Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

País de Santos

País de Santos

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Há dias um assunto artificialmente inflado ocupa sites e jornais: A posse interrompida da ex-quase-futura ministra do Trabalho, deputada federal Cristiane Brasil (PTB/RJ), filha do conhecido Roberto Jefferson, aliás Bob Jeff.

                        Resumo da ópera: Michel Temer, em mais uma desastrosa escolha, decidiu preencher a pasta ministerial vaga com a deputada. Dias antes da posse, um grupo ingressou com várias ações na justiça federal requerendo a suspensão imediata do ato, alegando que Cristiane foi condenada a indenizar um ex-funcionário na justiça do trabalho. E isso lá é motivo para avaliar a moral ou a honestidade de alguém? Desde quando? Ela realmente não merece ser ministra, por vários motivos – mas não por este.

Antes que os apressadinhos de sempre rufem seus tambores de ataque, vamos deixar uma coisa bem clara: NÃO se trata de defender a deputada. Na verdade, sendo quem é, fazendo o que faz e apoiando quem apoia, não deve ser exatamente um primor de cidadã. Mas desqualificá-la por perder uma ação desse tipo é absolutamente ridículo.

A começar pela própria justiça do trabalho; injustiças são perpetradas em suas varas espalhadas pelo Brasil, em nome de uma legislação arcaica, protecionista, absurda, na qual o patrão, grande ou pequeno, é sempre colocado na posição de sádico. É a única justiça no País na qual não existe paridade de argumentos; a palavra do trabalhador vale mais que a do patrão e ponto final. E por que essa discrepância entre os processos trabalhistas e seus “primos” criminais, cíveis, tributários? Por que nas demais justiças do Brasil, estaduais ou federais, a parte ré se defende em condições de igualdade com a parte autora, mas jamais na trabalhista? Porque sim, e ponto final.

Antes das pedradas: ninguém está dizendo que todo empregador é santo e qualquer empregado é um parasita pronto a vampirizar o chefe; não é isso. Mas as injustiças nesse ramo do direito, ultrapassado pelo tempo e pela tecnologia, aliadas a uma lentidão exasperante, são visíveis a quaisquer advogados militantes na área, que sofrem com pequena parcela de juízes (olha as pedras voando! Não todos! Uma parcela, e pequena, ok?), arrogantes, tratando causídicos e partes como seres inferiores, desfrutando de um salário sem paridade nem nas nações mais ricas do planeta (nosso judiciário é o mais caro do mundo, considerando custo/PIB), mordomias idem, e assinando sentenças que mais se assemelham a lições de moral e menos com decisões judiciais.

Pois é.

Sem contar a procissão de comerciantes em geral, ou meros empregadores domésticos – toda uma gama de gente honesta que já foi altamente injustiçada, seja por um funcionário que faltou com a verdade, seja por um juiz trabalhista que enxerga pelo em ovo. Atenção: Essas duas últimas classes não são maioria, mas existem. E como existem. O mesmo pode ser dito da procuradoria do trabalho, que classifica como “trabalho escravo” a falta de cabides nos banheiros dos empregados, entre outras pérolas. Resultado: Multam a empresa com valores exorbitantes, falindo-a. Daí, os funcionários, sem o emprego “descabidizado”, vão trabalhar 12 horas por dia em alguma imunda carvoaria clandestina por metade do salário anterior. Mas a justiça foi feita, ufa! – comemoram os engravatados que não tem a menor ideia de como funciona a vida real; entendem apenas da fajuta, rabiscada nas leis caducas. Produzem miséria em nome da justiça. Só rindo.

Voltando: A deputada afirma que as ações pedindo suspensão de sua posse foram patrocinadas pela turma de Lula, o honestíssimo. Não é de se duvidar. O estranho é que até importantes sites de notícia, como O Antagonista, comemoraram a decisão, chegando a comparar a possível posso de Cristiane à de um criminoso no ministério da Justiça. Menos, né, gente? Detalhe: a lulista Jandira Feghali (PCdoB/PR), tomou sete (sete!!) ações trabalhistas de ex-funcionários de seu restaurante falido, condenada em todas, e ninguém a chamou de “criminosa”. Também deve à previdência R$ 57 mil reais, e ninguém reclama: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,membros-da-comissao-de-reforma-tem-debitos-trabalhistas,70001739113 Gozado, não?

No dia em que uma empresa ou pessoa física condenada em ação trabalhista for “criminosa”, vai faltar cadeia no Brasil. Aliás, já falta, para os verdadeiros criminosos. E ninguém liga muito. A deputada realmente não serve como ministra, mas se esse for o motivo, está aberto um precedente simplesmente ridículo.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes