Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Birra cara

Birra cara

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

                Saudades de JK, que era fissurado apenas em rabo-de-saia. A presidonta Dilma é internacionalmente conhecida pela birra. A sujeita não pode ser contrariada que já toma isso por ofensa pessoal, reduzindo o interlocutor a cocô do cavalo do bandido diante da fúria da gerentona. Os casos somam-se às dezenas, dos ideológicos aos puramente psiquiátricos, mas o caso da Indonésia passou de qualquer limite aceitável.

                A história todo mundo conhece; aquele país tem leis duríssimas contra tráfico de drogas e condenou dois traficantes brasileiros à morte. Um foi executado, o outro aguarda a decisão final. Dilma ficou irritadíssima, defendendo os traficantes nacionais como se fossem dois São Francisco; só falta declarar guerra ao governo indonésio. Pouco importa se são criminosos incorrigíveis, e a severa lei antidrogas era de pleno conhecimento de ambos. Traficaram sabendo do risco, e levando a morte, doença e miséria a centenas de jovens de lá. Ponto final. Mas Dilminha não concorda. Ela exige que sua vontadezinha jeca seja acatada. Pura birrinha de madame contrariada.

                Dilma se acha muito poderosa e importante, ilusão que seu antecessor, mentor e criador também alimentava, embora ambos sejam motivo de piada ou desprezo (às vezes os dois) em qualquer país minimamente decente. Até seus aliados internacionais os desprezam, mal disfarçando, como os sul-americanos Mujica, Maduro e Cristina Kirchner, a doida de chupar meia. Apesar disso, não descem do mísero degrau que galgaram, crendo ser uma montanha. Lula, ao menos, tenta fingir que é simpático. Dilma só falta pedir que os mortais ajoelhem ante sua divina figura. É a arrogância personificada. Falta-lhe um Coliseu pra chamar de seu, decidindo com o polegar quem vive ou morre.

                Pra mostrar ao governo “inimigo” que está muito bravinha, atropelou a diplomacia, desprezou o Itamaraty e expôs o embaixador de lá ao ridículo, recusando suas credenciais em cerimônia pública; coisa de adolescenta revoltadinha. Showzinho desnecessário… e caro.

                A Indonésia não quer levar (outro) desaforo pra casa; chamou de volta o embaixador defenestrado publicamente e anunciou que pensa recusar nossas exportações, que somaram US$ 2,2 bilhões só em 2014, ano em que esses dois países alcançaram um total de US$ 4 bilhões em comércio bilateral. Nada desprezível para o Brasil, que rola ladeira abaixo sem nenhum arbusto pra agarrar. Pior: nossos desafetos por ordem dilmística podem desistir dos 16 aviões de combate EMB-314 Super Tucano que iam comprar da Embraer. Iam. E Dilma? Só falta cuspir na sopa deles. Ela se lixa para o País; o que importa mesmo é sua birrinha. Quer impor sua vontade a um país de leis próprias e cultura diferente, mas aceita que a Bolívia nos roube duas refinarias da Petrobrás e ainda dá beijinhos no ladrão Evo Morales. Se isso não é a maior demonstração de birrinha internacional da História da Diplomacia, que apontem alguma outra pro páreo.

                Dilma tá se lixando para os traficantes brasileiros, assim como se lixa para os 60 mil assassinatos ocorridos todos anos aqui na Banânia. Ou com os assassinatos promovidos pelos “governos” de Venezuela e Cuba. Esses têm, segundo ela, permissão para matar, como um 007 bolivariano. Essa gente tem uma arrogância patológica, típica de quem precisa esconder sua incapacidade, achando que a disfarça sob uma face artificialmente severa. Que coisa ridícula, infantil.

                Pela estranha régua birrenta do lulismo, um traficante vale muito mais que um cidadão honesto. E nós pagamos a conta, como sempre. Cara, cara, cara.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes