s
Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

As batatas

As batatas

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

“O que é o que é: Tem dois quilômetros, e no final você compra um quilo de batatas pelo preço de vinte? Fila do açougue em país comunista.”

        A piada é tão velha quanto certeira. Quem duvidar, que vá à Venezuela, enquanto ainda existe. E, se a razão e a democracia não voltarem àquele lugar, o fim está próximo – isso se, numa falta aguda de final feliz pra essa novela macabra, o estúpido Nicolás Maduro não lançar seu país (não é figura de linguagem, o país é dele mesmo; dele e de sua quadrilha animalesca) numa guerra para esconder a miséria ou culpar algum incauto. Nós, por exemplo.

Essa gente não aprende. Não quer. Trata-se, positivamente, de uma doença. Não há alternativa razoável para diagnóstico. Junte-se todas as guerras do século XX e XXI, somadas a todas as desgraças naturais ocorridas no mesmo período, e chegar-se-á (agora pode-se usar mesóclise novamente, ufa, e escrever “presidente” também) a um número inferior à totalidade de mortes causadas pelo comunismo; tanto de morte matada (guerras, execuções, genocídios, julgamentos sumários) quanto de morte morrida (fome, doenças, miséria, privações). Raspe-se (ênclise também tá liberada, o Dilmês acabou) toda a geopolítica histórica contemporânea em lugares dominados por essa doença, como a antiga Albânia, Romênia, a ex-URSS, os satélites soviéticos, a imunda e podre Cuba, a pior ainda Coreia do Norte, e tantos outros lugares onde não havia liberdade, democracia ou direitos civis, e só restará um século de boçalidade sem limite, morte, tortura, agonia, e um legado zero em tecnologia ou qualquer outro ramo aproveitável. Isso foi (é) o comunismo. Mas a luta continua, camarada. O inferno é o limite.

No Brasil temos uma coisa muito parecida, um ornitorrinco sócio-político de cunho psicótico: O lulismo. Quem dessa seita participa não pode – jamais! – esquecer um de seus dogmas mais preciosos: A culpa é sempre dos outros. Não importa que tenhamos pastado com essa gente por 13 longos anos, vendo implantada sua ideologia comprovadamente insustentável. Não só implementaram seus planos absolutamente insanos como, ao colher o previsível desastre final, culparam todos os que dele não participaram.

Novidade? Nenhuma. Em 1989, logo em seguida à queda do Muro de Berlim e à bancarrota humilhante da União Soviética, Roberto Campos disse que, para essa gente, a queda do Muro e da URSS não foi um fracasso, mas apenas um sucesso mal explicado.

O preâmbulo, até aqui, foi mais longo que o cerne da questão. Grave, tanto quanto indecente, ou mesmo criminoso, que veio das páginas do site O Vermelho, espécie de porta-voz (involuntariamente cômico) do PCdoB. Em texto recente, o site veiculou “artigo” culpando os judeus pelos problemas brasileiros. Não, não é brincadeira. O texto, aparentemente, foi retirado do site, mas não calou as bocas que, com toda razão, reclamaram dessa calculada maluquice.

Como lembrou Carlos Brickmann, repetindo o texto original da indecência racista, “O portal Vermelho, do PCdoB, Partido Comunista do Brasil, fiel apoiador dos governos petistas, descobriu os responsáveis pelo afastamento de Dilma Rousseff da presidência da República: os judeus, naturalmente, lado a lado com os Estados Unidos. “Israel passou a controlar, com seus sionistas, três setores-chave do governo golpista: Defesa (Raul Jungmann), Inteligência (Sergio Etchegoyen) e BC (Ilan Goldfajn)”.Goldfajn é presidente do Banco Central, judeu. O general Sérgio Etchegoyen e Raul Jungmann são cristãos, sem ligação com Israel, judaísmo ou sionismo. E o portal do PCdoB mostra os ideais do partido.”

        Pois é. A missão do atual governo interino, e dos vindouros, é curar o País disso. Lembrando que os judeus, caçados, mortos às centenas de milhares por Stalin (só seu ex-sócio Adolfinho levou fama de antissemita genocida, olha que coisa interessante), ficariam muito felizes com algumas batatas mofadas para alimentar seus filhos meio mortos de fome.

E essa gente se intitula “progressista”. Taspariu, pelamor.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes