Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Parou, parou… tá doendo!

Parou, parou… tá doendo!

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Meu amigo Carlão ficou fascinado com uma chocante cena (essa aí da foto) do fim do filme O Resgate do Soldado Ryan (Saving Private Ryan, 1998), na qual um soldado alemão e outro americano entram em combate corpo a corpo, numa luta de vida ou morte. No início o americano parece levar vantagem, mas seu inimigo, com força e habilidade, joga-o ao chão e está prestes a cravar a baioneta em seu peito – o que de fato ocorre, numa cena lenta e angustiante. Desesperado, sozinho e sem possibilidade de reação, o americano apela para uma insólita saída: Pede para seu contendor parar e prestar atenção nele, do tipo “para que tá doendo e machucando”. O alemão, um experimentado Waffen SS, obviamente não dá a mínima ao estranho pedido e soca a lâmina até o cabo, com visível satisfação.

Porque um soldado faria uma coisa tão absurda, tentando “explicar” ao inimigo que a “brincadeira” tinha acabado? Que machucar o amiguinho era muito feio e ele precisava ir embora porque a mãe tava chamando pra jantar? A cena, que une de forma magistral o horror e o patético, ensina uma coisa muito simples: Na hora do desespero, vale absolutamente tudo. Seja por falta de ideia melhor ou autopreservação, medo, instinto de sobrevivência… naquele momento crucial o cérebro (ou a falta dele) apela pra absolutamente qualquer coisa. Negar a realidade é uma das “soluções” aparentes. De qualquer forma, simplesmente não funciona, como demonstrou o SS.

Só isso explica as cabeçadas que Lula e sua fantocha estão dando. Uma hora elogiam FHC e pedem sua ajuda; no momento seguinte cospem em sua imagem, atribuindo-lhe todas as culpas do mundo. Num momento chamam a oposição para conversar, alegando um tal de entendimento nacional; noutro, acusam-na de só pensar em si… e isso dito em rede nacional. Xingam Collor, Renan Calheiros, Sarney, Marina Silva, Ciro Gomes, banqueiros, empresários; no dia seguinte elogiam Collor, Renan Calheiros, Sarney, Marina Silva, Ciro Gomes, banqueiros, empresários. Depois recomeçam o ciclo. Na 2ª-feira elogiam a polícia federal, o MP e a Justiça. Na 3ª, xingam. Na 4ª elogiam de novo e na 5ª voltam a vociferar contra.

Lula e Dilma prometem tudo; em dois ou três anos seremos uma espécie de Suécia com carnaval de 40 dias e salários em dólar. Todo mundo vai ficar bem de grana e o paraíso nos aguarda, aqui mesmo abaixo da linha do Equador. Basta ser otimista e deixá-los fazer o que pretendem. Preocupar-se com a inflação alta, desemprego explodindo e roubalheira jamais vista na História é bobagem, gente… que mania besta é essa de prender ladrão?

Uns dirão que isso tudo é apenas a cara de pau característica, utilizada no jogo político desde sempre. Não, não é. É puro desespero. A baioneta ta entrando, e tá doendo. Dá pra tirar, por favor? Serve até como metáfora pornô, se é que me entendem. E a posição passiva de Lula e da presidonta é a mesma, podem apostar. Esperando coisa pior. Sabem que a baioneta, metafórica ou não, tá cada vez mais próxima, furando o fundo das calças – que já estão borradas de medo. E depois que entrar… vai ser um estrago.

A mencionada cena do filme é esta:

Um grande momento do cinema; cruel e constrangedor. Faz-nos sentir mal pela crueza praticada, pelo desespero estampado no rosto de um e o instinto homicida, praticamente prazeroso, no do outro. Mas ainda sim muito mais leve que as loucuras de Lula & Dilma, a dupla que é a cara da vergonha alheia. E por falar em constrangimento… a propaganda política protagonizada pela dupla e Zé de Abreu foi de dar nojo. E ainda têm a audácia de pedir “diálogo”.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes