s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

Godot chegou

Godot chegou

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Era comum ouvir, em rodinhas de pseudointelectuais dos anos 80/90, digressões sobre a peça teatral Esperando Godot, de Samuel Beckett. Foi num tempo longínquo, quando ainda havia gente acreditando ser Gerald Thomas o ápice da intelectualidade; por sinal, faziam parte dos mesmos grupinhos que discutiam Fernando Pessoa ou Shakespeare, sem nunca ter lido um ou outro. O mais próximo que chegaram do último foi comendo uma fatia de pizza Romeu e Julieta. Mas isso não os impedia de continuar a masturbação literato-filosófica sobre o nada – na qual, paradoxalmente, faltava tudo.

Ah, sim: Na peça, algumas pessoas e malas (literais ou não) esperam um tal Godot, que nunca chega. Releituras de Beckett andam meio esquecidas, mas os verdadeiros pseudos (Millor odiava trocadilhos e tinha razão) continuam por aí, discutindo o que nunca souberam. E, como todo verdadeiro pseudo, traveste-se de intelectual, ação que demanda tempo, imbecis que o ouçam, e dinheiro. Afinal, verdadeiro pseudo que se preze não trabalha, recebe pelos pseudos atos de pensar e guiar intelectualmente a turba que confunde capitalismo com imperialismo e comunismo com liberdade. Casos perdidos, obviamente. Mas que não dispensam uma teta estatal. E esperam o maná lulista.

Aqui na Banânia, Godot chegou. Mas chegou para todos, não só para as personagens. Os verdadeiros pseudos continuam aplaudindo o que não entendem, como sempre, nesse Paìs tão fictício quanto a intelectualidade Mao-stalinista, sem prefixo pseudo.

Podem escolher a barbaridade, pagadores de impostos (e não “contribuintes”, isso não existe): Um plano imundo para alterar a grade curricular do ensino básico, louvando o lulo-cubanismo, seus artíficies e defensores, e demais jecarias? Tá lá. Extração da História mundial (principalmente a europeia)? Também. Invenção de palavras politicamente corretas pregando o coitadismo profissional? Opa se tem. Confiram no site do MEC. Onde tem “presidenta”, tem tudo. Ou tuda, vai saber.

Destruição da educação? É ponto de honra pra essa gentinha que já destruiu a economia brasileira. A mesma gentinha que depreda bem público e particular, que agride, rouba, e se cala quando a presidonta desvia 10 bilhões da Educação para comprar deputistas e senateiros na Black Friday, antes que o lulismo politicamente correto descubra nisso algum ato racista. Ou alguém viu essas tropas milicianas se insurgindo contra tamanho crime de desmonte do ensino básico?Cadê a UNE, sindicatos e demais mamadores das tetas públicas? Ninguém reclama das 529.374 notas ZERO em redação do Enem de 2014, verdadeiro diploma de mendicância escolar? Ninguém grita ante tamanho desmonte educacional? Porém, esses mesmos silentes defendem o fim da meritocracia; ou seja, querem os menos capazes na universidade. Só no Brasil nivela-se a cultura e o estudo pelo nível mais baixo como prova de “democracia”, em vez do mais alto como garantia de excelência. Política educacional não é democracia, taspariu! Estamos perdidos, talvez irremediavelmente. E os pseudos riem, felizes com o baixo nível intelectual que divide a miséria de forma absolutamente igualitária. Assim não há o perigo de algum inteligente se sobressair. É o império da ninguenzada, tão sonhado pelos lulistas, mantendo os ignorantes cada vez mais ignorantes, semeando a pobreza educacional e colhendo eleitores cegos, famintos por uma migalha governamental que aplaque sua fome física, visto que a fome de conhecimento não mais os aflige. O plano não é inédito, mas a podridão com que vem sendo implantado assusta qualquer professor que tente tirar seus alunos das garras do obscurantismo, dessa Idade Média ideológica.

Como inspiração a esses demolidores do ensino há os famosos discursos da presidonta e de seus (ainda) seguidores… ah, essas fontes não secam. Ouvir Sibá Machado arengando é acreditar na existência do elo perdido; um dia a Antropologia esclarecerá de onde vem esse homem – o mesmo sujeito a afirmar que o juiz Sérgio Moro pretende destruir o projeto espacial brasileiro, e as passeatas anti-Dilma são organizadas e financiadas pela Inteligência dos EUA. Não, não é brincadeira, ele repete isso categoricamente. Não fazem nada (de decente), mas prometem um paraíso; vendem uma educação digna da Coreia do Sul e entregam a da Coreia do Norte. Ilusão que nada tem de doce. E ninguém se insurge?

Só falta saber o que tanto esperam de Godot os intelectualóides militantes e sua chefa. De nós já sabemos: mais dinheiro, pra ser roubado e esbanjado. A Rainha de Copas da Banânia, que leva 900 (novecentas!) pessoas para passear em Paris durante a COP 21, lotados em hotéis luxuosíssimos, é a mesma que alega falta de grana pra escolas. E continua a prometer sua calhorda utopia como real e próxima. Malditos sejam; tanto os que mentem quanto os que acreditam… ou assim fingem. E isso é o que eles fazem de melhor, fingir. Principalmente de inocentes.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes