s
Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

O que pensa esse senhor?

O que pensa esse senhor?

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Imagine um político profissional, que passou por sete partidos, mas acusa de traidor quem troca uma única vez. Um sujeito que alega ter sido professor na famosa universidade americana de Harvard, mas se expressa num inglês de provocar risos; que diz ser professor de Direito, mas afirmou que se for procurado pela polícia federal, vai “recebê-la à bala”. Que afirma ser de esquerda (ou de centro esquerda, dependendo da conveniência) mas principiou a política como membro ativo do velho PDS, partido de situação no fim do governo militar. Um senhor que ofende Fernando Henrique Cardoso, mas foi seu colega íntimo de partido e ministro de Itamar Franco na implantação do Plano Real. Um cidadão que xinga e menospreza Lula, mas vive dedicando-lhe a dança do acasalamento na tentativa de atrair seus eleitores desgarrados. Também concorreu com o petista na campanha presidencial de 2002, tratando-o como um completo despreparado e, se eleito, ia pôr fogo no Brasil. Acabou aliado dele no segundo turno, cheio de sorrisos, tornando-se seu querido ministro, defendendo-o com unhas e dentes.

Menciona sempre a defesa de um tal “estado democrático de direito”, expressão fácil em bocas que desconhecem seu significado (“republicano” também, pelamor), mas sugeriu que se Lula tivesse a prisão decretada, ele próprio sequestraria o petista, levando-o a salvo para alguma embaixada “amiga” (bolivariana, claro). Alega ser expert em economia, mas acredita que o caos em vigor na Venezuela é praticamente uma coisinha fácil de consertar, e a culpa não é do demente ditador Maduro, mas sim dos americanos. Diz-se muito moderno, porém continua a entoar essa cantilena antiamericana já ultrapassada nos anos 50 (e a tal estória de Harvard?).

Ofende a todo momento o bravo povo paulista, classificando-nos como “oligarcas” e outras pérolas, mesmo sendo um dos tais “oligarcas”, nascido em Pindamonhangaba. Comporta-se como um coronelzinho do agreste no início do século XX, agredindo pessoas em ambientes públicos (certa vez despencou nas pesquisas por chamar um eleitor de “burro”). Entoa odes à modernidade e ao bom comportamento enquanto dispara palavrões no varejo e no atacado, xinga quem lhe dá na telha, distribui tapas, rebaixa mulheres e homossexuais de forma brutal, e se alguém questiona seu destempero, pode esperar alguma grosseria certeira em lugar de resposta.

Diz também defender as minorias, mas chamou o vereador da capital paulista Fernando Holiday de “capitãozinho do mato”, por ser negro e ousar discordar do onisciente Ciro Gomes, tão cheio de si quanto seu homônimo persa. Esses fatos são facilmente encontrados através dos mecanismos de busca na internet, tais como:

Sim, esse é Ciro Gomes, em poucas palavras (muitas de baixo calão). O homem que alega saber tudo, resolver tudo, sendo o melhor candidato a qualquer cargo, principalmente à presidência da República – e ai de quem discordar! Se desmentido com provas, imagens e gravações, fica furioso; só ele tem razão e sua versão é a única a valer. A última contada, obviamente. E não se atrevam a lembrá-lo das anteriores, totalmente diferentes. Muda de ideia como muda de camisa e de partido, mas garante que nunca faz isso. É uma incoerência ambulante e violenta.

Quando governador do Ceará (1991-1994) fez uma boa administração, embora sempre derrapando na arrogância e na bocarra indomável. Critica seus adversários por acenderem uma vela para Deus e outra para o diabo, enquanto ele mesmo acende umas 17, para o capiroto e quem mais queira aproveitar – basta lembrar que chamou ACM Neto de anão moral e agora pede votos a ele e ao DEM, partido que classifica como fascista. Pois é. Pra afogado, até crocodilo é tronco; mesmo para os afogados arrogantes.

A eleição presidencial deste ano tem tudo pra ser uma lástima. E pode ser ainda pior: uma briga de foice na qual o populismo será a foice e nosso pescoço o alvo. Haja Pantoprazol.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes