s
Iscas Intelectuais
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

Café Brasil 927 – Quando a água baixar
Café Brasil 927 – Quando a água baixar
A história de Frodo Bolseiro em "O Senhor dos Anéis" ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

LíderCast 321 – Rafael Cortez
LíderCast 321 – Rafael Cortez
Tá no ar o #LC321 O convidado de hoje é Rafael Cortez, ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 328 – Crimes de Honra
Cafezinho 328 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

É milagre, Crivella?

É milagre, Crivella?

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

O Rio de Janeiro continua lindo Gil, e complicado; mais do que isso, espantoso. Não dá pra entender a razão pela qual os fluminenses elegem gente (latu sensu, ófi córsi) como Anthony Garotinho, sua esposa Rosinha, Sérgio Cabral e outros desse naipe. A bola da vez (no mau sentido) é o notório Marcelo Crivella, eleito prefeito dos cariocas.

Sim, claro… nós paulistas não podemos apontar o dedo sujo; afinal, elegemos Paulo Maluf, Fleury Filho, Fernando Haddad e outros da classe dos imperdoáveis sem explicação plausível.

Mas os fluminenses (principalmente os cariocas) parecem insistir nessa mania de rolar morro abaixo (no bom e no mau sentido) através de administrações variando do sofrível ao inaceitável. Com um agravante: Alguns dos mencionados se acreditam bafejados por Deus, arautos do Senhor, uma espécie de caixa postal (e também registradora) dos Céus. Nós paulistas, ao menos, somos vítimas de meros amantes declarados do vil metal. Até agora. Os praianos dirigentes vizinhos querem também arregimentar a fé dos populares, numa versão tupiniquim da estratégia Hearts & Minds utilizada pelos americanos na guerra do Vietnã – se bem que no caso de Garotinho & Cia eles acrescentaram fé, bolsos e carteiras ao rol de vitórias a alcançar perante o inimigo otário – opa, digo, eleitores. Isso simplesmente não pode continuar. Não dá mais. Religião não é política – ou ao menos não deveria ser. A César o que é de César, como deixou claro o grande Sábio.

Crivella partiu pro regaço: Sem medo de ser feliz, foi gravado prometendo (e cometendo) favores especiais a colegas pastores de sua religião, igreja e base eleitoral garantindo passe livre para furar a fila dos doentes à espera de cirurgia na cidade do Rio (entre outros absurdos), para que todos se locupletassem com a gratidão que inevitavelmente viria dos pobres coitados tangidos como gado por essa gente. O áudio vazou, graças a Deus (ou ao diabo, segundo Crivella) e pudemos conhecer a real face desse senhor que utiliza qualquer tipo de manobra arrivista. Muito corretamente, a oposição municipal encurralou o santo pecador em seu milagre da multiplicação de cirurgias, e Crivella está por um triz de ser impichado do cargo de prefeito. Exatamente como Michel Temer fez no Congresso, está tentando fugir da justiça humana (afinal, afirma ter o monopólio da divina) distribuindo cargos e favores para os oportunistas de plantão (com trocadilho para um certo plantonista do judiciário) na tentativa de manter-se no cargo. A tática não é nova, mas costuma funcionar, para indignação dos honestos.

Falando nessa rara e estreita fatia dos honestos, mantenho há anos boa amizade com um xará e colega do Rio, carioca da gema; como ele não deixa de lembrar, com toda a razão, a cidade é uma das mais lindas do mundo – mas a feiúra moral de seus governantes está desmentindo até a Natureza. A que ponto chegamos, xará. Vocês não merecem, nem nós, nem ninguém.

Antes que os apressadinhos de sempre se manifestem, ninguém está pregando sublevação religiosa, ou modernas Cruzadas, volta da Inquisição, intolerância a algum tipo de crença, muito menos outra Noite de São Bartolomeu (se não conhecer, deixe de ser preguicento e localize no Google). Mas é inacreditável que se utilize qualquer religião para justificar imundícies praticadas por políticos injustificáveis. Trata-se de uma – medianamente – nova ideologia disfarçada, na qual Deus deixa de ter qualquer participação, apesar dos veementes álibis contrários. Que o digam os milhares de cariocas prejudicados, morrendo nas filas à espera de uma cirurgia renal, oftalmológica, ortopédica ou outra qualquer. Justiça para eles. Humana, terrena, mundana, comum, dos homens, mas Justiça, não ilusões metafísicas gerando óbolos polpudos e votos.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes