s
Iscas Intelectuais
Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

Café Brasil 736 – Coisas Sobre Você
Café Brasil 736 – Coisas Sobre Você
A Bianca Oliveira é jornalista, apresentadora de ...

Ver mais

Café Brasil 735 – Morrer de quê?
Café Brasil 735 – Morrer de quê?
Fala a verdade, quem é que não se pegou pensando sobre ...

Ver mais

Café Brasil 734 – Globalização e Globalismo
Café Brasil 734 – Globalização e Globalismo
Olha, vira e mexe a gente ouve falar em globalização e ...

Ver mais

Café Brasil 733 – Agro Resenha
Café Brasil 733 – Agro Resenha
O agronegócio, que talvez seja o mais espetacular caso ...

Ver mais

Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Nos 14 anos em que produzimos podcasts, esta talvez ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

O turismo e a economia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O turismo e a economia A indústria do turismo passou certamente pelo maior desafio das últimas décadas, mas é forte o bastante para superar. Esteja atento às possibilidades tecnológicas e agregue ...

Ver mais

O boom no turismo regional no mundo pós-pandemia do coronavírus
Michel Torres
Estratégias para diferenciação e melhor aproveitamento da imensa demanda por hotéis e pousadas Um detalhe sobre a pandemia do coronavírus em curso é que as áreas com focos concentrados são ...

Ver mais

Boicote, Coelhinho?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O britânico Charles Cunningham entrou pra História de um jeito muito diferente. Em 1880, foi à Irlanda dirigir os negócios de um grande proprietário de terras local. Acabou entrando em desavenças ...

Ver mais

Aquém do potencial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Aquém do potencial  “A economia está sujeita a conveniências políticas que a levaram por maus caminhos. Por isso enfatizo tanto a gravidade da situação, na esperança de levar seus responsáveis ao ...

Ver mais

Cafezinho 319 – A cizânia
Cafezinho 319 – A cizânia
Fique de olho nos Tullius Detritus que infestam sua vida.

Ver mais

Cafezinho 317 – Declaração de Princípios
Cafezinho 317 – Declaração de Princípios
Quando decidi que lançaria meu primeiro curso on-line, ...

Ver mais

Cafezinho 316 – Não somos estúpidos
Cafezinho 316 – Não somos estúpidos
Não, não é para mergulhar no otimismo cego, que é tão ...

Ver mais

Cafezinho 315 – Como nasce uma palestra
Cafezinho 315 – Como nasce uma palestra
É exatamente como um pintor, um escultor, um músico ...

Ver mais

Abrir as escolas?

Abrir as escolas?

Gustavo Bertoche - É preciso lançar pontes. -

Amigos, neste momento os Estados e municípios estão discutindo sobre a abertura das escolas públicas e particulares.

Defensores da permanência do fechamento das escolas argumentam que “mais importante é a vida”.

Eu concordo: mais importante é a vida. Justamente por isso defendo que as escolas – especialmente as públicas – voltem a funcionar.

* * *

O argumento dos defensores da manutenção das escolas é que haverá uma enorme disseminação do vírus entre as crianças, e isso significará uma imensa mortandade infantil. Por isso, eles sustentam que as escolas devam permanecer fechadas.

A premissa de que o vírus se disseminará está correta. Com toda a probabilidade, haverá uma onda de contágio no ambiente escolar.

Mas a premissa de que isso significará a morte das nossas crianças está equivocada. As crianças não são imunes ao Covid, mas têm um baixíssimo risco de morte. Uma pesquisa da American Academy of Pediatrics estima que, nos Estados americanos, as crianças constituam entre 0% e 0,4% do total de mortes – isto é, um risco que está entre 0% e 0,004% entre as crianças testadas positivo, dependendo do Estado. Em outros termos: uma criança que tenha sido testada positivo com o Covid tem entre 99,998% e 99,996% de ficar bem. Sabendo que a imensa maioria das crianças com o vírus nem chega a ser testada, pois não apresenta sintomas, podemos concluir que o risco de morte em caso de contágio infantil é insignificante.

Resumindo: as crianças têm, com o Covid, o mesmo risco de vida que têm com qualquer gripe.

Amigos, a conclusão é óbvia: como não fechamos as escolas por causa da existência das gripes, não devemos fechar por causa do Covid. As crianças com doenças de risco devem permanecer em casa – e as outras devem retornar o mais rápido possível.

* * *

O outro argumento dos defensores do fechamento das escolas é que as crianças contaminarão os adultos. Sim, isso é perfeitamente possível.

Mas, neste caso, devemos ter clareza e honestidade de dizer: não queremos que os nossos filhos voltem à escola não para protegê-los, e sim para nos protegermos. Dado que a ausência das escolas tem feito estragos na vida emocional e intelectual de muitas crianças, a verdade é que estamos colocando o nosso bem-estar à frente do bem estar dos nossos filhos. Estamos sacrificando o bem-estar deles em função do nosso.

* * *

Essa conclusão vale também para os profissionais da escola. Médicos, policiais, bombeiros, motoristas, cozinheiros, garis – todos precisam enfrentar o risco do contágio para que a nossa sociedade continue existindo. Por que com os educadores seria diferente? Naturalmente, os que têm doenças que aumentam o risco de complicações devido ao Covid devem permanecer em casa. Mas todos os outros – entre os quais me incluo, pois sou professor – precisamos retornar às classes. O futuro das nossas crianças depende de nós. Mas estramos trocando o seu futuro pelo nosso bem-estar no presente.

* * *

Todavia, amigos, não é essa a mais séria razão pela qual as escolas devem reabrir. Há outra muito mais grave.

Muitas crianças, especialmente – mas não só – nas regiões mais pobres, correm sério risco de todo tipo de violência: física, psíquica, emocional, sexual.

Muitas crianças estão, neste exato momento em que você lê, passando pela experiência da desnutrição, de agressão física, de abuso emocional, de abuso sexual.

E isso tem acontecido impunemente.

As escolas não existem somente para “passar conteúdo”, amigos. As escolas são, sobretudo, o olhar atento e protetor da sociedade e do Estado para com as crianças.

É na escola que as violências e os abusos são descobertos e denunciados ao Conselho Tutelar. É na escola que muitas, muitíssimas crianças têm o alimento, o carinho e a proteção que, infelizmente, não recebem em casa.

Manter as escolas fechadas significa, para essas crianças, dar carta branca aos seus abusadores. E quanto mais tempo as escolas assim permanecerem, maior será o período de terror para muitas delas.

* * *

Amigos, a abertura das escolas, com todos os cuidados, é um imperativo ético: é nossa responsabilidade para com as crianças mais pobres. Não temos o direito de arriscar a vida das crianças – sobretudo daquelas mais carentes – para que nós, os adultos, nos sintamos mais seguros.

Sim, porque o mais grave risco para as crianças não está dentro da escola: está fora dela. E, para muitas, a escola é a sua única salvação.

Ver Todos os artigos de Gustavo Bertoche