s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Cafezinho 432 – O vencedor
Cafezinho 432 – O vencedor
As pessoas não se importam com o que você diz, desde ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

A periferia não é de esquerda

A periferia não é de esquerda

Bruno Garschagen - Ciência Política -

“Como ousam pensar diferente de nós? Como ousam querer se virar por conta própria e não com a nossa ajuda?” – é a conclusão dos pesquisadores da Fundação Perseu Abramo

A pesquisa qualitativa divulgada recentemente pela Fundação Perseu Abramo, entidade do Partido dos Trabalhadores, constatou que as pessoas que moram nas periferias de São Paulo não pensam como a esquerda gostaria. Esse aspecto, que pode ser verificado nas comunidades de outras cidades brasileiras, parece ter irritado os autores do levantamento, cujas conclusões combinam ressentimento com reprovação. O tom geral da apresentação dos resultados é: “como ousam pensar diferente de nós? Como ousam querer se virar por conta própria e não com a nossa ajuda?”

São muitos os exemplos em que essa postura manifesta-se explicitamente na pesquisa. Reparem: “A cisão entre ‘classe trabalhadora’ e burguesia também não perpassa pelo imaginário dos entrevistados: Trabalhador e patrão são diferentes, mas não existe no discurso relação de exploração: um precisa do outro, estão no ‘mesmo barco’. Destaque para o singular, porque não há ideia de coletivo”. Os autores do estudo queriam porque queriam que as respostas fossem a de um militante petista, ou seja, que os entrevistados acreditassem na “cisão entre trabalhadores e burgueses”, na “relação de exploração” entre ambos e no coletivismo.

Gente que quer melhorar de vida por esforço próprio? Para a Fundação Perseu Abramo, isso é inaceitável

Num outro tópico, a pesquisa apresenta a opinião dos entrevistados com uma crítica ideológica ao afirmar que eles “querem ter sua singularidade e valores reconhecidos dentro da competitividade capitalista” e que, embora não neguem “a importância de políticas públicas e garantia de acesso a oportunidades, (…) rejeitam aquelas políticas que aparentam ‘duvidar’ das capacidades individuais, como as cotas”. Morador da periferia não querer cota? Para a Fundação Perseu Abramo, esse pessoal só pode estar de brincadeira.

A pesquisa também definiu como “supervalorização do mérito” a visão dos entrevistados de que “para ser alguém na vida são necessários trabalho e esforço” e de que “não existem barreiras intransponíveis”. Gente que quer melhorar de vida por esforço próprio? Para a Fundação Perseu Abramo, isso é inaceitável.

Outra pérola: diante da resposta dos entrevistados de que “a burocracia e os altos impostos” são “empecilhos para o empreendedorismo”, informação confirmada por dados empíricos, a pesquisa concluiu que isso não passa de um gesto de “solidariedade (para) com os empresários” porque “muitos assumem o discurso propagado pela elite e pelas classes médias”. Morador de periferia pensar por conta própria? Para a Fundação Perseu Abramo, nem morto.

E a família? Bem, se os entrevistados consideram que a instituição familiar “é o grande alicerce e solução para os problemas individuais e coletivos”, assim como “o antídoto para a crise moral da sociedade”, o que fazem os autores da pesquisa? Qualificam tal posição de forma equivocada como sendo uma “visão liberal” que supostamente confundiria “um problema estrutural” com um problema “de ordem individual que se resolverá pela educação no âmbito privado (familiar)”. Para a Fundação Perseu Abramo, a crise ética não deve ser enfrentada a partir do seio da família, uma bandeira conservadora, mas certamente por mais um governo petista.

Esses são alguns exemplos de uma pesquisa realizada por uma entidade que endossa uma ideologia e agenda política em vigor no Brasil destinadas a manter parcelas da população dependentes de grupos políticos, de governos, do Estado. Porque a pobreza, para esses grupos políticos, não é um problema a ser solucionado, mas um ativo a ser preservado para garantir a existência de partidos como o PT e institutos como a Fundação Perseu Abramo.

Ver Todos os artigos de Bruno Garschagen