s
Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Duas listas diferentes

Duas listas diferentes

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Já assistiu A Lista de Schindler? Não? Assista, é excelente. Já viu? Veja de novo. Uma das cenas mais tocantes é a da elaboração da lista de pessoas que o protagonista pretende “comprar” do diretor do campo de extermínio de Auschwitz para impedir que sejam enviadas às câmaras de gás. Foi chamada de A Lista da Vida, com toda razão. Quem lá estava seria salvo; quem não estivesse caminharia para a morte lenta e agônica. Os escolhidos passaram à História como “os judeus de Schindler”, mais de 2 mil seres humanos salvos da morte certa pela coragem de um único homem. Estive visitando Auschwitz em 2009, e posso garantir que é uma das maiores representações da expressão “inferno na Terra” de que já se teve notícia. Sair de lá com vida era praticamente um milagre, que um milhão de exterminados e apenas um punhado de sobreviventes confirma.

Estar na lista era sinônimo de salvação.

Aqui, na Banânia, deputistas e senateiros de vários partidos, apoiados de forma retumbante pela escumalha em fuga da lava Jato, decidiram criar uma nova lista de salvação, desta feita inspirada pelos mais baixos instintos, e não pela hombridade. Uma lista de auto-salvação, uma lista de morte – morte da democracia.

Essa imundície em forma de projeto de lei pode ser assim explicada: Uma variante de eleição proporcional, na qual o eleitor (melhor chamar de vítima mesmo) opta não pelos candidatos de sua preferência, mas sim por uma entre várias listas fechadas, de candidatos escolhidos pelos partidos. O fim do mundo.

Resumo da ópera: Segundo essa gentalha, aprovada essa indecência, não votaríamos mais em candidatos, só em partidos. Não é de espantar que essa calhordagem sem limites parta exatamente de quem está enroladíssimo com a justiça. É uma forma de maquiar a situação ruim e levar a vítima, ops, eleitor, a engolir um (ou mais) peixe podre no meio dos bagres de sempre. Eunício Oliveira (PMDB/CE), cuja folha corrida dispensa maiores apresentações, afirma que a aprovação dessa imundície é “fundamental”. Só se for para ele; para nós, aqui no fundo do porão do navio negreiro da Banânia, vivendo com as migalhas que Brasília nos envia com ares de soberba magnânima, seria passagem só de ida para o inferno. Se já estamos num purgatório tentando escolher os menos piores, avaliem só se não pudermos contar nem ao menos com essa opção?

Não por acaso, a lulada amou a ideia, abraçando-a com carinho e ânimo desmedidos. Os sujeitos, independentemente de partido (visto que nenhum deles apresenta uma linha de pensamento e conduta digna de assim ser chamada, pois o desejo de locupletar-se sobrepõe qualquer ideologia, filosofia ou razão política), unem-se contra nós e a favor, unicamente, deles próprios, e a prova cabal disso é um detalhe do projeto, uma fofura: Os parlamentares atuais teriam preferência nessas listas fechadas, mantendo o foro privilegiado e a enorme probabilidade de reeleição. Não é um mimo?

Tenham vergonha na cara, por favor. Pelo menos um mínimo, só pra disfarçar.

Aprovada essa imundície, estaremos ainda mais próximos da Venezuela – no sentido da desgraça total. Vade retro. E atenção: Pra valer já nas eleições de 2018, essa bandidagem teria de ser aprovada até setembro deste ano. Dá pra sentir na cara e no suor abundante dos inimigos da democracia o desespero pra acelerar a coisa toda.

A lista de Schindler tirava as pessoas do horror. A de Eunício nos leva a ele. E sem volta.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes