Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Não existe dinheiro público

Não existe dinheiro público

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Em meio à fúria legiferante brasileira, um cipoal interminável de normas que teriam, segundo seus nobilíssimos e genialíssimos criadores, o condão de redescobrir a pólvora ou revogar a lei da gravidade, sempre tem mais um achando que a solução é criar mais leis. O produto dessa sandice coletiva é a fábrica legislativa de máquina de desentortar bananas: Câmaras, assembleias e congresso nacional, todos voltados à suprema fantasia de fazer brotar dinheiro via decreto; untados pela esperança de voto dos trouxas e pela banha do populismo. Mania estatal de criar benefícios para que o particular pague a conta, arcando com o prejuízo idealizado pelos fingidamente beneméritos. A ideia é espantosa em qualquer lugar do mundo civilizado, mas aqui torna-se a panaceia dos crédulos: a máquina brasileira de criar facilidades com a grana alheia.

Típica ilusão é a meia-entrada em cinemas, teatros, shows e afins: Os brilhantes legisladores decidiram que algumas classes de indivíduos merecem pagar menos por esses serviços, e dá-lhe lei. Como se fosse simples assim. Acontece que empresários e prestadores de serviços não vivem de ar, nem gostam (com toda razão) de ver seu trabalho pago pela metade. E, inevitavelmente, a outra parte do respeitável público que não conta com esse delicioso privilégio vai arcar com a diferença no preço dos ingressos. A matemática é muito simples: Se um deixa de pagar, alguém vai pagar por ele. Gostemos ou não dessa equação de simplicidade acaciana.

Alegam que a parte “mais fraca” deve ser “protegida” da “mais forte”. Além de injusto, taí o atoleiro no qual o lulismo nos meteu fazendo a patuleia acreditar que há no Brasil uma guerra civil em curso, e que eles, bons por natureza, defendem os descamisados. Como já lembrava Abraham Lincoln, é impossível enriquecer os pobres empobrecendo os ricos. Luta de classe é coisa estúpida, fora de moda até na Cuba de hoje, que busca comerciar com os mesmos EUA que apontava como o grande satã. E nós aqui, patinando nesse esterco bolivariano que até Fidel abandona aos poucos.

E antes que algum apressadinho se inflame, nada contra esse benefício que contempla estudantes, professores e outros; o problema é que o legislador sai bem na foto, enquanto empurra a conta para o lado privado. Ou seja: Apesar da maior carga tributária do mundo, o governo ainda cria mais despesas para o setor produtivo. Porque não pagam a diferença com o dinheiro dos impostos escorchantes?

Outra lei, tão típica quanto errada, é a que obriga escolas privadas a aceitar alunos com deficiência no mesmo preço pago pelos alunos ditos saudáveis. Evitando que algum lulista açodado lance o livrinho vermelho de Mao ni mim, deixemos bem claro tratar-se de caso análogo ao da meia-entrada: Mais uma vez o estado, voraz na arrecadação, passa a despesa extra para o particular. É óbvio que uma criança deficiente merece atenção especial e toda a educação escolar possível, mas tais cuidados e professores especializados custam mais do que “vontade política” ou cargos inúteis em ministérios sem sentido, como o dos direitos humanos. Isso tudo custa dinheiro. E estamos fartos de pagar impostos vampirescos em troca de serviços indecentes.

Uma amiga muito querida fundou e dirige, com dedicação heroica, a única fundação privada para tratamento de autistas da região de Bauru/SP – com tudo gratuito para essas crianças especiais. Funcionários e alunos sobrevivem com doações de particulares, entre os quais humildemente me incluo, com pouca ou nenhuma ajuda estatal, mas muita coragem e trabalho voluntário. E querem que paguemos ainda mais pela ineficácia e roubalheira das fileiras lulistas? Sai pra lá, CPMF. Vá assombrar a Coreia do Norte.

Margaret Tatcher, primeira ministra britânica de 1979 a 1990, salvou seu país do parasitismo sindical e da gastança desenfreada, e tem sido muito lembrada nestes tempos terríveis para o Brasil. Ainda não compreendemos bem que populismo sempre termina mal e, como dizia a Dama de Ferro, não existe essa coisa de dinheiro público; há apenas o dinheiro dos pagadores de impostos (eufemisticamente chamados de “contribuintes” no Brasil), embora a lulada, pra não perder a boquinha, afirme que isso é bobagem, e a Petrobrás é tão fértil que, em se roubando, tudo dá.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes