s
Iscas Intelectuais
O Lado Cheio
O Lado Cheio
Aqui é o lugar onde você encontrará análises sobre o ...

Ver mais

Pelé e os parasitas.
Pelé e os parasitas.
Meu herói está lá, a Copa de 1970 está lá, o futebol ...

Ver mais

Branding a preço de banana.
Branding a preço de banana.
Quanto vale o branding? Pelo que estou vendo acontecer ...

Ver mais

O Tigre Branco. Ou poderia ser Cidade de Budah…
O Tigre Branco. Ou poderia ser Cidade de Budah…
Um grande comentário sócio-político sobre a divisão em ...

Ver mais

Café Brasil 764 – LíderCast Live – Gastronomia Viva
Café Brasil 764 – LíderCast Live – Gastronomia Viva
Medidas restritivas desproporcionais impostas pelos ...

Ver mais

Café Brasil 763 – A Agro é pop?
Café Brasil 763 – A Agro é pop?
Você já sabe que a Perfetto patrocina o Café Brasil,  ...

Ver mais

Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Da mesma forma como o Youtube joga no colo da gente um ...

Ver mais

Café Brasil 761 – O viés nosso de cada dia
Café Brasil 761 – O viés nosso de cada dia
Você já ouviu falar em autoilusão? A forma como nós ...

Ver mais

LíderCast 217 – Amyr Klink
LíderCast 217 – Amyr Klink
Meu nome é Amyr Klink, tenho 65 anos e eu construo viagens.

Ver mais

LíderCast 216 – Denise Pitta
LíderCast 216 – Denise Pitta
Empreendedora digital, dona do site Fashion Bubbles, ...

Ver mais

LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
Historiador, professor, comentarista polêmico em rádio ...

Ver mais

LíderCast 214 – Bianca Oliveira
LíderCast 214 – Bianca Oliveira
Jornalista e apresentadora, hoje vivendo na Europa, ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Três livros sobre corrupção e como combatê-la
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A corrupção e o desafio de combatê-la em três livros “Ao contrário da maioria dos crimes violento ou passionais, a corrupção em larga escala é um crime absolutamente racional, baseado na análise ...

Ver mais

Richard Feynman desancando a universidade brasileira… de 1951
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Como acabar com o mito de que a educação brasileira dos anos 50 tinha boa qualidade…   Em 1951, o físico norte-americano Richard Feynman (que posteriormente ganharia o Nobel de Física) veio ...

Ver mais

Exemplos positivos da sociedade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Exemplos positivos da sociedade O início do outono foi marcado pela publicação de dois documentos apresentados por diferentes segmentos da sociedade com considerações críticas e sugestões para o ...

Ver mais

Efeito da pandemia na economia mundial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Efeito da pandemia na economia mundial “O PIB brasileiro se apresentou melhor do que o de muitos países da Europa, por exemplo. No início da pandemia, a expectativa era de que o PIB brasileiro ...

Ver mais

Cafezinho 375 – As Mídias E Eu
Cafezinho 375 – As Mídias E Eu
Dias 26, 27 e 28 de abril vai acontecer o DESAFIO AS ...

Ver mais

Cafezinho 374 – Amizades perdidas
Cafezinho 374 – Amizades perdidas
Não brigue com seu amigo por causa da política. Depois ...

Ver mais

Cafezinho 373 – oladocheio.com
Cafezinho 373 – oladocheio.com
Venha para o lado dos que querem construir.

Ver mais

Cafezinho 372 – (des)Equilíbrio
Cafezinho 372 – (des)Equilíbrio
Após anos de condicionamento recebendo más notícias, ...

Ver mais

Minha viagem pela Economia

Minha viagem pela Economia

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Minha viagem pela Economia

“Mais importante que as riquezas naturais são as riquezas artificiais da educação e tecnologia.”

Roberto Campos

Em março de 1974 embarquei numa viagem na estação Mackenzie, que ainda não era a do metrô, ainda que em setembro daquele ano fossem iniciadas as operações comerciais do metrô de São Paulo, com o trecho Jabaquara-Vila Mariana, da então linha Norte-Sul.

Aquela viagem me conduziu a uma profissão repleta de desafios e oportunidades, que tem como uma de suas principais características a de abrir a possibilidade de atuar num leque muito amplo de ocupações[1].

Percorri algumas dessas possibilidades e me permito discorrer brevemente sobre elas a seguir.

A primeira foi a academia, na qual permaneci por mais tempo e com maior assiduidade. Apesar de me formar pela Faculdade de Economia do Mackenzie, foi na FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado) a que me dediquei com maior intensidade, ocupando, além da função de professor, a de chefe de departamento, vice-diretor e diretor da Faculdade de Economia, permanecendo ligado à instituição por 36 anos, de 1981 a 2017. Paralelamente à FAAP, ministrei aulas nos cursos de graduação das Faculdades de Economia do Mackenzie e da São Judas Tadeu.

No exercício da docência, ministrei aulas de diversas disciplinas nas áreas de economia, metodologia científica, ciência política, criatividade e economia criativa, tanto em nível de graduação como de pós-graduação. A maior concentração dessas aulas foi das disciplinas do núcleo histórico do curso de Ciências Econômicas: História Econômica Geral (HEG), Formação Econômica do Brasil (FEB) e História do Pensamento Econômico (HPE).

Também tive oportunidade de atuar em think tanks, começando pelo Convívio – Sociedade Brasileira de Cultura, no qual adquiri enorme experiência nos cursos de formação política para estudantes e lideranças sindicais realizados em todo o território nacional, passando pelo Instituto Liberal, pelo Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial e pela Fundação Espaço Democrático.

Além dessas atividades estreitamente ligadas à área intelectual, mantive sempre um pé no setor empresarial, quer diretamente, quer em atividades de assessoria ou consultoria. Iniciei minha carreira profissional no Escritório Técnico Eurico Meili, como controller financeiro de projetos em engenharia e arquitetura e estive por alguns anos na Eletros – Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos.

Dediquei-me também por um longo período às entidades de representação dos economistas, começando como diretor-técnico do Sindicato dos Economistas, prosseguindo no Conselho Regional de Economia de São Paulo, onde ocupei a presidência no biênio 2000-2001 e concluindo no Conselho Federal de Economia, em que fui eleito para três triênios.

Por um breve período de quase dois anos, atuei no setor público, como assessor especial da presidência da São Paulo Turismo.

De todas essas experiências, guardo boas lembranças e a certeza de que a rigorosa e abrangente formação como economista me forneceu uma base sólida e um ferramental teórico mais do que suficiente para enfrentar os desafios de todas essas ocupações.

Mais recentemente, peguei uma nova ramificação na estrada dessa extensa viagem e aventurei-me a escrever alguns livros, dando continuidade a uma prática iniciada na Agência Planalto e continuada em diversos outros lugares nos quais elaborei centenas de artigos, artigos científicos e capítulos de livros. Os dois últimos exemplos (até agora) foram Das quadras para a vida, escrito em parceria com meu filho, e Viagem pela Economia, lançado exatamente há um ano. Essa atividade tem me proporcionado grande alegria, por meio do reconhecimento de leitores de diferentes partes do País.

Aliás, se me perguntassem qual a maior riqueza proporcionada pela profissão, eu não teria nenhuma dúvida em responder: o enorme contingente de amigos amealhados entre  alunos, professores, companheiros de trabalho nas empresas e nas entidades representativas e nas centenas de palestras em eventos nacionais e internacionais.

Por tudo isso, é com muito orgulho que comemoro na data de hoje o Dia do Economista, desejando felicidades a todos(as) que, como eu, abraçaram esta valorosa profissão.

Iscas para ir mais fundo no assunto

Referências bibliográficas

MACHADO, Luiz Alberto; MACHADO, Guga. Das quadras para a vida: lições do esporte na vida pessoal e profissional. São Paulo: Trevisan, 2018.

MACHADO, Luiz Alberto; Viagem pela Economia. São Paulo: Scriptum, 2019.

[1] No meu livro Como enfrentar os desafios da carreira profissional (Trevisan, 2012), há um subcapítulo focalizando a diferença entre profissão e ocupação, por muitos desapercebida.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado