s
Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

A maldição de Temer e a dúvida de Sêneca

A maldição de Temer e a dúvida de Sêneca

Bruno Garschagen - Ciência Política -

Se não houver um cataclismo político, Dilma Rousseff será afastada temporariamente da presidência nesta semana. Assumirá o atual vice-presidente Michel Temer, que iniciará o seu governo carregando nas costas a maldição de ter ajudado a eleger e a reeleger Dilma Rousseff e por seu partido, o PMDB, ter sido base de apoio fundamental no Congresso e no Senado até recentemente.

Mas antes de qualquer análise sobre as propostas de seu eventual futuro governo é bom relembrar da carta que Temer escreveu em dezembro do ano passado e que marcou o seu rompimento com o governo do PT. A epístola, embora hoje esquecida, continua importante por desnudar alguns aspectos politicamente relevantes e que devem ser objeto de reflexão neste momento de transição. A começar pela pergunta: por que, afinal, Temer decidiu romper com Dilma?

A carta indica claramente um ressentimento de Temer pela desconfiança da presidente e por não ter sido prestigiado como achou que deveria, além de sua própria suspeita em relação à Dilma. A situação foi agravada na época pela tentativa explícita do governo de enfraquecê-lo e de neutralizá-lo politicamente no Congresso e de provocar divisão interna do PMDB a partir da substituição de nomes ligados ao vice-presidente.

Se Temer tivesse sido privilegiado pelo governo provavelmente não haveria rompimento, muito menos o apoio do PMDB ao impeachment–mesmo que o país estivesse no mesmo poço sem fim onde hoje se encontra. Se a política é a arte do diálogo e da negociação há sempre aquele momento em que ao caráter dos homens se impõe um dilema ético. E é tal escolha que revelará o homem–e o político.

Os interesses de Temer, assim como a condução do processo pelo deputado Eduardo Cunha, afastado do mandato na semana passada pelo Supremo Tribunal Federal, maculam o impeachment em curso? De forma alguma. Se coube aos políticos do PMDB serem os instrumentos políticos para afastar o PT da presidência não é de todo desagradável utilizá-los para tal imprescindível finalidade.

Não será o afastamento da presidente que mudará a natureza do PMDB nem a escolha ética feita por Temer, mas as evidenciará de forma tão marcante que a sociedade terá condições de perceber de forma mais nítida quem é quem no jogo político. Temer, se assumir a presidência, terá pouco tempo para mostrar a que veio. Enfrentará o peso de sua aliança com o PT, a crise política e econômica e uma parcela numerosa da sociedade que não aceitará e reagirá vigorosamente contra governos como o atual.

Com o PT fora da presidência, porém, o país poderá iniciar a grande mudança que exige, antes, uma reforma cultural que também permita a formação de uma elite política virtuosa, fundamentada em ideias corretas e capaz de enfrentar os desafios sem aumentar o tamanho do Estado e as atribuições do governo. Porque não se modifica a política formal sem antes mudar a mentalidade dos homens.

Mas o PT, mesmo fora da presidência, não estará morto. Os petistas, que já eram profissionais em fazer uma oposição perigosa, maléfica e desonesta, agora sabem o que é ser governo e como usar a máquina do Estado a seu serviço. Por isso, a sociedade brasileira terá que ter o espírito firme e vigilante para que não seja convertida em instrumento útil do PT quando for necessário se opor ao governo Temer.

Numa das célebres cartas a Lucílio, Sêneca perguntou-lhe a respeito de sua intenção de recolher-se à obscuridade: “o que preferes tu: uma indigência que te sacia ou uma abundância que te deixa esfomeado?”. Os petistas jamais aceitarão a indigência política porque sempre terão fome de poder.

Ver Todos os artigos de Bruno Garschagen