s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 788 – Love, Janis
Café Brasil 788 – Love, Janis
Janis Joplin era uma garota incompreendida, saiu da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

Cafezinho 426 – Quem tem pressa?
Cafezinho 426 – Quem tem pressa?
Hoje as narrativas familiares perderam espaço para uma ...

Ver mais

50 tons de uma mulher

50 tons de uma mulher

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Existe hoje no Brasil a liberdade para as mulheres assumirem sua sexualidade? A mulher hoje está livre dos preconceitos, do machismo, pode assumir publicamente que quer gozar?

O erotismo no Brasil sempre foi uma característica de nossa cultura.”Não existe pecado do lado debaixo do equador” há anos foi cantada em tema de novela. Toda obra de Jorge Amado especialmente em “Dona Flor e seus dois maridos” deixou muita senhora púdica de cabelo em pé. E o que falar da poesia erótica de Carlos Drummond de Andrade  como Carmina burana; ou das taras da deliciosa ninfomaníaca baianinha com corpo feito para o pecado, personagem principal de a Casa dos Budas Ditosos de João Ubaldo ribeiro? Erotismo é nada de novo por estas bandas.

A revolução sexual ocorrida na década de 1950 e por aqui importada na década de 1960 todavia não foi integrada a nossa cultura. Entre o enunciado, o discurso e a prática de vida ao contrário. A repressão sexual, a culpa, o não se permitir é intenso na vida social e sexual de muitas mulheres. Vivemos uma cultura machista reforçada pelas próprias mulheres. Falamos de direitos iguais, mas quantas realmente lutam por respeito nos dias de hoje? E quantas não estão deliberadamente vendendo se sem a menor dignidade?

O arquetípico dilema entre Puta e Santa faz parte do universo psíquico feminino. O livro “A Prostituta Sagrada – A face eterna do Feminino”, de Nancy Qualls-Corbett (Editora Paulus 1990, fala deste drama. E pobre da mulher que não souber vivenciar os dois universos em seus referidos espaços.

Na década de 2010 continuamos vivendo um vitorianismo travestido de libertinagem. De um lado temos o excesso do discurso de ousadia, do outro o patrulhamento de um pseudo moralismo decretado por seitas religiosas mercantilistas. De um lado o machismo feminino que denunciamos neste artigo, do outro o excesso da vida instintiva. E qual é o meio termo?

Fui interpelado estes dias pela discussão social da obra pornô literária que agora virou filme, 50 tons de cinza. Uma leitura básica aos moldes de Crepúsculo com pequenas nuances eróticas, porém sem a graça da filosofia da Alcova de Marquês de Sade, e toda sua reconfiguração sócio política. É apenas um filme que atiça as fantasias eróticas de pacatas damas entediadas com a mesmice da vida, rotina criada pela própria apatia frente ao destino. Nada de novo, lamento.

No enredo a personagem principal, a jornalista Anastasia funde a pseudo inocência de Polyana com o estereótipo de uma Artemis mal resolvida. Na trama seu parceiro é Christian, sonho de consumo da ilusão feminina na atualidade, um rapaz rico, belíssimo, sedutor e safado.

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima