s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Cafezinho 432 – O vencedor
Cafezinho 432 – O vencedor
As pessoas não se importam com o que você diz, desde ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Indiferença

Indiferença

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

        Indiferença

 

Uma cena que vivi no último domingo. Recebia um amigo analista de São Paulo Denis Canal Mendes para um curso sobre análise e saúde mental. Aula sexta à noite, sábado e folga ao domingo. Após o trabalho saímos pela cidade para comer, rir, conversar sobre as coisas da vida, espairecer.

Domingo saímos e fomos a um bar famoso na grande Goiânia cheio de pessoas, vários telões, reggae ambiente descontraído. Amigos reunidos e o amigo Denis percebe uma situação…

No meio das pessoas uma jovem chorando, pelo visto há muito tempo, sozinha, isolada, mal. Rosto inchado e lágrimas evidentes. O vazio no meio de tantas pessoas… “os bares estão repletos, de almas tão vazias” cantadas por Criolo ecoou fundo nesta hora. Ninguém presente se importava com ela.  Ela ali há horas… O que você faria? Qual seria sua atitude? Ali uma jovem mulher sofria e ninguém se incomodava sequer a reparavam. Muita roupa de marca, cabelos com estilo, muita tecnologia para dizer que se vive e nada de coração… Muito vazio…

Adorei a postura de meu amigo Denis que aproximou se da jovem, conversou com ela alguns minutos, a tranquilizou, voltando a nosso convívio assim que a percebeu mais serena. “você esta precisando de alguma coisa, posso te ajudar em algo”? Gentileza, carinho atenção ajudam em um momento de desespero. Mas por que vivemos uma sociedade regida pela indiferença?

Uma queixa comum que hoje é recorrente em meu consultório e no de vários colegas, e que muito incomoda é a frieza hoje existente, a apatia, a indiferença diante do sofrimento alheio.  Indiferença que esta em nossas instituições, na política, família, religião, judiciário, na violência urbana, no tiro certeiro do bandido que quer assaltar pra gastar o dinheiro na boite mais tarde; a mesma indiferença de todos que vão a um bar de classe média alta, que se sentam ao lado de quem sofre, e nada fazem. Nosso egoísmo pós-moderno, nossa solidão no meio de tantas redes sociais, é a solidão repleta que nada satisfaz que se compraz na ilusão… “bares tão repletos de almas tão vazias”…

A imagem da mulher e a situação daquele bar é um símbolo que incomoda, evidencia a solidão, a tristeza, a apatia das pessoas, a indiferença de nossos dias, cheio de pessoas apoderadas, narcisistas, egoístas, sem carinho, compaixão, ruinas vivas de sua própria afetividade desconstruída pelo orgulho e vaidade. Muito racionalismo, frieza, pessoas interesseiras, egoísmo a solta. O vazio de nossa pós-modernidade. O sofrimento habitual de boa parte das pessoas que vive a fragmentação da afetividade, a dificuldade de estar junto, amar, receber abraço e ser gentil. Muita rede social, sorriso de plástico, bebida e ao lado a agonia… E o que você faria ao ver alguém sofrendo na mesa ao lado? Você se importa comigo, com os que você diz amar, com os outros?

Fiquei muito feliz por ver a atitude de meu amigo Denis e seu exemplo para todos nós.  Com pequenos gestos podemos acolher quem sofre e mostrar nossa educação e humanidade com respeito ao próximo. Este é um caminho de crescimento espiritual, social, afetivo… obrigado Denis por esta maravilhosa lição!

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima