão impossível: vencer a corrida espacial, colocando um homem na lua antes do final da década. E ao estabelecer de forma clara uma competição com os Russos, que estavam à frente na corrida espacial, Kennedy completou sua fala pedindo diretamente ao Congresso que garantisse os recursos para as atividades espaciais, para, primeiro : antes do final da década colocar um homem na Lua e trazê-lo de volta são e salvo. Segundo: desenvolver um foguete nuclear para a ambiciosa exploração do espaço, inclusive além da Lua, até o fim do sistema solar. Terceiro: acelerar o uso de satélites espaciais para possibilitar a comunicação em todo o mundo. Quarto: desenvolver um sistema de satélites para monitorar o clima.
 
E Kennedy completou assim: “…estou pedindo ao Congresso e ao país para que aceitem o compromisso com um novo caminho, que durará muitos anos e terá um custo muito grande, 531 milhões de dólares em 1962 e 7 a 9 bilhões de dólares nos cinco anos seguintes. E se for para fazer pela metade ou reduzir nossos objetivos em face às dificuldades, é melhor nem começar.”
 
Bem, colocar o homem na lua custou mais de 20 bilhões de dólares, o que significa 180 bilhões em dólares de hoje. E mudou o curso da história da humanidade. Sabe como? Então ouça o Café Brasil 675 – O Homem na Lua. A história tá todinha lá.
 
 
 
Este cafezinho chega a você com apoio do Cafebrasilpremium.com.br, um MLA – Master Life Administration, que ajuda a refinar sua capacidade de julgamento e tomada de decisão. www.cafebrasilpremium.com.br