s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

Descrença

Descrença

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Estes dias recebo uma carta de uma pessoa que se diz melancólica. Questiona o sentido da existência. Trabalha muito em três empregos, nos finais de semana estuda para tentar dar dignidade à sua família. É honesto e tenta pagar todos os impostos em dia. Em sua vida tenta ao máximo ser coerente e não gosta de jeito nenhum de coisas erradas. Mas atualmente se sente melancólico, descrente, para ele os valores da sociedade como  a política nada mais valem. Ele diz que perdeu a esperança e não consegue mais acreditar no que ai está…

Melancolia é um estado natural que ocorre quando rompemos com nosso destino. Quando a força  propulsora do espírito é silenciada. Quando a apatia se torna estilo de vida. Quando omitimos, silenciamos o bom senso que existe dentro de nós. Melancolia é este estado psicológico no qual as coisas perdem o sentido e a graça de existir. Por nossa conjuntura política, econômica, ideológica  rompida, milhares de pessoas vivem atualmente neste estado de que “está ruim mas está bom”… Não é a toa que reelegemos corruptos, falsários de ideologia, pessoas com ficha suja e agora assistimos promessas de campanha descumpridas e ignoradas em uma sacanagem geral e irrestrita. Pátria de otários?

O cenário social tem enorme influência na vida de um indivíduo. Especialmente quando lidamos com recessão, endividamento, ruptura de valores ao ver um país como o nosso arrecadar muito dinheiro destinado a corrupção. Faltar dinheiro pra saúde, educação, para os aposentados e melhoria da vida das pessoas, piorando o cenário a situação triste de ver que isto não vai mudar nem a curto nem a médio prazo. Ao contrário os mecanismos legislativos no Brasil dão garantia em conjunto com o judiciário para que a corrupção seja naturalizada, institucionalizada perpetuando isto por décadas. Projetos sociais como o ficha limpa, e agora  o da responsabilidade fiscal perdem a eficácia por manobras, lacunas mudanças propositais para manter acesa a chama da roubalheira. Assim o povo se mata de trabalhar para sustentar mordomia de políticos… que negociam milhões como se fosse o troco da padaria.

Esta descrença que é um fragmento da melancolia  faz parte hoje do relato de milhares de pessoas. Representou os 37% dos votos nulos e das abstenções na última eleição. É a cara de cansado do pai de família que luta pra tentar fechar as contas e não consegue.

Mas o cenário da descrença vai além. Hoje as pessoas que estão apáticas também tendem a um certo comodismo. Rotina em excesso, pouca criatividade, pouca flexibilidade, raro senso de aventura. E o pior de tudo não levar a própria vocação a sério. Estar longe, distante demais de um dom natural e do que se gosta de fazer é a ruína que paulatinamente retira da existência a alegria de existir. Leve a sério seu dom, o que gosta de fazer e lute pra conseguir algo na vida com paciência, criatividade  e perseverança.

Semana que vem continua…

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima