s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Hoje bato um papo com Antônio Chaker, que é o ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Pax Aeterna
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Maquiavel é, com alguma freqüência, considerado o primeiro cientista político moderno: nas suas análises, ele teria sido um dos primeiros a rejeitar tanto uma concepção metafísica da natureza ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Cafezinho 432 – O vencedor
Cafezinho 432 – O vencedor
As pessoas não se importam com o que você diz, desde ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Resumo da Aula 3 do Curso On-line de Filosofia (COF)

Resumo da Aula 3 do Curso On-line de Filosofia (COF)

Eduardo Ferrari - Resumos e Artigos -

Continuando a série de resumos do COF, os principais pontos da aula de 2h38min serão apresentados em menos de 5 minutos de leitura, sempre com o objetivo de chamar a atenção do leitor para o valor inestimável do curso do Professor Olavo de Carvalho.

No início da terceira aula do COF, em 4 de abril de 2009, Olavo esclareceu que o exercício do necrológio deve ser refeito várias vezes ao longo da vida, com o intuito de avaliar permanentemente a trajetória em direção aos objetivos, além de ajustá-la ou alterá-la, se for o caso.

A partir da citação de São Tomás de Aquino, de que toda e qualquer regra moral é genérica e universal, e toda situação humana é concreta e particular, o professor destaca a importância de saber onde se quer chegar, de forma que o caminho possa ser trilhado confrontando-se os princípios de moralidade para o atingimento desse objetivo concreto com os princípios morais genéricos e universais socialmente aceitos.

Citando Eric Voegelin, filósofo que o professor considera como grande crítico da utilização de frases vazias de sentido, Olavo ressalta que estamos vivendo num mundo de apego a sentenças sem fundamento na realidade que são defendidas cegamente por serem consideradas sagradas, a exemplo da expressão “democracia integral”.

Os teóricos da democracia, de John Locke a John Rawls, conferem ao termo a ideia de equilíbrio de poderes, de forma que isoladamente cada esfera de poder não pode ser considerada democrática. Os poderes legislativo, judiciário e executivo, como também outros agentes como a cultura, a Igreja, os sindicatos e associações participam do jogo democrático, que se caracteriza justamente por esse equilíbrio sem que um prevaleça sobre os outros.

Assim, essa proporcionalidade dos poderes na democracia torna a expressão “democracia integral” incoerente pois é impossível algo ser proporcional e ao mesmo tempo integral!

O professor ressalta que a articulação entre como pensar e como perceber a realidade, ou entre a lógica e a experiência será tema recorrente ao longo de todo o curso, recomendando que do pensamento se faça o caminho inverso para a realidade.

Ao responder uma pergunta de um aluno, o professor menciona a importância do testemunho verdadeiro e cita a necessidade de adesão dos alunos a uma espécie de juramento de Hipócrates: ater-se ao máximo de honestidade possível, visto que não há “honestidade integral”.

O professor então passou o segundo exercício do COF, orientando o aluno a escrever com sua própria caligrafia um trecho de Louis Lavelle ditado por ele chamado Témoignage (Testemunho), disponível no apêndice do livro De l’Intimité spirituelle (Da intimidade espiritual), 1ª edição publicada pelas Edições Aubier, no ano de 1955.

O pequeno trecho de 8 linhas fala sobre uma espécie de transição entre momentos de iluminação e contentamento diante da vida e fases obscuras cheias de obstáculos. O professor então compara o conteúdo do referido trecho com a ideia inicial da aula de que as situações concretas e os seus dilemas morais específicos sempre se colocam frente a frente com a dimensão genérica e universal dos conceitos de moralidade.

Ao responder outra questão de um aluno, o professor ressalta a importância da consciência da morte para a filosofia e cita uma experiência em que Viktor Frankl, numa visita a uma prisão, teria aceitado a proposta do diretor de conversar com um detento que seria executado em questão de horas.

Frankl então disse ao condenado que não importava se ele viveria 5 minutos ou 50 anos, desde que utilizasse esse tempo fazendo algo que tivesse sentido para ele.

A respeito do voto de abstinência em matéria de opiniões, o professor esclareceu que o aluno deve evitar opiniões inúteis e abster-se da opinião que não esteja carregada com um material de experiência pessoal e cultural suficientes.

Menciona então, pela primeira vez no curso o conceito de status quaestionis, que consiste na identificação da origem histórica de uma questão, opinião ou posicionamento e quais teriam sido as etapas percorridas, as dificuldades encontradas ao longo do tempo e como a questão evoluiu até o momento atual.

Nesse início de curso, o professor respondeu várias questões de alunos que foram muito importantes para situá-los sobre o que se esperava deles ao longo e após o período de 4 a 5 anos inicialmente previstos de duração do COF, que hoje, lembremos, continua ativo após mais de 10 anos, com quase 500 aulas.

Vale muito a pena ser aluno do COF e poder assistir as aulas antigas em vídeo ou áudio, depois ler a transcrição completa, fazendo anotações num caderno, conforme o professor recomenda.

Aliás, a aula 483, do último sábado, 17 de agosto de 2019, com mais de uma hora de duração foi maravilhosa! O professor recomenda várias vezes ao longo do curso, que, ao iniciar o COF a qualquer momento, o ideal é assistir às aulas novas aos sábados e, ao longo da semana, ir ouvindo as aulas antigas, desde a primeira, na sequência.

Poe enquanto, é isso! Até a próxima aula.

Imagem de autoria de Rafael Medeiros

Ver Todos os artigos de Eduardo Ferrari