Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

A Dissolução e o Imaginário

A Dissolução e o Imaginário

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

A construção da ilusão e do negativismo

A psicose política já por nós a anos citada impõe ao mercado a ilusão como forma básica de socialização. Aparentar tornou se mais importante que ter ou ser. A variante infindável de linhas de crédito, parcelamentos, carnês transformou o mercado de consumo no Brasil. Todo mundo, especialmente a classe política, falava de crescimento se transformando naquilo que jamais sonhou. “Ressurgiu” das cinzas uma classe média que não se contentava a pertencer a este grupo, e queria mais: mordomia, viagens ao exterior, todos bens de consumo antes distantes agora podiam ser adquiridos e  desejados.  A mesma coisa na classe D e… tudo é possível com uma linha de crédito ou carnê. Como é que vai se pagar tais dividas, outro problema, isto não se escreve no contrato assinado. O importante nisto tudo foi e é dar lucro a bancos, a empresas de empréstimo consignado,  telefonia, a grandes montadoras, a um pequeno segmento de empresas beneficiadas, as mais amigas dos que estão no poder. O discurso oficial da ilusão com isto toma forma: que o mercado cresceu, que existem mais empregos, a economia reconstrói o milagre econômico brasileiro e saímos do subdesenvolvimento chegando a possibilidade de dizer que nos tornamos um país de primeiro mundo. Ilusão e delírio, uma obsessão, ou fascinação que impede o individuo de perceber a realidade, apenas discurso, oratória, manipulação dos meios de comunicação ou das estatísticas, ou dos números dos balancetes da economia hoje contestados.

O imaginário é rei e senhor no processo da dissolução. A ideologia contaminada que outrora versava sobre  movimentos políticos com identidade, hoje faz da bolsa de valores e do crédito especulativo seu avatar. Produção real besteira, jogar com números, trocar cheques em várias contas e fingir mais presente que imaginamos. A propaganda vira a alma do negócio e o produto final… hoje é uma choradeira, falta de confiabilidade, corrupção, e o choque da observação que a realidade é bem diferente do apregoado pela classe política nos últimos 16 anos.

O movimento psicológico decorrente deste jogo social é o de um profundo pessimismo. Hoje é cena comum na vivência das pessoas não acreditar e ser negativo ao extremo em um processo que beira a obsessão. Sem a capacidade de perceber a realidade distorcida, em um ato de fé que não mensurou o auto-cuidado, o salutar desconfiar e ou ver as reais possibilidades. Este é o sentimento geral coletivo, quase à semelhança de um indivíduo que recém descobre o par de cornos que carrega posto pela eleita amada, digna de suas promessas de amor. chifre e traição. O traído que descobre que iludido laceou demais e descuidou, deu bobeira, em momentos estratégicos nos quais não poderia vacilar e se entregar. O dilema de Sancho Pança que seguia a loucura de Dom Quixote, seus delírios e que acomodado ou por mero interesse se viu imerso nos problemas…ah, malditos feitiços…

Nossa atualidade é regida por um amplo negativismo que nada mais é que a ressaca do período pós ilusão, no qual o sentimento de onipotência imperava. Mas o que é este ser negativo que não consegue perceber a realidade, mas tanto reclama, faz protestos e vota nos mesmos indivíduos que o expoliam?

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima