s
Iscas Intelectuais
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

Café Brasil 927 – Quando a água baixar
Café Brasil 927 – Quando a água baixar
A história de Frodo Bolseiro em "O Senhor dos Anéis" ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

LíderCast 321 – Rafael Cortez
LíderCast 321 – Rafael Cortez
Tá no ar o #LC321 O convidado de hoje é Rafael Cortez, ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 328 – Crimes de Honra
Cafezinho 328 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

Conteúdo X Forma

Conteúdo X Forma

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Conteúdo X forma: difícil equilíbrio

 

“Num evento científico, o fulgurante  jogo de luzes atropelou o que deveria ser uma serena discussão de ideias.”

Claudio de Moura Castro

 

Na seção Espaço Aberto da edição do dia 3 de abril do jornal O Estado de S. Paulo, o economista Claudio de Moura Castro, que se especializou em temas relacionados à educação, ciência e tecnologia, escreveu um artigo intitulado “A colisão da ciência com a civilização do espetáculo”, examinando o instável equilíbrio entre conteúdo e forma.

No referido artigo, Moura Castro afirma ter sido estimulado a fazer tal reflexão ao participar de um evento que discutia ciências e suas aplicações. Como é comum em eventos de grande porte dessa natureza, as atrações dividem-se em duas partes: numa delas, as empresas expositoras exibem seus produtos e serviços em stands de diferentes tamanhos; na outra, conferencistas se apresentam em salas e/ou auditórios.

A tendência verificada nos últimos anos aponta para uma crescente preocupação com aspectos ligados à forma, tanto na preparação dos stands como nas próprias conferências, sendo exemplo destas últimas os lançamentos dos produtos da Apple na época de Steve Jobs, transformados em verdadeiras superproduções.

Essa preocupação cada vez maior com a forma, que se vale muitas vezes dos formidáveis efeitos proporcionados pela tecnologia e pela automação, tem provocado uma deturpação no mínimo questionável, qual seja, fazer com que a pessoa fique mais impressionada com a forma do que com o conteúdo que lhe está sendo apresentado.

Tal deturpação não é nova e foi brilhantemente captada por Mario Vargas Llosa, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 2010, no livro A civilização do espetáculo. No referido livro, Vargas Llosa faz uma dura crítica ao que considera a banalização da educação, da arte, da religião, do sexo, da política, da economia e de tantos outros temas que convergem para a formação de uma cultura baseada no “espetáculo”, entendida como cultura da diversão.

A leitura do artigo de Moura Castro me fez refletir como essa colisão entre conteúdo e forma está presente no nosso cotidiano, nos mais diversos segmentos de atividades, impondo ao receptor da mensagem o desafio permanente de separar o joio do trigo, evitando confundir o essencial com o acessório.

Sem puxar muito pela memória, seguem-se alguns exemplos que ilustram essa colisão.

Conheço inúmeros palestrantes e professores que possuem reconhecido conteúdo, mas que são fraquíssimos como expositores, chegando a dar sono aos ouvintes. Também conheço muitos que, ao contrário, são excelentes expositores, capazes de fazer apresentações dinâmicas e divertidas, porém, com pouco conteúdo, de tal forma que, passado o encanto imediato provocado pela exposição, não sobra quase nada de aproveitável na memória.

Acontece o mesmo com filmes ou peças de teatro, em que muitas vezes os efeitos especiais se superpõem à qualidade do enredo, à atuação dos artistas ou à relevância dos temas.

Vale a pena chamar a atenção para esse possível conflito entre meio e mensagem (ou conteúdo e forma) num ano eleitoral como é o de 2022 no Brasil, para as campanhas dos políticos que disputarão os votos de milhões de brasileiros nas eleições de outubro próximo. Neste caso, com uma agravante: não basta separar o conteúdo da forma; é preciso, mais do que nunca, estar atento a detalhes ligados à credibilidade dos candidatos, à coerência entre discurso e ações, à viabilidade das promessas feitas no calor da disputa e à capacidade que cada candidato possui de atender aos anseios de cada eleitor.

Se a colisão entre conteúdo e forma é capaz de tornar o equilíbrio instável em aulas ou conferências de média e longa duração, o que não dizer desse desafio para políticos que dispõem de pouquíssimo tempo para exercer seu poder de convencimento?

 

 

Iscas para ir mais fundo no assunto

 Referências

CASTRO, Claudio de Moura. A colisão da ciência com a civilização do espetáculo. O Estado de S. Paulo, 3 de abril de 2022, p. A 6.

LLOSA, Mario Vargas. A civilização do espetáculo: uma radiografia do nosso tempo e da nossa cultura. Tradução de Ivone Benedetti. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado