s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Hoje bato um papo com Antônio Chaker, que é o ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

A aparente contradição entre desemprego e escassez de mão de obra
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Esclarecendo a aparente contradição entre desemprego e escassez de mão de obra “Antes, as habilidades não eram tão amplas. Hoje, o profissional precisa conhecer e estudar a fundo vários assuntos. ...

Ver mais

Pax Aeterna
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Maquiavel é, com alguma freqüência, considerado o primeiro cientista político moderno: nas suas análises, ele teria sido um dos primeiros a rejeitar tanto uma concepção metafísica da natureza ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Cafezinho 432 – O vencedor
Cafezinho 432 – O vencedor
As pessoas não se importam com o que você diz, desde ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

A Igreja do Diabo

A Igreja do Diabo

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

                                             Ah, Roraima… pouca notícia vem desse longínquo estado setentrional, no qual habitam roraimados e roraimadas, segundo Dilma I, rainha dos gentílicos. Roraima é mais conhecida pela mania estúpida criada pelos repórteres da Globo ao referir-se a ele como “Roráima” em vez de “Rorãima”, que é o correto. E não há sotaque, regionalismo nem prosódia que justifique essa cretinice. Mania de aparecer, pura e simples. Uma bobagem.

                                             Mas eis que da capital “roraimada” nos chega notícia revoltante; esta sim, a cara do Brasil: Os salários nababescos dos nobres vereadores da única capital brazuca situada no hemisfério norte. Os tais sujeitos deram-se um aumento de 80% no salário e nas verbas de representação (legislar em proveito próprio é outra das nossas jabuticabas), e Boa Vista passou a gastar R$ 86.000,00 com cada impoluto edil. Essa safadeza foi revertida aos valores antigos – que já não eram baixos – graças à coragem do povo, que chiou, e ao ministério público, que ouviu o chiado e acionou a justiça. Em resumo, coisa de cafajeste. Dois dos vereadores, lulistas de carteirinha, se dizem “surpresos” com a decisão da justiça, afirmando que o aumento está “dentro da lei”. Tenha dó, é muita cara de pau. Parabéns aos boa-vistenses e ao MP local. Os ventos que sopram do distante e evoluído Paraná fazem escola.

                                             Essa coisa podre, suja, é a cara do Brasil. Estamos com a corda no pescoço, a economia em ruínas. Como exemplo, vale lembrar que nosso PIB per capita baixou para um terço do alcançado pela mesma Grécia que enfrenta crise nunca vista, em vias de ser expulsa do rico clube do Euro e entregue à demência de seus partidos comunistas.

                                             Enquanto isso, na ilha da fantasia, Dilma promete reduzir ministérios, cortar salários, mandar embora 3 mil apaniguados do serviço público federal, como provas de que ela “corta na carne” em tempos de crise. As tais juras completam 7 meses, e nada de serem cumpridas. Cara de Dilma. Enquanto isso, a dondoca presidencial gasta R$ 800.000,00 no aluguel de uma frota blindada de carros de luxo em seu inútil passeio a Nova York para zurrar na ONU e propor ao mundo a estocagem de vento, envergonhando o Brasil, torrando dólares com o icônico Aerolula e hotéis luxuosíssimos, frequentados apenas por milionários esnobes. Perguntado sobre, Até Barack Obama disse preferir hotéis mais baratos quando está em NY. Pra nós, fica a conta e o passa-moleque.

                                             Cara de um país demente, estúpido, que se rende à mais nova maneira de roubar os contribuintes: O tal Simples Doméstico, que nada tem de simples e simplesmente não funciona. Pior: em vez da Previdência, quem tange essa demência virtual é a Receita Federal; esta anuncia que não quer nem saber se o portal empaca. Quem não pagar as guias que a própria Receita nega, está sujeito a pesada multa diária. Cara de Dilma, cara de Brasil, cara de Lula.

                                             Nessa insânia burocrática, São Paulo não fica de fora. Para desespero dos advogados no estado mais rico da nação, a Fazenda Pública foi contaminada pela estupidez dos primos federais. Há uns anos, cada inventário devia ser apresentado na Fazenda para apuração de impostos; o valor era calculado, pago, e fim da história. Hoje, o advogado tem de fornecer endereço e telefone do falecido (!), passar todas as informações imagináveis pelo portal fazendário, juntar um sem-fim de declarações, fazer upload de tudo isso… pra depois imprimir tudo e levar os mesmos papéis à própria secretaria – que já guarda essas dezenas de documentos em arquivo digital! Coisa de hospício.

                                             Antigamente, um passaporte estrangeiro era sonho, desejo distante; tá se tornando necessidade, mecanismo de fuga. E quando se lembra que a moda foi reforçada através da família de Lula, com seus ilegais passaportes diplomáticos e os demais italianos, dá vontade de vomitar. Marisona, a primeira-companheira, dizia que eles eram necessários porque “não se sabe o dia de amanhã”. Considerando a bancarrota nestes tristes trópicos e o camburão da Federal a rondar os Lula da Silva, até que ela tinha razão.

Como refletia Machado de Assis em seu conto A Igreja do Diabo, se o tinhoso abrir uma seita aqui, a virtude vai ser muito praticada, mas apenas como pecado. Sugiro a leitura; é curto e interessante: 

http://www.virtualbooks.com.br/v2/ebooks/pdf/00141.pdf

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes