s
Iscas Intelectuais
Ensaio sobre Palestras e Palestrantes
Ensaio sobre Palestras e Palestrantes
Depois de realizar mais de 1000 palestras no Brasil e ...

Ver mais

Isca Intelectual – O Tema da Vitória
Isca Intelectual – O Tema da Vitória
Senna foi o típico exemplo de que para saber algo, só ...

Ver mais

5o. Sarau Café Brasil
5o. Sarau Café Brasil
Depois da Pandemia, está de volta o #Sarau Café Brasil, ...

Ver mais

Isca Intelectual: o poder da autenticidade
Isca Intelectual: o poder da autenticidade
Coisas que só acontecem quando somos autênticos, quando ...

Ver mais

Café Brasil 822 – Café ao Quadrado
Café Brasil 822 – Café ao Quadrado
Convidei o Christian Gurtner, criador e apresentador do ...

Ver mais

Café Brasil 821 – O amor que nunca morre
Café Brasil 821 – O amor que nunca morre
A Pandemia causou prejuízos em todas as esferas de ...

Ver mais

Café Brasil 820 – My Generations
Café Brasil 820 – My Generations
O conflito de gerações está presente desde o princípio ...

Ver mais

Café Brasil 819 – Num sei por que tô tão feliz
Café Brasil 819 – Num sei por que tô tão feliz
E aí? Como é que você tá, hein? Apanhando da vida? Ela ...

Ver mais

LíderCast 235 – Gilberto Lopes
LíderCast 235 – Gilberto Lopes
Hoje a conversa é com Gilberto Lopes, o Giba, que é CEO ...

Ver mais

LíderCast 234 – Danilo Cavalcante
LíderCast 234 – Danilo Cavalcante
Hoje o convidado é o Danilo Cavalcante, que se diz ...

Ver mais

LíderCast 233 – Flavia Zülzke
LíderCast 233 – Flavia Zülzke
Flavia Zülzke é Head de Marketing, Branding, ...

Ver mais

LíderCast 232 – Giovanna Mel
LíderCast 232 – Giovanna Mel
Hoje a convidada é Giovanna Mel, comunicadora e ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 7 – Silogismo Simples (parte 1)
Alexandre Gomes
Como mencionado na lição anterior, vamos agora tratar de silogismo – que é o raciocínio mais associado à lógica.   Definição: O silogismo é um ATO DE RACIOCÍNIO pelo qual a mente ...

Ver mais

Ser ou não ser criativo: eis a questão
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Ser ou não ser criativo? Eis a questão  “Criatividade é a inteligência se divertindo.” Albert Einstein Nos eventos voltados ao lançamento do livro Economia + Criatividade = Economia Criativa, ...

Ver mais

Diferentes gerações, diferentes traumas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Inflação e crescimento: diferentes gerações, diferentes traumas “Vejo o Brasil como um país que viveria os ideais do crescimento sustentável. É o lugar mais bonito do mundo e integrar o mundo ...

Ver mais

Segura o Tchan
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O Carnaval de 1996 coroou o sucesso da banda de axé É o Tchan/Gera Samba, liderada por Compadre Washington, com a música-chiclete Segura o Tchan. Além da letra – digamos – exótica, a dançarina ...

Ver mais

Cafezinho 491 – Os malabaristas eleitorais
Cafezinho 491 – Os malabaristas eleitorais
Observando a corrida eleitoral, com os malabarismos que ...

Ver mais

Cafezinho 490 – Seja ignorante, por favor!
Cafezinho 490 – Seja ignorante, por favor!
A única certeza que podemos ter é que nas questões ...

Ver mais

Cafezinho 489 – Lucrando na crise
Cafezinho 489 – Lucrando na crise
Há muito tempo compreendi que as pessoas apreendem ...

Ver mais

Cafezinho 488 – Quanta porcaria.
Cafezinho 488 – Quanta porcaria.
Parece que estamos sob um surto psicótico planetário, ...

Ver mais

Diferentes gerações, diferentes traumas

Diferentes gerações, diferentes traumas

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Inflação e crescimento: diferentes gerações, diferentes traumas

“Vejo o Brasil como um país que viveria os ideais do crescimento sustentável. É o lugar mais bonito do mundo e integrar o mundo natural e a economia seria uma agenda perfeita para o Brasil. Portanto, espero que um próximo governo use o desenvolvimento sustentável como um princípio organizacional para o País. Governar de forma honesta e promovendo tecnologia, que é onde a competitividade estará no futuro.”

 Jeffrey Sachs

 

Aproveitando minha viagem a Belém para o lançamento do livro Economia + Criatividade = Economia Criativa, o Prof. Eduardo Costa me convidou para ministrar uma aula na Universidade Federal do Pará (UFPA) para seus alunos dos cursos de Economia e de Direito.

Perguntei a ele o perfil da turma e, quando me informou que era formada, na maioria, de calouros, não tive dúvida e propus o tema Inflação, emprego e renda.

Na exposição, enfatizei o aspecto histórico, apresentando uma série de dados e gráficos de experiências inflacionárias e hiperinflacionárias tanto do Brasil como do exterior, da década de 1920 à de 1990, antes de analisar a situação atual. Como era de se esperar, a esmagadora maioria dos presentes não apenas não havia vivido, mas muitos sequer tinham conhecimento daquelas experiências.

Na sequência, apresentei os dados da atualidade, explicando que, embora a inflação de pouco mais de 10% seja preocupante, a situação é muito diferente da existente no final dos anos 1980 e início dos anos 1990 até a implementação do Plano Real. Prossegui examinando os registros mais recentes que mostram um aumento do emprego formal – ainda que o número de desempregados permaneça elevado – e a queda da renda real, constituindo um quadro complexo que deverá perdurar ainda por algum tempo.

Na fase final, destinada a perguntas, quase todas se referiam aos dados apresentados das inflações e hiperinflações de décadas passadas.

Confesso ter ficado um pouco decepcionado, pois esperava questões relacionadas ao presente e ao futuro da nossa economia. Fui, porém, alertado pelo Prof. Eduardo Costa para um fato relevante. Disse ele: “A geração que está começando o curso universitário agora, assim como a das três décadas anteriores, está traumatizada com o baixo crescimento e cansada de discutir esse assunto. Mas desconhece os dados apresentados sobre inflação, que era o assunto que monopolizava as atenções e traumatizava a geração a que você pertence. Daí o grande interesse dos alunos quando você lhes proporcionou a chance de conhecer melhor e debater o tema”.

Realmente, começando o curso de graduação em 1974, ano em que o crescimento do PIB no Brasil atingiu os 14%, fiz parte de uma geração que ainda surfou na onda do sucesso da economia brasileira que foi uma das que teve melhor desempenho no mundo entre 1870 e 1986, conforme estudo do Prof. Angus Maddison, reconhecido como um dos maiores especialistas em ciclos longos de crescimento. Até então, considerávamos natural ter taxas expressivas de crescimento e os recém-formados eram disputados pelas empresas enquanto estavam ainda na faculdade. A partir da década de 1980 o quadro se modificou totalmente e passamos a conviver com um perverso tripé que combinava estagnação prolongada, inflação crônica e pressão das dívidas (ora externa, ora interna).

A década perdida de 1980, cujo significado fica evidente na figura 1, foi seguida de outras três décadas – 1991-2000, 2001-2010 e 2011-2020 – caracterizadas por taxas de crescimento pífias, abaixo do nosso potencial de crescimento.

Figura 1 – A década perdida*

Fonte: WEFFORT, Francisco. Qual Democracia? (Cia das Letras, pág. 67)

* O índice geral, elaborado pela CEPAL, inclui todos os países latino-americanos, não apenas os aqui listados. 
Não considera os dados de Cuba porque o conceito de produto social é diferente dos demais.


Daí a mudança de perspectiva dos meus contemporâneos e dos economistas mais jovens.

Não há como discordar: diferentes gerações, diferentes traumas.

 

Iscas para ir mais fundo no assunto 

Referências bibliográficas e webgráficas

DAVILA, Anapaula Iacovino; MACHADO, Luiz Alberto; PAULA, Mauricio Andrade de; SANTOS, Sonia Helena. Economia + Criatividade = Economia Criativa. São Paulo: Scriptum, 2021.

MACHADO, Luiz Alberto. Equação complicada. Disponível em http://www.souzaaranhamachado.com.br/2022/04/equacao-complicada/.

WEFFORT, Francisco. Qual democracia? São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado