s
Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Moralidade e Capitalismo 7: O Pragmatismo

Moralidade e Capitalismo 7: O Pragmatismo

Alessandro Loiola -

Em essência, o capitalismo é indiferente quanto a raça, classe, cor, religião, sexo, nacionalidade, credo, bom ou mau. É impessoal e não-humano como um programa de computador. E tem suas neuroses conflitantes, como a escolha entre “liberdade com dispersão de poder versus efetividade com concentração das tomadas de decisões”.

Defender o capitalismo como sendo o sistema o menos ruim é bem diferente de defender o melhor possível. A utopia do melhor possível seria um capitalismo inteligentemente modulado para garantir recompensas aos empreendedores e aos gestores responsáveis, ao mesmo tempo em que desencoraja e pune predadores e oportunistas de índole duvidosa.

Para que o capitalismo funcione mais ou menos assim, as regras pelas quais os negócios operam devem refletir pragmaticamente os interesses de progresso da sociedade como um todo, e não apenas aqueles do mundo corporativo e da Seita do Lucro Acima de Tudo: as cercas Morais que delimitam o bom capitalismo devem ser pintadas com algumas cores Consequencialistas e Utilitaristas, incluindo medidas capazes de punir a trapaça, a desonestidade e o roubo – mas jamais intransigentes ao ponto de sufocar o livre mercado.

Entre ataques e defesas, quase todos os esforços para conferir ao capitalismo um véu de Moralidade esbarram nas mesmas dificuldades: quanto mais tentamos lhe impor Moralidades, menos eficiente o capitalismo se torna. Quanto mais as aliviamos, mas belicoso ele se manifesta. Desfazer o nó deste dilema não é tarefa fácil, mas declará-lo insolúvel é um derrotismo inútil.

O aumento da riqueza é essencial para o bem estar das sociedades, mas é óbvio que apenas isto não é suficiente para produzir felicidade. Somos tanto criaturas de espíritos quanto somos criaturas de carnes, incapazes de atingir um estado de Eudaimonia sem descobrir um propósito Moral engrandecedor para nossas vidas – ainda que ele seja vago e imperfeito. Neste sentido, o capitalismo per se não basta.

A saída deste labirinto passa pelo aperfeiçoamento de uma economia emoldurada por sólidos fundamentos Morais onde todos – absolutamente todos – são iguais perante a lei, a despeito de casta, raça, cor, sexo, tribo ou prestígio. A igualdade de riquezas é uma fantasia utópica que usualmente conduz à tirania, mas a igualdade diante da lei é um desígnio razoável e reforça o poder natural do capitalismo, colocando-o em um contexto de justiça.

Outra maneira de tornar o capitalismo Moralmente benéfico e aceitável consiste em defender – com o devido bom senso – a igualdade de oportunidades. Um dos grandes milagres da humanidade é a incrível diversidade de talentos que podem ser colocados a serviço da sociedade, e o mercado deveria ter como objetivo-mor identificar e recompensar estes talentos.

Infelizmente, as soluções alternativas para o capitalismo experimentadas até hoje foram todas coletivistas, e não surpreende que tenham causado desgraças aos montes, cada uma ao seu modo. O remédio para o capitalismo está dentro do próprio capitalismo, devendo ser dosado de acordo com a realidade e os recursos humanos de cada nação.

Ver Todos os artigos de Alessandro Loiola