s
Iscas Intelectuais
O Lado Cheio
O Lado Cheio
Aqui é o lugar onde você encontrará análises sobre o ...

Ver mais

Pelé e os parasitas.
Pelé e os parasitas.
Meu herói está lá, a Copa de 1970 está lá, o futebol ...

Ver mais

Branding a preço de banana.
Branding a preço de banana.
Quanto vale o branding? Pelo que estou vendo acontecer ...

Ver mais

O Tigre Branco. Ou poderia ser Cidade de Budah…
O Tigre Branco. Ou poderia ser Cidade de Budah…
Um grande comentário sócio-político sobre a divisão em ...

Ver mais

Café Brasil 765 – Foxes and Fossils
Café Brasil 765 – Foxes and Fossils
 Você já sabe que a Perfetto patrocina o Café Brasil ...

Ver mais

Café Brasil 764 – LíderCast Live – Gastronomia Viva
Café Brasil 764 – LíderCast Live – Gastronomia Viva
Medidas restritivas desproporcionais impostas pelos ...

Ver mais

Café Brasil 763 – A Agro é pop?
Café Brasil 763 – A Agro é pop?
Você já sabe que a Perfetto patrocina o Café Brasil,  ...

Ver mais

Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Da mesma forma como o Youtube joga no colo da gente um ...

Ver mais

LíderCast 217 – Amyr Klink
LíderCast 217 – Amyr Klink
Meu nome é Amyr Klink, tenho 65 anos e eu construo viagens.

Ver mais

LíderCast 216 – Denise Pitta
LíderCast 216 – Denise Pitta
Empreendedora digital, dona do site Fashion Bubbles, ...

Ver mais

LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
Historiador, professor, comentarista polêmico em rádio ...

Ver mais

LíderCast 214 – Bianca Oliveira
LíderCast 214 – Bianca Oliveira
Jornalista e apresentadora, hoje vivendo na Europa, ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

John Williamson e o Consenso de Washington
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
John Williamson e o “Consenso de Washington” “O Consenso de Washington já foi “aquela babaquice” reproduzida por Marcos Lisboa no início do governo Lula, citando a famigerada entrevista de Maria ...

Ver mais

Comércio Eletrônico no Brasil e que fazer em 2021
Michel Torres
No início de abril passávamos pela primeira experiência de fechamento do comércio na maioria das cidades no Brasil em função da pandemia do COVID-19. Esse grande desafio global estava apenas ...

Ver mais

Três livros sobre corrupção e como combatê-la
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A corrupção e o desafio de combatê-la em três livros “Ao contrário da maioria dos crimes violento ou passionais, a corrupção em larga escala é um crime absolutamente racional, baseado na análise ...

Ver mais

Richard Feynman desancando a universidade brasileira… de 1951
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Como acabar com o mito de que a educação brasileira dos anos 50 tinha boa qualidade…   Em 1951, o físico norte-americano Richard Feynman (que posteriormente ganharia o Nobel de Física) veio ...

Ver mais

Cafezinho 377 – Uma onda de crimes
Cafezinho 377 – Uma onda de crimes
“Notícia” é tudo aquilo que o jornalista ou editor ...

Ver mais

Cafezinho 376 – Amizades supérfluas
Cafezinho 376 – Amizades supérfluas
Não tenho tempo de vida para amizades supérfluas.

Ver mais

Cafezinho 375 – As Mídias E Eu
Cafezinho 375 – As Mídias E Eu
Dias 26, 27 e 28 de abril vai acontecer o DESAFIO AS ...

Ver mais

Cafezinho 374 – Amizades perdidas
Cafezinho 374 – Amizades perdidas
Não brigue com seu amigo por causa da política. Depois ...

Ver mais

Economia da desigualdade

Economia da desigualdade

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Economia da desigualdade

“Os valores que conferem ao capitalismo sua legitimidade são prosperidade e liberdade para todos. […[ Se você concentra poder e renda em um pequeno grupo, o crescimento econômico desacelera, as taxas de inovação desaceleram, a raiva cresce. O que faz uma sociedade mais próspera e rica no longo prazo é trazer todos para dentro da sociedade, dar chances a todos.”
Rebecca Henderson

Participando recentemente de um Diálogo no Espaço Democrático, o Prof. José Márcio Camargo afirmou que trabalhar com foco na desigualdade e na pobreza não é novidade para economistas brasileiros. A novidade é a atenção que tais aspectos vêm merecendo nos últimos tempos de economistas de países desenvolvidos.

Tal afirmação aguçou minha curiosidade e, pesquisando a respeito, constatei que ele está coberto de razão. Efetivamente, um número expressivo de economistas brasileiros vem se debruçando sobre questões dessa natureza já há algum tempo, destacando-se entre eles, além do próprio José Márcio Camargo, os economistas Ricardo Paes de Barros, Marcelo Nery, Ricardo Henriques e Eduardo Matarazzo Suplicy, incansável defensor do Programa de Renda Mínima.

Observei também que em outros países não desenvolvidos o tema desperta grande interesse. Amartya Sen, ganhador do Prêmio Nobel de Economia em 1998 e um dos formuladores do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), e Muhammad Yunus, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 2006 e idealizador do Banco do Povo, cujas vidas estão intimamente ligadas à realidade da Índia e de Bangladesh, são exemplos notórios disso.

Relatório recém-publicado pela Academic Influence, sobre os economistas mais influentes de 2011 a 2020, reforça a afirmação do Prof. José Márcio Camargo. Pelo menos seis dos economistas relacionados, a começar pelo festejado Thomas Piketty, autor do best seller O capital no século XXI, tem enfatizado questões vinculadas à desigualdade em suas pesquisas e publicações. Além dele, Esther Duflo e seu marido Abhijit Banarjee (do MIT), Gabriel Zucman (da UCLA) e Samuel Bowles (da Universidade de Siena). Na maior parte dos casos, o que tem chamado a atenção destes economistas para a questão da desigualdade é a apropriação de parcela crescente da renda por uma ínfima parcela de bilionários em diversos países.

Alguns outros economistas mencionados no relatório têm também se voltado para aspectos relacionados à pobreza e/ou à desigualdade, embora estes não fossem historicamente, seus focos principais. É o caso de Paul Krugman, de Princeton, que tem se dedicado à nova geografia econômica, Emmanuel Saez, da UCLA, e Jeffrey Sachs, de Columbia, que escreveu um livro com o título O fim da pobreza.

Na conclusão de sua participação no Diálogo no Espaço Democrático, o Prof. José Márcio Camargo defendeu com veemência a tese de que para amenizar a desigualdade é condição sine qua non investir em educação, sobretudo na primeira infância. Sobre esse aspecto, na relação da Academic Influence consta o nome de James Heckman, da Universidade de Chicago e ganhador do Prêmio Nobel de Economia de 2000 por seus estudos sobre retornos econômicos da educação. Entre nós brasileiros, Eduardo Giannetti tem sempre mencionado a importância do investimento em capital humano, e Heloísa Oliveira, atualmente diretora de Relações Institucionais da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, tem desenvolvido um trabalho muito competente relacionado à relevância da educação infantil.

Vale a pena conferir.

 

Iscas para ir mais fundo no assunto

Referências e indicações bibliográficas e webgráficas

AUSTIN, Sara L., EdD. Economistas mais influentes da atualidade. Disponível em https://academicinfluence.com/articles/people/most-influential-economists-today.

BANERJEE, Abhijit V.; DUFLO, Esther. Boa economia para tempos difíceis. Tradução de Afonso Celso da Cunha Serra; revisão técnica de Norberto Montani Martins. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

CAMARGO, José Márcio. Como desatar o nó da falta de trabalho e renda. Diálogo no Espaço Democrático. Disponível em https://espacodemocratico.org.br/noticias/como-desatar-o-no-da-falta-de-trabalho-e-renda/.

PIKETTY, Thomas. O capital no século XXI. Tradução de Monica Baumgarten de Bolle. São Paulo: Intrínseca, 2014.

HENDERSON, Rebecca & HUCK, Luciano. ‘O capitalismo precisa de democracia forte e inclusiva para conseguir se sustentar’. O Estado de S. Paulo, 28 de fevereiro de 2021, pp. H 8-9.

SACHS, Jeffrey. O fim da pobreza: como acabar com a miséria mundial nos próximos vinte anos. Prefácio de Bono; prefácio à edição brasileira de Rubens Ricupero. Tradução de Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. Tradução de Laura Teixeira Motta; revisão técnica de Ricardo Doninelli Mendes. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

STIGLITZ, Joseph. Globalization and its discontents. New York: W. W. Norton & Company, 1994.

_______________ El precio de la desigualdad: el 1% de la población tiene lo que el 99% necesita. Bogotá, Colombia: Taurus, 2012.

YUNUS, Muhammad. Um mundo sem pobreza: a empresa social e o futuro do capitalismo. Tradução de Juliana A. Saad e Henrique Amat Rêgo Monteiro. São Paulo: Ática, 2008.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado