Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Olha, os dias andam um saco! Todo mundo nervoso, ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

5 ações de marketing para ajudar a superar a crise do coronavírus
Michel Torres
Negócios em todo o mundo estão sentindo os efeitos da pandemia: menos clientes, menor receita e o medo de não ter condições de aguentar esse tempo de prejuízo. Precisamos salvaguardar a saúde e o ...

Ver mais

Brasis
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Brasis  “Quanto tempo um homem deve virar a cabeça, fingindo não ver o que está vendo?” Bob Dylan Minha primeira lembrança pra valer do que vou focalizar neste artigo é de quando li Os dos ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Qual janela você escolheu para ver o mundo?

Ver mais

50 tons de uma mulher

50 tons de uma mulher

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Existe hoje no Brasil a liberdade para as mulheres assumirem sua sexualidade? A mulher hoje está livre dos preconceitos, do machismo, pode assumir publicamente que quer gozar?

O erotismo no Brasil sempre foi uma característica de nossa cultura.”Não existe pecado do lado debaixo do equador” há anos foi cantada em tema de novela. Toda obra de Jorge Amado especialmente em “Dona Flor e seus dois maridos” deixou muita senhora púdica de cabelo em pé. E o que falar da poesia erótica de Carlos Drummond de Andrade  como Carmina burana; ou das taras da deliciosa ninfomaníaca baianinha com corpo feito para o pecado, personagem principal de a Casa dos Budas Ditosos de João Ubaldo ribeiro? Erotismo é nada de novo por estas bandas.

A revolução sexual ocorrida na década de 1950 e por aqui importada na década de 1960 todavia não foi integrada a nossa cultura. Entre o enunciado, o discurso e a prática de vida ao contrário. A repressão sexual, a culpa, o não se permitir é intenso na vida social e sexual de muitas mulheres. Vivemos uma cultura machista reforçada pelas próprias mulheres. Falamos de direitos iguais, mas quantas realmente lutam por respeito nos dias de hoje? E quantas não estão deliberadamente vendendo se sem a menor dignidade?

O arquetípico dilema entre Puta e Santa faz parte do universo psíquico feminino. O livro “A Prostituta Sagrada – A face eterna do Feminino”, de Nancy Qualls-Corbett (Editora Paulus 1990, fala deste drama. E pobre da mulher que não souber vivenciar os dois universos em seus referidos espaços.

Na década de 2010 continuamos vivendo um vitorianismo travestido de libertinagem. De um lado temos o excesso do discurso de ousadia, do outro o patrulhamento de um pseudo moralismo decretado por seitas religiosas mercantilistas. De um lado o machismo feminino que denunciamos neste artigo, do outro o excesso da vida instintiva. E qual é o meio termo?

Fui interpelado estes dias pela discussão social da obra pornô literária que agora virou filme, 50 tons de cinza. Uma leitura básica aos moldes de Crepúsculo com pequenas nuances eróticas, porém sem a graça da filosofia da Alcova de Marquês de Sade, e toda sua reconfiguração sócio política. É apenas um filme que atiça as fantasias eróticas de pacatas damas entediadas com a mesmice da vida, rotina criada pela própria apatia frente ao destino. Nada de novo, lamento.

No enredo a personagem principal, a jornalista Anastasia funde a pseudo inocência de Polyana com o estereótipo de uma Artemis mal resolvida. Na trama seu parceiro é Christian, sonho de consumo da ilusão feminina na atualidade, um rapaz rico, belíssimo, sedutor e safado.

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima