Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

TRIVIUM CAP.2 – FORMA DA LINGUAGEM (parte 3)

TRIVIUM CAP.2 – FORMA DA LINGUAGEM (parte 3)

Alexandre Gomes -

Pois bem, no texto anterior eu falei sobre a MATÉRIA da palavra – lembra? Que a matéria da linguagem é o seu corpo (SOM); ou seja, palavras. Também falei sobre a FORMA da linguagem, que é a sua ALMA. Ou melhor, seu significado. Portanto, as palavras podem significar tanto INDIVÍDUOS quanto ESSÊNCIAS.

Qual a diferença, então? (entre indivíduo e essência)

INDIVÍDUO é qualquer ser físico que exista. E por físico, digo algo que tenha substância, matéria. Que você possa tocar. Logo, todo ser material que exista (ou tenha existido) é um INDIVÍDUO. Pois esse ser É ELE MESMO E NÃO OUTRO. Se a coisa que vejo é uma pedra, logo não é uma calopsita; que também não pode ser… o Pablo Vittar! – que é outro individuo por si só, diferente de qualquer outro ser.

ESSÊNCIA é aquilo que faz o ENTE (indivíduo) ser o que é, e sem o qual não seria o TIPO que é. Perceba, ESSÊNCIA é aquilo que torna um indivíduo SEMELHANTE aos outros de sua classe. Algo como: tanto um abacateiro como um coqueiro são árvores porque têm raiz, caule e folhas. João e Augusto são homens porque ambos têm o cromossomo Y. Note que há um (ou um conjunto de) elemento comum que agrupa indivíduos distintos, mesmo havendo diferenças evidentes entre eles.

Em resumo, ESSÊNCIA é o conceito abstrato que agrupa INDIVÍDUOS em uma CLASSE.

Já INDIVÍDUO é o ser MATERIAL (e por isso único) que o diferencia de outros indivíduos de sua CLASSE ou ESPÉCIE.

GÊNERO, no caso, é a ampliação da ideia abstrata de ESPÉCIE (ou CLASSE). Ou seja, quando existe um elemento ABSTRATO (essência) comum a duas ou mais espécies, temos um GÊNERO. Exemplo: ANIMAL é um gênero que junta o homem, o cavalo, o peixe e até o caramujo!

Porém, não pode fazer parte do gênero animal um pé de tamarindo, por mais que se goste da fruta.

O caráter ABSTRATO do conceito Gênero é tal, que é IMPOSSÍVEL pintar um retrato de “animal”. Muito menos um quadro de um TIPO ou ESPÉCIE (o mesmo pode ser dito de uma ideia abstrata em si). Por exemplo, ninguém desenha a CLASSE cachorro, o que é possível é desenhar um cão individual: o Scooby-doo, por exemplo. E quando disse antes que não é possível desenhar/pintar uma ideia abstrata em si é por que não existe um símbolo universal que represente o medo. O que temos, no máximo, é a expressão facial de pavor, comum em todos os homens – olhos arregalados, sobrancelhas levantadas e boca aberta.

Notou que para representar uma ideia abstrata, necessitamos de um indivíduo material para exibir um SENTIMENTO? E que essa comunicação foi UNIVERSAL, algo como um SIGNO NATURAL (lembra da lição anterior sobre fumaça ser um sinal natural para fogo?). Ah, importante! Não confunda indivíduo com pessoa, certo? Estamos tratando de ENTES, então um indivíduo pode ser tanto um ser humano, um animal ou um objeto (ou coisa).

Voltando ao tema de hoje… você percebeu que usei várias vezes expressões como “agrupar” e “juntar”? Contudo, tenha muito cuidado para não confundir AGREGADO – que é um ajuntamento aleatório de indivíduos, com ESPÉCIE ou GÊNERO. Para esses dois últimos, é necessário haver um elemento essencial que une tais indivíduos. Já um AGREGADO, é apenas um amontoado, ou segmentação, de algo – ou seja, algo como o conjunto de objetos em uma sala de estar (poltrona, mesa de centro, tapete, abajur, televisor).

Perceba, o termo “mulheres do século XIX” pode parecer uma espécie, mas é só um AGRUPAMENTO! Pois exclui as mulheres de todos os outros séculos! (passados e futuros).

ESPÉCIES ou GÊNEROS SEMPRE significam uma ESSÊNCIA que inclui todos os indivíduos sem distinção de tempo e espaço.

Concluindo os termos deste trecho estudado hoje:

Essência: é o que faz um ENTE ser o que É.

Espécie: é uma CLASSE composta por ENTES (indivíduos) que têm em comum a mesma ESSÊNCIA ESPECÍFICA.

Gênero: é uma CLASSE MAIS AMPLA, composta por duas ou mais espécies DIFERENTES, mas que mesmo assim compartilham uma ESSÊNCIA ESPECÍFICA COMUM.

Agregado: é um grupo que consiste de dois ou mais INDIVÍDUOS, arbitrariamente colocados juntos, sem que haja uma ESSÊNCIA ESPECÍFICA COMUM.

Alguns exemplos pra fixar:

  1. O conjunto árvore e tartaruga pode ser chamado de “seres vivos” [Gênero], mesmo o primeiro item sendo da ESPÉCIE vegetal e o segundo da ESPÉCIE animal;
  2. O conjunto Pablo Vittar e um relógio quebrado é apenas um Agregado de ENTES (INDIVÍDUOS) sem essência específica comum. O cantor é só um humano, e o relógio quebrado um objeto mecânico inanimado que não funciona. É quase impossível encontrar uma característica que os una. Eu poderia forçar a barra e apontar a amplíssima classe dos entes sólidos, para finalmente agrupar Vittar e um relógio quebrado no mesmo GÊNERO.

E eu não vou entrar na discussão da utilidade de um Pablo Vittar ou de um relógio quebrado. Todos sabemos que um relógio quebrado está certo duas vezes por dia!

Ver Todos os artigos de Alexandre Gomes