s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Perdidos no Espaço

Perdidos no Espaço

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

Governar: Isso se faz com erros e acertos. Ninguém é santo ou perfeitinho quando se trata dessa atividade humana que remonta a milênios. Mas o Lulismo conseguiu transformar a possibilidade de erro na plena e total certeza de que, se há besteira a ser feita, ela o será, e de modo a prejudicar o máximo possível o Brasil, roubando o que se puder para os bolsos e cuecas de seus seguidores.

Em 2003 o lulismo pôs em prática uma nova modalidade de seu esporte favorito: Culpar os Estados Unidos por todos os males deste mundo… e de outros, perdidos pelo Espaço afora. Uni-vos, ETs companheiros, ante o imperialismo interplanetário! Avante, pequenos camaradas verdes do MMSE (Movimento dos Marcianos Sem Espaço)!

Até 2001, tínhamos um ótimo acordo para projetos espaciais com os EUA; nossos futuros astronautas, hiper-capacitados oficiais da Força Aérea, participavam de treinamento na NASA, com a melhor tecnologia do mundo. Fazíamos parte da Estação Espacial Internacional, satélites de comunicação e meteorologia estavam em pauta, e discutia-se a possibilidade de arrendamento da semi-falida Base de Alcântara, no Maranhão, para lançamentos espaciais conjuntos com os americanos, absorvendo lucro financeiro e tecnológico impressionantes para um País como o nosso, zerado de recursos desse tipo.

Óbvio que Lula e sua tropa guevarista-leninista não aceitaria acordo com o grande Satã do norte; cancelaram tudo sob a meia verdade (ou mentira inteira) que os EUA não transfeririam tecnologia. E arrumaram um novo parceiro espacial: A Ucrânia, então amiguinha dos russos.

Deu no que deu: Lula cancelou o programa espacial conjunto Brasil/EUA, mandou um turista plantar feijão no algodão num copinho com dinheiro público para colher um factóide, o primeiro “astronauta” brasileiro, ao custo de $ 20 milhões de dólares pelo passeio, mais garantia de entrega, a custo zero, da cobiçada base de Alcântara. Detalhe: Alcântara não é nenhuma maravilha tecnológica – sua importância resume-se à localização, próxima à linha equatorial, fator importantíssimo para lançamento de foguetes. E mais nada.

Resumo da Ópera do Doutor Smith: Fomos expulsos do projeto total da Estação Espacial Internacional; perdemos a possibilidade de ganhar tecnologia e dinheiro com os americanos; a Ucrânia entrou em guerra não-declarada com a Rússia, e está indo pro buraco (nosso governo apóia os russos, por razões tão empáticas quanto imbecis, claro); e não realizamos absolutamente NADA nesses doze anos, no que diz respeito ao uso de Alcântara. A única cria do lulismo espacial foi o terrível acidente de 22 de agosto de 2003, vitimando 21 engenheiros e técnicos aeroespaciais brasileiros. A nata de nossas cabeças pensantes e mão de obra na área. Uma perda irrecuperável para o País e para as famílias, que ainda não foram indenizadas. Esse é o “saldo” de mais uma das incontáveis imbecilidades lulistas. Lula afirmou que isso tinha seu lado positivo; “Há males que vêm pra bem”, disse o bolivariano-ex-atual-presidente-guevarista-cachacista-fidelista: http://correiodobrasil.com.br/noticias/brasil/alcantara-ha-males-que-vem-para-o-bem-diz-lula/29352/

Completando magistralmente mais um fracasso irremediável, Dilma rompeu unilateralmente o acordo com os ucranianos, proprietários de uma tecnologia flintstoniana, com um prejuízo de mais de um bilhão de reais. Como uma espécie de Rei Midas ao contrário, tudo que Lula e sua turma tocam vira lixo – ou coisa pior. Abril de 2015 é a data do óbito de mais essa ilusão estúpida, comedora de dinheiro público, propagandeada como sendo nossa redenção aeroespacial.

O mais incrível é que as mentes menos trogloditas do lulismo afirmam ter chegado a hora de admitir que os americanos são superiores nesse segmento, e que uma parceria com eles seria benéfica. Os lulistas radicais quase infartaram, e devem promover alguma aliança guevarista-sideral com a Coreia do Norte, Cuba, Venezuela ou algum outro importante centro stalinista aeroespacial a vapor. Tremei, imperialistas do Universo! Perigo, Will Robinson! De joelhos, Thundercats burgueses! Paredón no Espaço, o muerte.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes