s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 788 – Love, Janis
Café Brasil 788 – Love, Janis
Janis Joplin era uma garota incompreendida, saiu da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

Problema: Boa vontade

Problema: Boa vontade

Jorge De Lima - Iscas Olhos&Alma -

10527676_830313236980465_4134203447226811494_n

Há alguns meses atras procurei uma relojoaria para tentar arrumar um relógio importado que havia dado defeito, no centro da cidade. Um relógio com os ponteiros em braile. O relógio havia sofrido uma pancada e os ponteiros não funcionavam direito. O relojoeiro era um rapaz de seus 30 anos, disse que morou fora, que era viajado e falou de suas aventuras pelo mundo. Pegou o relógio, olhou pensou e sem examinar o problema disse: procure a assistência técnica, é um bom relógio mas não vou mexer nele… não sei direito com este tipo de modelo.

E falou de uma série de problemas, de dificuldades, sem abrir o relógio para ver o que era… reclamou do pouco movimento, da pouca clientela, que ia voltar para os Estados Unidos por que a vida aqui era muito difícil.

 Esta semana levo o mesmo relógio em outro relojoeiro mais velho. Ele abre o relógio sem medo, testa a bateria e em cinco minutos descobre o problema resolvendo toda questão. Eu na hora fiquei aturdido questionando e o outro relojoeiro que me disse que tinha de mandar o relógio pro exterior, que aqui ninguém ia saber mexer com ele, que não sabia como funcionava o relógio…

 Depois desta epopéia pensei nos burocratas, naquela senhora da repartição pública que nunca tem solução paro os problemas que temos, no político que desfigura a realidade que maquia os números para perpetuar sua ineficácia, pensei na desculpa esfarrapada do aluno relapso que nos procura no final do curso pedindo a nota da disciplina que ele não assistiu. Já viu isto?

Nossa sociedade é dividida. A massificação tem esta característica básica que funde comodismo, com falta de curiosidade, com pensamento padronizado na especialidade de ver defeitos e em raros momentos tentar achar uma solução.E um indivíduo massificado perde sua capacidade criativa, sua identidade, sua capacidade de resolver problemas, de ousar, de pensar diferente, de questionar. Como o primeiro relojoeiro desta história pra que pensar em solução se posso idolatrar um problema?

Pra que tentar se é mais fácil desistir? Hoje vejo inúmeras pessoas reclamando de governo, de dificuldade, de endividamento, do estado que não presta, com muita conversa fiada e rara ação. A mesma retórica de promessa eleitoral de campanha política, muito discurso e inação.

Para mim o ocorrido do relógio foi bem significativo. Pensei nas várias vezes que sem questionar ou prestar atenção reclamei e desisti, algo comum a nossa cultura. Pensei na vida dos amigos e conhecidos e do quanto isto tem sido comum em nosso subdesenvolvimento. Reclamar e desistir é fácil, tenta fazer diferente e agir. Seu bolso, sua vida profissional, social sua existência vão agradecer.

Ver Todos os artigos de Jorge De Lima