Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Olha, os dias andam um saco! Todo mundo nervoso, ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

5 ações de marketing para ajudar a superar a crise do coronavírus
Michel Torres
Negócios em todo o mundo estão sentindo os efeitos da pandemia: menos clientes, menor receita e o medo de não ter condições de aguentar esse tempo de prejuízo. Precisamos salvaguardar a saúde e o ...

Ver mais

Brasis
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Brasis  “Quanto tempo um homem deve virar a cabeça, fingindo não ver o que está vendo?” Bob Dylan Minha primeira lembrança pra valer do que vou focalizar neste artigo é de quando li Os dos ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Qual janela você escolheu para ver o mundo?

Ver mais

Bate o pé, arrebita, arrebita

Bate o pé, arrebita, arrebita

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Já pregava o filósofo do cotidiano, Homer Simpson: “A culpa é minha e ponho ela em quem eu quiser!” Sábias, tais palavras realmente não são… Mas, extremamente reveladoras do pensamento inerente ao safado que foge às responsabilidades culpando o incauto mais à mão.

Dessa prática, Lula é recorrente. Nunca um sujeito lançou tanto esse argumento podre, pós-doutorado em tirar o corpo fora. Lula não se corrige; motivo de riso (antigamente) e de desprezo (atualmente) em todo o mundo evoluído, parece não se dar conta da plena estupidez exibida em seus surtos de demência – ou embriaguez total, sabe-se lá. A gama é variada; da ocasião na qual disse que Napoleão esteve na China várias vezes, passando pela explicação de que a poluição não seria problema se a Terra fosse quadrada, ou afirmando que a Bolívia não faz fronteira com o Brasil, até a novidade de que o Atlântico separa EUA e nosso País. Melhor nem comentar sua imbecilidade no plano econômico.

Mas o duende inova, e junta sua ignorância à mania de culpar os outros pela própria desídia: Noutro arroubo dialético, zurrado em Madri na última sexta (dia 11), debitou aos portugueses a desgraça da Educação brazuca. Para o sujeitinho, nosso ensino sofrível é culpa dos portugas, que teriam demorado a instalar aqui a 1ª universidade; de acordo com as informações fornecidas por seu cérebro baleado pelo álcool e pelo esquerdismo caviar, só em 1922 teríamos inaugurado a primeira. Pelas barbas de Heródoto, quanta asneira!

O governo luso ainda não se pronunciou, mas a imprensa e a mídia de lá caíram de pau, sem dó; dançaram um fado na cabeça do ignorante. Informativos como Observador e Diário de Notícias, entre outros, tanto quanto jornais e redes sociais, brincaram de Roberto Leal na apodrecida moral desse morto vivo político, que só espera a visita do japonês da Polícia Federal pra deitar pra sempre.

A ironia (sempre há uma!) é que foram justamente os portugas que ofertaram ao apedeuta seu primeiro título honoris causa, mesmo sem haver causa – muito menos honra. Castigo? Talvez. É o preço que se paga por afagar o ego monstruoso de quem deveria discursar apenas em reunião no pátio da cadeia durante o banho de sol.

E pior: Tudo isso saindo da boca de esgoto de um sujeitinho que não apenas se julgava merecedor, mas alardeava que seria eleito secretário geral da ONU e merecia o Nobel da Paz; chegou a prometer a solução para o conflito no Oriente Médio apenas com suas arengas de estupidez abissal. Delírios de egolatria espantosa até mesmo para ele.

Três dias depois do escândalo e de muita indignação pelo mundo, Lula se acadelou: “Fui mal interpretado.” É tão ignorante quanto covarde. Não entra em bola dividida e tem um discurso pra cada plateia… Embora às vezes erre o discurso da plateia. Deve ser a marvada.

Resumindo: Nossos primos portugas não têm culpa da falência de nossa educação; têm, e muita, em dar ouvidos a esse sujeitinho, adulando-o no passado. Porém, considerando as atuais investigações da polícia portuguesa, a redenção desse pecadilho está tão próxima quanto a publicidade das ligações espúrias entre Lula e seu amigo e comparsa (hoje presidiário) lisboeta, o ex-premiê português José Sócrates. Em lugar de cátedras, podem oferecer a ambos uma cela contígua, a embalar suas tertúlias penitenciárias; vão concluir que a culpa de nosso naufrágio econômico é dos fenícios, vikings ou dos hititas. A mamulenga concorda, “diuturna e noturnamente”. Bate o pé, arrebita.

***

Falando na mamulenga Dilma e sua “nova matriz econômica”, espelhada na nossa desgraça econômica e na falência venezuelana, basta esse trecho de Roberto Campos:

No meu dicionário, ‘socialista’ é o cara que alardeia intenções e dispensa resultados, adora ser generoso com o dinheiro alheio, e prega igualdade social, mas se considera mais igual que os outros… – Segundo Marx, para acabar com os males do mundo, bastava distribuir. Foi fatal. Os socialistas nunca mais entenderam a escassez. – Os socialistas, e em especial os marxistas, sempre pensaram que existia um estado natural de abundância. Nada mais simples, portanto, que a economia de Robin Hood: tirar dos ricos para dar aos pobres. – Os esquerdistas, contumazes idólatras do fracasso, recusam-se a admitir que as riquezas são criadas pela diligência dos indivíduos, e não pela clarividência do Estado.”

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes