s
Iscas Intelectuais
Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Palestra Planejamento Antifrágil
Palestra Planejamento Antifrágil
Aproveite o embalo, pois além de ouvir a história, você ...

Ver mais

Café Brasil 780 – LíderCast Barone & Priester
Café Brasil 780 – LíderCast Barone & Priester
Pronto. Chegou o dia de conversar com duas referências ...

Ver mais

Café Brasil 779 – Grávida? Você está demitida!
Café Brasil 779 – Grávida? Você está demitida!
Há quatro anos, uma amiga me relatou uma história ...

Ver mais

Café Brasil 778 – Cringe: a maldição dos Millennials
Café Brasil 778 – Cringe: a maldição dos Millennials
Um novo termo entrou em evidência: o cringe. A tradução ...

Ver mais

Café Brasil 777 – Polarização Política
Café Brasil 777 – Polarização Política
Se você não vive em Plutão, já sacou como a polarização ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
E a educação brasileira, como é que vai, hein? Mal, não ...

Ver mais

Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Da mesma forma como o Youtube joga no colo da gente um ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Olímpica expectativa
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Olímpica expectativa “O esporte tem o poder de unificar, passar uma imagem de paz e resiliência, e nos dá esperança de seguir nossa jornada juntos.” Thomas Bach (Presidente do Comitê Olímpico ...

Ver mais

Economia do crime
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Economia do crime  O crime compensa?  “Na faculdade, fui atraído pelos problemas estudados por sociólogos e as técnicas analíticas utilizadas pelos economistas. Esses interesses começaram a se ...

Ver mais

Reprise
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Reprise  Já vi esse filme outras vezes… e não gostei do final A combinação de novas denúncias de irregularidades envolvendo membros do governo, o andamento da CPI da Covid e a sucessão de ...

Ver mais

O infalível ministro
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
A piada é antiga. Dá pra contar, se a turma do politicamente correto ainda não inventou o crime de lusofobia: A famosa cena bíblica do apedrejamento da adúltera, quando o Mestre teria dito… ...

Ver mais

Cafezinho 406 – Ressentimentos passivos
Cafezinho 406 – Ressentimentos passivos
Eu escolhi participar ativamente, usando as armas que tenho.

Ver mais

Cafezinho 405 – O babaca
Cafezinho 405 – O babaca
Qual tipo de reação você acha que levo em consideração ...

Ver mais

Cafezinho 404 – Mantenha-se lúcido.
Cafezinho 404 – Mantenha-se lúcido.
Que tal recuperar a lucidez? Perceber as mentiras, os ...

Ver mais

Cafezinho 403 – A teoria do banheiro mijado.
Cafezinho 403 – A teoria do banheiro mijado.
Eu nunca me conformei de, ao entrar num banheiro, me ...

Ver mais

Economia da desigualdade

Economia da desigualdade

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Economia da desigualdade

“Os valores que conferem ao capitalismo sua legitimidade são prosperidade e liberdade para todos. […[ Se você concentra poder e renda em um pequeno grupo, o crescimento econômico desacelera, as taxas de inovação desaceleram, a raiva cresce. O que faz uma sociedade mais próspera e rica no longo prazo é trazer todos para dentro da sociedade, dar chances a todos.”
Rebecca Henderson

Participando recentemente de um Diálogo no Espaço Democrático, o Prof. José Márcio Camargo afirmou que trabalhar com foco na desigualdade e na pobreza não é novidade para economistas brasileiros. A novidade é a atenção que tais aspectos vêm merecendo nos últimos tempos de economistas de países desenvolvidos.

Tal afirmação aguçou minha curiosidade e, pesquisando a respeito, constatei que ele está coberto de razão. Efetivamente, um número expressivo de economistas brasileiros vem se debruçando sobre questões dessa natureza já há algum tempo, destacando-se entre eles, além do próprio José Márcio Camargo, os economistas Ricardo Paes de Barros, Marcelo Nery, Ricardo Henriques e Eduardo Matarazzo Suplicy, incansável defensor do Programa de Renda Mínima.

Observei também que em outros países não desenvolvidos o tema desperta grande interesse. Amartya Sen, ganhador do Prêmio Nobel de Economia em 1998 e um dos formuladores do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), e Muhammad Yunus, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 2006 e idealizador do Banco do Povo, cujas vidas estão intimamente ligadas à realidade da Índia e de Bangladesh, são exemplos notórios disso.

Relatório recém-publicado pela Academic Influence, sobre os economistas mais influentes de 2011 a 2020, reforça a afirmação do Prof. José Márcio Camargo. Pelo menos seis dos economistas relacionados, a começar pelo festejado Thomas Piketty, autor do best seller O capital no século XXI, tem enfatizado questões vinculadas à desigualdade em suas pesquisas e publicações. Além dele, Esther Duflo e seu marido Abhijit Banarjee (do MIT), Gabriel Zucman (da UCLA) e Samuel Bowles (da Universidade de Siena). Na maior parte dos casos, o que tem chamado a atenção destes economistas para a questão da desigualdade é a apropriação de parcela crescente da renda por uma ínfima parcela de bilionários em diversos países.

Alguns outros economistas mencionados no relatório têm também se voltado para aspectos relacionados à pobreza e/ou à desigualdade, embora estes não fossem historicamente, seus focos principais. É o caso de Paul Krugman, de Princeton, que tem se dedicado à nova geografia econômica, Emmanuel Saez, da UCLA, e Jeffrey Sachs, de Columbia, que escreveu um livro com o título O fim da pobreza.

Na conclusão de sua participação no Diálogo no Espaço Democrático, o Prof. José Márcio Camargo defendeu com veemência a tese de que para amenizar a desigualdade é condição sine qua non investir em educação, sobretudo na primeira infância. Sobre esse aspecto, na relação da Academic Influence consta o nome de James Heckman, da Universidade de Chicago e ganhador do Prêmio Nobel de Economia de 2000 por seus estudos sobre retornos econômicos da educação. Entre nós brasileiros, Eduardo Giannetti tem sempre mencionado a importância do investimento em capital humano, e Heloísa Oliveira, atualmente diretora de Relações Institucionais da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, tem desenvolvido um trabalho muito competente relacionado à relevância da educação infantil.

Vale a pena conferir.

 

Iscas para ir mais fundo no assunto

Referências e indicações bibliográficas e webgráficas

AUSTIN, Sara L., EdD. Economistas mais influentes da atualidade. Disponível em https://academicinfluence.com/articles/people/most-influential-economists-today.

BANERJEE, Abhijit V.; DUFLO, Esther. Boa economia para tempos difíceis. Tradução de Afonso Celso da Cunha Serra; revisão técnica de Norberto Montani Martins. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

CAMARGO, José Márcio. Como desatar o nó da falta de trabalho e renda. Diálogo no Espaço Democrático. Disponível em https://espacodemocratico.org.br/noticias/como-desatar-o-no-da-falta-de-trabalho-e-renda/.

PIKETTY, Thomas. O capital no século XXI. Tradução de Monica Baumgarten de Bolle. São Paulo: Intrínseca, 2014.

HENDERSON, Rebecca & HUCK, Luciano. ‘O capitalismo precisa de democracia forte e inclusiva para conseguir se sustentar’. O Estado de S. Paulo, 28 de fevereiro de 2021, pp. H 8-9.

SACHS, Jeffrey. O fim da pobreza: como acabar com a miséria mundial nos próximos vinte anos. Prefácio de Bono; prefácio à edição brasileira de Rubens Ricupero. Tradução de Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. Tradução de Laura Teixeira Motta; revisão técnica de Ricardo Doninelli Mendes. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

STIGLITZ, Joseph. Globalization and its discontents. New York: W. W. Norton & Company, 1994.

_______________ El precio de la desigualdad: el 1% de la población tiene lo que el 99% necesita. Bogotá, Colombia: Taurus, 2012.

YUNUS, Muhammad. Um mundo sem pobreza: a empresa social e o futuro do capitalismo. Tradução de Juliana A. Saad e Henrique Amat Rêgo Monteiro. São Paulo: Ática, 2008.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado