s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 788 – Love, Janis
Café Brasil 788 – Love, Janis
Janis Joplin era uma garota incompreendida, saiu da ...

Ver mais

Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
O Café Brasil anterior, o 786 – O Cuzão, rendeu, viu? ...

Ver mais

Café Brasil 786 – O cuzão.
Café Brasil 786 – O cuzão.
Cara, como é complicada a vida de podcaster, bicho! A ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
E a educação brasileira, como é que vai, hein? Mal, não ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Menos Marx, mais Mises
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Menos Marx, mais Mises  “Apesar de ainda ser muito pouco conhecido entre os jovens brasileiros em comparação com Karl Marx, o nome do economista austríaco Ludwig von Mises se tornou um dos ...

Ver mais

Você ‘tem fé’ no Estado democrático de direito?
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Hoje, num grupo de professores, um velho colega me escreveu que “tem fé” no “Estado democrático de direito” e na “separação dos poderes”. Mas com uma ressalva: ...

Ver mais

Percepções diferentes na macro e na microeconomia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções diferentes na macro e na microeconomia “Na economia, esperança e fé coexistem com grande pretensão científica e também um desejo profundo de respeitabilidade.” John Kenneth Galbraith ...

Ver mais

Cafezinho 423 – Capital social? Só se der lucro.
Cafezinho 423 – Capital social? Só se der lucro.
Estamos perdendo aquilo que o cientista político e ...

Ver mais

Cafezinho 422 – A política do ódio
Cafezinho 422 – A política do ódio
Não siga a maioria só porque é maioria. Não siga a moda ...

Ver mais

Cafezinho 421 – A normose
Cafezinho 421 – A normose
É confortante saber que somos normais, não é? Pois é. ...

Ver mais

Cafezinho 420 – A regra dos 30
Cafezinho 420 – A regra dos 30
Pé quente, cabeça fria, numa boa. Mas cuidado porque ...

Ver mais

Gente Vinil

Gente Vinil

Chiquinho Rodrigues -

Usando a lente e a analogia do Veríssimo percebi que exite gente Long Playing, gente Compacto Simples, gente Cd, gente Vídeo laser e até gente Dvd.

Não tem nada a ver com caráter! Também não tem nada a ver com a tecnologia empregada ou o tamanho de cada uma dessas mídias.

Pois há pessoas pequenas como um Dvd que você sabe, só de olhar, que dentro têm uma grande história com um grande elenco e um menu repleto de opções: trailer, extras, making of e até comentários do diretor.

E pessoas grandes tipo um enorme vídeo laser que se revelam chatas, pesadas, sem conteúdo, ultrapassadas e que a gente precisa ficar trocando de lado para aguentá-las ou sabe-las por inteiro.

Embora tamanho não queira dizer nada… gente vídeo laser não é necessariamente melhor que gente compacto  simples.

Algumas pessoas se apresentam como grandes álbuns Long Playing!

Possuem linda capa e contra capa, são estéreos, Hi-Fi, têm doze faixas, plástico protetor, mas podem estar lhe escondendo algo… Seus sulcos interiores podem estar gastos e intocáveis.

O conteúdo pode ser duvidoso, de mau gosto e ela terá sempre dois lados para se mostrar e confundi-lo.

Já uma pessoa que seja do tipo gente compacto simples de vinil, pode sim ter seu lado B, porém se apresenta em uma modesta embalagem e seu conteúdo simples será sempre, sem surpresas, aquele sucesso contido em sua única faixa.

É muito melhor conviver com alguém do tipo gente-CD, que traga dentro de si um repertório de tudo aquilo que a gente gosta e esteja sempre em nossa cabeceira pronto para ser tocado, do que conviver com alguém que se pareça com o DVD duplo do show ao vivo do Fagner!

Existem pessoas que não se contentam em ser apenas um vinil chato tomando poeira e espaço na prateleira de nossas vidas.

Elas são autênticas coleções em DVD da obra do porra do Oswaldo Montenegro tocado bem alto por um maldito vizinho filho da puta!

Seis horas de Oswaldo Montenegro com direito a convidados especiais como: Ministro Gil, anazalado Belchior, Mauricio Mattar, Fabio Junior, Neuzinha Brizola, Belo, (que salada!), Sérgio Reis, Reginaldo Rossi, Sidney Magal, Wando e o Tiririca!

É fascinante quando alguém que você não imaginava ser mais do que uma simples canção em um 45 RPM, de repente se revela uma sinfonia em digital regida por Von Karajan!

É sempre arriscado prejulgar.

As capas dos discos, como a aparência das pessoas, também nos enganam.

Um álbum pode ter uma capa interessante e dentro conter a banda Calypso!

Um álbum pode ser branco e conter Beatles.

Algumas pessoas se sentem como discos que existem apenas para fazer parte de uma coleção. E não para ser tocados!

Como aquela camisa que você comprou por impulso e jamais usou. E que de vez em quando você experimenta novamente, se olha no espelho e logo desconsidera. Não empresta, não dá essa camisa para ninguém e acaba colocando-a de volta no guarda-roupa para rescender a naftalina o resto da vida.

No fundo somos todos gente vinil.

Sempre espremidos em uma prateleira a espera de sermos descobertos ou revisitados. Somos como canções que marcaram a vida de alguém e que precisamos, para nossa própria subsistência, ser ouvidos novamente.

Aí um dia o telefone toca e é o chamado da saudade.

Você reconhece a voz e ambos tentam reviver antigos sucessos. Porém você percebe então com tristeza que durante esse tempo todo você foi para ela apenas a quarta faixa do Lado B.

No entanto, para você ela foi sempre a primeira do Lado A.

Ver Todos os artigos de Chiquinho Rodrigues