s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 788 – Love, Janis
Café Brasil 788 – Love, Janis
Janis Joplin era uma garota incompreendida, saiu da ...

Ver mais

Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
O Café Brasil anterior, o 786 – O Cuzão, rendeu, viu? ...

Ver mais

Café Brasil 786 – O cuzão.
Café Brasil 786 – O cuzão.
Cara, como é complicada a vida de podcaster, bicho! A ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
E a educação brasileira, como é que vai, hein? Mal, não ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Menos Marx, mais Mises
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Menos Marx, mais Mises  “Apesar de ainda ser muito pouco conhecido entre os jovens brasileiros em comparação com Karl Marx, o nome do economista austríaco Ludwig von Mises se tornou um dos ...

Ver mais

Você ‘tem fé’ no Estado democrático de direito?
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Hoje, num grupo de professores, um velho colega me escreveu que “tem fé” no “Estado democrático de direito” e na “separação dos poderes”. Mas com uma ressalva: ...

Ver mais

Percepções diferentes na macro e na microeconomia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções diferentes na macro e na microeconomia “Na economia, esperança e fé coexistem com grande pretensão científica e também um desejo profundo de respeitabilidade.” John Kenneth Galbraith ...

Ver mais

Cafezinho 423 – Capital social? Só se der lucro.
Cafezinho 423 – Capital social? Só se der lucro.
Estamos perdendo aquilo que o cientista político e ...

Ver mais

Cafezinho 422 – A política do ódio
Cafezinho 422 – A política do ódio
Não siga a maioria só porque é maioria. Não siga a moda ...

Ver mais

Cafezinho 421 – A normose
Cafezinho 421 – A normose
É confortante saber que somos normais, não é? Pois é. ...

Ver mais

Cafezinho 420 – A regra dos 30
Cafezinho 420 – A regra dos 30
Pé quente, cabeça fria, numa boa. Mas cuidado porque ...

Ver mais

O melhor lugar da vida pra você usar a criatividade é na própria vida

O melhor lugar da vida pra você usar a criatividade é na própria vida

Henrique Szklo - Iscas Criativas -

Muito se fala sobre a criatividade, mas a maioria não sabe exatamente para que serve, como utilizá-la, em que momento nem seu significado mais profundo. O número excepcional de atividades que praticamos em nossas vidas traz em si um dilema que acaba nos afastando do tema e acabamos por nos safar do desafio com a desculpa escangalhada de que não temos tempo e que no momento certo tomaremos a iniciativa. Muita gente dirige pela vida com o freio de mão puxado porque releva a importância da criatividade e deixa seu desenvolvimento criativo para depois. Sempre para depois. E o depois acaba virando um nunca.

Mesmo quem se indigna com suas próprias limitações acaba muitas vezes se perdendo por não encontrar respostas para simples perguntas: onde posso usar a criatividade? Na vida pessoal? No trabalho? E como faço para aplica-la? Eu tenho potencial criativo ou sou um caso perdido? É lógico que não é possível sermos criativos em tudo o que fazemos, portanto a escolha precisa ser estratégica, precisa, cirúrgica. Do contrário, estaremos desperdiçando tempo e energia que poderíamos utilizar para atingir os objetivos que traçamos, fugindo da verdadeira dimensão de nossa mente, perdendo a chance de sermos atingidos pela riquíssima visão de novas possibilidades. A criatividade expande nosso universo pessoal e alarga nosso potencial produtivo.

Criatividade é o atalho para o sucesso

Muito se diz que não existe atalho para o sucesso. Concordo e discordo. A criatividade é mais do que um atalho: é um acelerador de jornadas pessoais e profissionais. E a decisão pessoal para dar a partida nessas instigantes jornadas se dá mirando o horizonte e não um endereço específico. Não vale a pena focar em alguma atividade em si. Devemos nos preocupar com o autodesenvolvimento da criatividade de forma abrangente e profunda. Não atirar em tudo o que se mexe, mas dar um tiro único que atinja sua essência, tudo o que você é e o que faz. Esquecer as receitinhas de bolo e os truques fáceis (e enganosos) que inundam a internet.

Estou sempre dizendo que a criatividade é uma ferramenta de autoconhecimento. Que, ao desenvolvê-la de forma séria e profunda, além do óbvio diferencial pessoal e profissional, você elevará sua autoestima, desenvolverá segurança pessoal, ampliará horizontes e tomará consciência de um potencial que não imaginava que possuía. Quem se aprofunda e exercita sua criatividade, instala em seu cérebro um comando… não, mais que um comando, uma lei que provocará uma revolução, uma real mudança de vetores em sua vida. Quem desenvolve a criatividade sente no fundo de sua alma: “Eu posso!”

A teoria do I (Algarismo Romano)

Muitos já conhecem a teoria do T, em que a linha horizontal representa o conhecimento mais superficial das coisas, ou como se diz hoje, os soft skills, e a linha vertical os assuntos que você se aprofunda e, mais do que teoricamente, conhece e experimenta de forma cognitiva. Mas eu prefiro um outro formato: o número 1 em algarismo romano, em que a base que sustenta todo o seu conhecimento – soft e hard – é a capacidade de criar, de pensar diferente, de sentir arrepios ao se confrontar com clichês, de rejeitar o senso comum. E, consequentemente, ampliar sua visão de mundo e potencializar significativamente o T que está a sustentar.

T ou I, pode estar certo de uma coisa: a vida é muito melhor com criatividade. Mais que isso: criatividade é vida.

 

Artigo postado originalmente no meu blog em outubro de 2019

Visite a Escola Nômade para Mentes Criativas

CONTRATE MINHA PALESTRA: whatsapp – 11 98466-0112 com Lena

Ver Todos os artigos de Henrique Szklo