s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Quem te viu, quem te vê…

Quem te viu, quem te vê…

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

                 Quem passou as férias sem ver TV ou ler jornal voltou pra casa com a sensação de cruzar acidentalmente um portal da quinta dimensão ou de algum mundo paralelo. As notícias são tão estranhas que parecem fofoca do Chapeleiro Louco.

                 Marta Suplicy atacando seu próprio partido; chamando o governo Dilma de “desastroso” e vários lulistas de covardes, traidores, inimigos, ladrões. É puro oportunismo dela, óbvio… mas espanta pela honestidade, mesmo essa, forçada.

                 Mais? Dilma venceu (por muito pouco) as eleições com promessas que jamais poderia cumprir. Até aí nenhuma novidade; o problema é que ela está fazendo tudo exatamente ao contrário do prometido, e a lulada diz amém. Mas como, ela se tornou uma capitalista de carteirinha? O Brasil mudou tanto em 2 meses?

                 Dilma aterrorizou os eleitores pintando Marina e Aécio como verdadeiros boitatás. Eleitos, entregariam o Brasil aos nazistas-americanos-banqueiros-bruxas-vampiros-zumbis-fascistas. A comida ia sumir dos pratos e tudo seria um inferno. Passados alguns dias da posse, trajando fantasia de capa de botijão de gás (e sua neoamiga Kátia Abreu vestida de pamonha) temos um panorama igual (ou pior) do que ela pintou em caso de vitória de seus oponentes:

                 Aumento de 40% na energia elétrica; a Petrobrás praticamente quebrada, enfrentando uma chuva de ações judiciais aqui e no exterior; promessa da própria presidonta de privatização da Caixa Econômica Federal através de abertura de capital em bolsa de valores; defasagem de 75% na isenção do Imposto de Renda para Pessoa Física; desmonte do Salário Desemprego, que vai atingir 60% dos demitidos daqui pra frente; implosão do FIES, via estrangulamento de repasses mensais às faculdades particulares (e isso depois de assumir com o lema risível de “Pátria Educadora”, visto que o “País sem Miséria” do primeiro mandato conseguiu aumentar a miséria – dados do IBGE).

                 Tá bom procê? Não? Redução de todo o tipo de “Bolsas”, incluindo o famigerado Bolsa-Família, com redução dos pagamentos e impossibilidade de novos beneficiários; dólar a R$ 2,70; ajuste fiscal através de aumento de impostos sem redução de gastos (assim, até o Eike Batista consegue sair do vermelho); alta do juro de financiamento imobiliário, atingindo 70% desse mercado através da CEF; redução de investimentos em Saúde e Educação; banqueiros no comando da Fazenda e do Banco Central (to esperando meu x-tudo desaparecer do prato); fim de 30% das pensões recebidas por morte do cônjuge – o rombo (admitido, pois o real é o triplo) da Previdência alcança R$ 50 bilhões. Ok, algumas medidas são até necessárias… mas foi muita sujeira mentir tanto para os eleitores. Estelionato eleitoral claríssimo. Realmente fizeram o diabo durante as eleições, como prometeram.

                 Finalizando, outra queda do PIB, com estimativa de crescimento em 2015 da ordem de pífio 1%, com o mundo crescendo 3% em média. Os demais emergentes crescem a 7% ou mais.

                 A única verdade vomitada pela presidonta foi o aviso de que este ano será de sacrifício. É tanta cara de pau que nem desculpinha eles usam mais, como a tal crise mundial. Ironicamente (ironia ou justiça?), a classe mais prejudicada pela enxurrada de maldades será justamente a massa menos esclarecida e mais pobre, garantidora da eleição da botijuda. Esse é o prêmio que recebem por acreditar na dupla Pinóquio & Pinóquia, a mais mentirosa que já alcançou a presidência da Banânia.

                 José Dirceu tá inconformado com a ex-cumpanhêra; compungido, em lágrimas, agarrado a uma garrafa de rum cubano e um busto de Stalin, oferece à neo-traidora a música do cumpanhêro Chico Buarque, aquele que defende o comunismo lá do seu apartamento em Paris, às margens do Sena, pago com dólares ganhos no mercado musical capitalista: 

                 Que mundo doido, hein?

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes