s
Iscas Intelectuais
Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

Café Brasil 753 – A sala dos professores
Café Brasil 753 – A sala dos professores
E a Perfetto, com seus sorvetes é a patrocinadora do ...

Ver mais

Café Brasil 752 – Jam Session
Café Brasil 752 – Jam Session
Uma das coisas mais fascinantes é a demonstração de ...

Ver mais

Café Brasil 751 – A hipocrisia nossa de cada dia
Café Brasil 751 – A hipocrisia nossa de cada dia
A Perfetto é patrocinadora do Café Brasil e… sabe ...

Ver mais

Café Brasil 750 – The Rocket Man
Café Brasil 750 – The Rocket Man
Algumas obras de arte são tão perfeitas, mas tão ...

Ver mais

LíderCast 216 – Denise Pitta
LíderCast 216 – Denise Pitta
Empreendedora digital, dona do site Fashion Bubbles, ...

Ver mais

LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
Historiador, professor, comentarista polêmico em rádio ...

Ver mais

LíderCast 214 – Bianca Oliveira
LíderCast 214 – Bianca Oliveira
Jornalista e apresentadora, hoje vivendo na Europa, ...

Ver mais

LíderCast 213 – Brunna Farizel e Lucas Moreira
LíderCast 213 – Brunna Farizel e Lucas Moreira
Empreendedores, criadores de uma franquia inovadora, ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Ford, polarização e “capitalismo sem riscos”
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Ford, polarização e “capitalismo sem riscos”  “A desindustrialização brasileira é resultado das intervenções equivocadas que fizemos. E o pior é que o setor empresarial, as lideranças do setor ...

Ver mais

Os economistas mais influentes da atualidade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Os economistas mais influentes da atualidade  “O que são as pessoas de carne e osso? Para os mais notórios economistas, números. Para os mais poderosos banqueiros, devedores. Para os mais ...

Ver mais

A sala de professores e a deseducação
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Comecei a dar aulas no Ensino Médio em 1999, quando estava no segundo ano da graduação em Filosofia. Ou seja: há mais de vinte anos comecei a freqüentar a sala de professores. Nesse ambiente ...

Ver mais

Leituras, conexões e reminiscências
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Leituras, conexões e reminiscências “Se você tiver uma maçã e eu tiver uma maçã e trocarmos nossas frutas, continuaremos com uma maçã cada. Mas, se você tiver uma ideia e eu tiver uma ideia e ...

Ver mais

Cafezinho 352 – O drama da esquina
Cafezinho 352 – O drama da esquina
Não espere os grandes dramas nacionais para agir.

Ver mais

Cafezinho 351 – Um autoritário pra chamar de seu
Cafezinho 351 – Um autoritário pra chamar de seu
As pessoas perderam completamente o bom-senso e já há ...

Ver mais

Cafezinho 350 – Sob o domínio do medo
Cafezinho 350 – Sob o domínio do medo
No mundo de hoje, caótico, competitivo e apressado, ...

Ver mais

Cafezinho 349 – Pânico moral
Cafezinho 349 – Pânico moral
Pânico moral é um medo espalhado pela sociedade, ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil

Gustavo Bertoche - É preciso lançar pontes. -

Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas.

A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que não concluiu, ostentando há anos um título que não possui, não é a primeira e – tenho certeza – não será a última fraude que veremos.

* * *

A atual ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, mentiu: não é mestre em Educação, em Direito Constitucional nem em Direito da Família.

O atual ministro do Meio-Ambiente, Ricardo Salles, mentiu: não é mestre em Direito Público pela Yale.

O Witzel, ainda governador do Rio, mentiu: jamais fez um doutorado-sanduíche em Harvard.

A Dilma mentiu: não concluiu o mestrado em Economia.

O mais impressionante é que, até que essas mentiras fossem reveladas, todos alardeavam publicamente, inclusive em seus currículos Lattes, os títulos inexistentes.

* * *

Esse fenômeno não se limita ao mundo da política.

Em 2017, a jovem Bel Pesce, a “Menina do Vale”, não somente ostentava em palestras títulos acadêmicos que não possuía, como também inventou ter exercido cargos executivos em empresas de tecnologia.

Em 2019, descobriu-se que a professora Joana D’Arc Felix mentia quando afirmava ter realizado um pós-doutorado em Harvard – de fato, ela inseriu esse pós-doc imaginário no Lattes e chegou a divulgar para a imprensa um certificado de Harvard verdadeiro como uma nota de 3 reais. Detalhe: a Universidade de Harvard não fornece esse tipo de certificado para pesquisadores de pós-doutorado.

Ainda em 2019, descobriu-se a falsificação dos diplomas acadêmicos de Wemerson da Silva Nogueira – que se apresentava como professor. Wemerson foi vencedor do prêmio “Educador nota 10” de 2016 e finalista, em 2017, do “Teacher Global Prize”. Ele falsificou os diplomas que dizia possuir – licenciatura em Química e em Ciências Biológicas, além de uma pós-graduação – e, por não ser licenciado, lecionava ilegalmente.

* * *

Todas essas fraudes somente foram descobertas graças à repentina fama. Antes dos holofotes, todos sustentavam a mentira e jamais eram questionados. Certamente há outros milhares entre nós que, protegidos pelo relativo anonimato, exibem títulos acadêmicos que não possuem.

Qual será a raiz desse fenômeno?

* * *

Nós somos o povo da pose inculta. Assistimos à profusão das academias de ginástica; somos os campeões mundiais em cirurgias plásticas per capita (à frente dos EUA!); observamos o imenso sucesso de musas e musos fitness na internet. Ao mesmo tempo, verificamos a tenebrosa qualidade das nossas escolas; temos pouquíssimas bibliotecas públicas; e estamos entre os últimos colocados entre os leitores de livros per capita no mundo. Tudo isso nos mostra o valor extraordinário que damos à aparência e o desprezo que reservamos ao intelecto.

Como já mostrava Lima Barreto em “O triste fim de Policarpo Quaresma”, publicado em 1915, não nos interessa o conhecimento: contentamo-nos com a sua simulação, ficamos satisfeitos com os meros sinais exteriores da inteligência.

Por isso tantos mentem nos seus currículos. Uma civilização que valorizasse a cultura constituiria um povo mais preocupado em conhecer as coisas do que em receber diplomas; aqui, invertemos essa ordem, e queremos exibir títulos sem passar pelo longo e desgastante processo de obtê-los. Não nos importa realmente saber; o fingimento nos basta.

* * *

Amigos, o problema mais grave da civilização brasileira não é a corrupção, não é o desperdício, não é a política. O problema fundamental da nossa civilização é a educação. Esse problema também é o de resolução mais difícil. Afinal, como podemos realmente educar as crianças, se os adultos – os políticos, os influenciadores, os professores! – contentam-se em fingir para todos, inclusive para si mesmos, a posse de um capital cultural que não têm?

Ver Todos os artigos de Gustavo Bertoche