s
Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Difícil até de dar nome

Difícil até de dar nome

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

Fica no ar aquele aperto no peito… Uma sensação estranha, difícil de nomear, algo indefinido, que não sabemos o que é, nem o que vai dar. Tontura, indecisão, fome de barriga cheia, tudo estranho e fora do comum. Choro sem lágrima. Sorriso sem alegria. Olhar sem vida. Vontade de fazer, mas o quê? E o tempo não espera… apenas passa…

A impotência, quando bate à porta de nossa vida, é  assim, cheia de contradições e de nuances peculiares. É o ser que não é, a boa ideia que não veio, ou, se veio, sumiu. Quem jamais se sentiu assim? Nos dias de hoje é comum tal vivência, pelo desmando político, pela corrupção do Judiciário, pela falta de ética em toda a sociedade, principalmente pela decadência na busca por um sentido de vida. Quem jamais se comoveu pelo choro de criança faminta, pelo irmão deficiente largado… tantos e tão frequentes abandonos pela vida afora. É aquele espelho, deixado com aquele pedacinho nosso, jogado nos barrancos do passado… Vivemos em um mundo onde cada um luta por si, e salve-se quem correr! Um blues de Cartola esquecido.

Mantemos constantemente uma casca de onipotência interessante, criada pelo aspecto social de manutenção do status. Sou melhor e mais forte que isto tudo, potente e bom, desde que se cumpram as regras de minhas duas pílulas excitantes antes de cada ato. Droga! A cada dia mais inventam tais comprimidos de tesão. Até isso tem de ser artificial nos dias de hoje? É muito super herói para tanta pasmaceira e apatia. Batman de cuecas e Mulher Maravilha de camisola.

E assim vivemos um elo paradoxo entre o ser maravilhoso e a inutilidade, entre o tesão desembestado e o broxa. Cindimos a vida em paralelos e perdemos a noção da dinâmica da existência. Negamos o caos da vida, fingindo que ele não existe, ou que ao menos está longe, bem longe.

O volume de pessoas sentindo-se impotentes progride geometricamente, tanto no aspecto físico, quanto no psicológico. Isto advém da visão mecanicista de um ser humano-máquina, capaz de “dar cinco sem tirar”, de dormir apenas três horas por noite, altamente rentável e produtivo, lindo e perfeito em tudo e em todas as situações. Às vezes acho que colocaram na água que bebemos extrato de amendoim mágico do super pateta. Quando ligo a televisão e vejo certas personalidades em entrevista, sinto-me tão mortal, tão falho e mesquinho, tão limitado e medíocre ante tantos feitos divinos. É muita gostosura para tanta patetice. Talvez meu Brasil seja muito mais nórdico que meus olhos conseguem perceber. Falta humildade e pés no chão pra sobreviver em nossa atualidade.

Jorge Antonio Monteiro de Lima

Visite nosso web site:www.olhosalma.com.br

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima