s
Iscas Intelectuais
Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

Café Brasil 746 – O viés
Café Brasil 746 – O viés
Você já se pegou forçando a barra para que os fatos ...

Ver mais

Café Brasil – A chamada
Café Brasil – A chamada
Meu conteúdo vale muito desde que seja de graça.

Ver mais

Café Brasil 745 – Superhomem
Café Brasil 745 – Superhomem
O programa de hoje passa por igualdade de gêneros. E ...

Ver mais

Café Brasil 744 – Sinalização de virtude
Café Brasil 744 – Sinalização de virtude
Você já ouviu alguns ditados como “faça o que digo, não ...

Ver mais

LíderCast 211- Luis Grottera
LíderCast 211- Luis Grottera
Um nome importante do mundo da propaganda brasileira, ...

Ver mais

LíderCast 210 – Sarah Rosa
LíderCast 210 – Sarah Rosa
“Atriz pornô e acompanhante” como ela mesma se define. ...

Ver mais

LíderCast 209 – Gabriel Lima
LíderCast 209 – Gabriel Lima
CEO da Enext e uma das mais jovens referências nos ...

Ver mais

LíderCast 208 – Alon Lavi
LíderCast 208 – Alon Lavi
Bacharel em Engenharia Biotecnológica na Universidade ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Mainstream
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Mainstream Tema atual e oportuno  “As indústrias criativas não são mais hoje em dia um tema exclusivamente americano: são um tema global.” Frédéric Martel Acabo de ler Mainstream. Concluído em ...

Ver mais

Vacinas para quem precisa
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não, o assunto não é a vacina contra a Covid-19. Por dois motivos: Primeiro, tem gente demais dando opinião sobre isso, e a maioria totalmente leiga no assunto. A coisa virou briga política, e ...

Ver mais

A montanha-russa peruana
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A montanha-russa peruana Peru em flashes  “Desde a década de 1970, a democracia na América Latina cresceu num clima internacional favorável, mas suas vantagens são prejudicadas pela fraqueza de ...

Ver mais

A nova esquerda e a ideologia ultraliberal
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Amigos, a nossa alienação nunca está onde nós acreditamos que ela esteja: a nossa alienação está justamente onde temos certeza de que enxergamos a realidade.   Digo isso porque percebo, em boa ...

Ver mais

Cafezinho 339 – Bote na rua esses urubus
Cafezinho 339 – Bote na rua esses urubus
Mantenha por perto quem quer construir. Livre-se dos ...

Ver mais

Cafezinho 338 – Cobertor de casal
Cafezinho 338 – Cobertor de casal
Ir de um post ao outro foi como sair de uma sauna e ...

Ver mais

Cafezinho 337 – Erebus e Terror
Cafezinho 337 – Erebus e Terror
A Expedição Franklin, no final do século 19, apesar de ...

Ver mais

Cafezinho 336 – Dê uma chance pra sorte
Cafezinho 336 – Dê uma chance pra sorte
Não dá pra provocar a sorte. Mas dá pra dar uma chance ...

Ver mais

Abrir as escolas?

Abrir as escolas?

Gustavo Bertoche - É preciso lançar pontes. -

Amigos, neste momento os Estados e municípios estão discutindo sobre a abertura das escolas públicas e particulares.

Defensores da permanência do fechamento das escolas argumentam que “mais importante é a vida”.

Eu concordo: mais importante é a vida. Justamente por isso defendo que as escolas – especialmente as públicas – voltem a funcionar.

* * *

O argumento dos defensores da manutenção das escolas é que haverá uma enorme disseminação do vírus entre as crianças, e isso significará uma imensa mortandade infantil. Por isso, eles sustentam que as escolas devam permanecer fechadas.

A premissa de que o vírus se disseminará está correta. Com toda a probabilidade, haverá uma onda de contágio no ambiente escolar.

Mas a premissa de que isso significará a morte das nossas crianças está equivocada. As crianças não são imunes ao Covid, mas têm um baixíssimo risco de morte. Uma pesquisa da American Academy of Pediatrics estima que, nos Estados americanos, as crianças constituam entre 0% e 0,4% do total de mortes – isto é, um risco que está entre 0% e 0,004% entre as crianças testadas positivo, dependendo do Estado. Em outros termos: uma criança que tenha sido testada positivo com o Covid tem entre 99,998% e 99,996% de ficar bem. Sabendo que a imensa maioria das crianças com o vírus nem chega a ser testada, pois não apresenta sintomas, podemos concluir que o risco de morte em caso de contágio infantil é insignificante.

Resumindo: as crianças têm, com o Covid, o mesmo risco de vida que têm com qualquer gripe.

Amigos, a conclusão é óbvia: como não fechamos as escolas por causa da existência das gripes, não devemos fechar por causa do Covid. As crianças com doenças de risco devem permanecer em casa – e as outras devem retornar o mais rápido possível.

* * *

O outro argumento dos defensores do fechamento das escolas é que as crianças contaminarão os adultos. Sim, isso é perfeitamente possível.

Mas, neste caso, devemos ter clareza e honestidade de dizer: não queremos que os nossos filhos voltem à escola não para protegê-los, e sim para nos protegermos. Dado que a ausência das escolas tem feito estragos na vida emocional e intelectual de muitas crianças, a verdade é que estamos colocando o nosso bem-estar à frente do bem estar dos nossos filhos. Estamos sacrificando o bem-estar deles em função do nosso.

* * *

Essa conclusão vale também para os profissionais da escola. Médicos, policiais, bombeiros, motoristas, cozinheiros, garis – todos precisam enfrentar o risco do contágio para que a nossa sociedade continue existindo. Por que com os educadores seria diferente? Naturalmente, os que têm doenças que aumentam o risco de complicações devido ao Covid devem permanecer em casa. Mas todos os outros – entre os quais me incluo, pois sou professor – precisamos retornar às classes. O futuro das nossas crianças depende de nós. Mas estramos trocando o seu futuro pelo nosso bem-estar no presente.

* * *

Todavia, amigos, não é essa a mais séria razão pela qual as escolas devem reabrir. Há outra muito mais grave.

Muitas crianças, especialmente – mas não só – nas regiões mais pobres, correm sério risco de todo tipo de violência: física, psíquica, emocional, sexual.

Muitas crianças estão, neste exato momento em que você lê, passando pela experiência da desnutrição, de agressão física, de abuso emocional, de abuso sexual.

E isso tem acontecido impunemente.

As escolas não existem somente para “passar conteúdo”, amigos. As escolas são, sobretudo, o olhar atento e protetor da sociedade e do Estado para com as crianças.

É na escola que as violências e os abusos são descobertos e denunciados ao Conselho Tutelar. É na escola que muitas, muitíssimas crianças têm o alimento, o carinho e a proteção que, infelizmente, não recebem em casa.

Manter as escolas fechadas significa, para essas crianças, dar carta branca aos seus abusadores. E quanto mais tempo as escolas assim permanecerem, maior será o período de terror para muitas delas.

* * *

Amigos, a abertura das escolas, com todos os cuidados, é um imperativo ético: é nossa responsabilidade para com as crianças mais pobres. Não temos o direito de arriscar a vida das crianças – sobretudo daquelas mais carentes – para que nós, os adultos, nos sintamos mais seguros.

Sim, porque o mais grave risco para as crianças não está dentro da escola: está fora dela. E, para muitas, a escola é a sua única salvação.

Ver Todos os artigos de Gustavo Bertoche