s
Iscas Intelectuais
O Lado Cheio
O Lado Cheio
Aqui é o lugar onde você encontrará análises sobre o ...

Ver mais

Pelé e os parasitas.
Pelé e os parasitas.
Meu herói está lá, a Copa de 1970 está lá, o futebol ...

Ver mais

Branding a preço de banana.
Branding a preço de banana.
Quanto vale o branding? Pelo que estou vendo acontecer ...

Ver mais

O Tigre Branco. Ou poderia ser Cidade de Budah…
O Tigre Branco. Ou poderia ser Cidade de Budah…
Um grande comentário sócio-político sobre a divisão em ...

Ver mais

Café Brasil 764 – LíderCast Live – Gastronomia Viva
Café Brasil 764 – LíderCast Live – Gastronomia Viva
Medidas restritivas desproporcionais impostas pelos ...

Ver mais

Café Brasil 763 – A Agro é pop?
Café Brasil 763 – A Agro é pop?
Você já sabe que a Perfetto patrocina o Café Brasil,  ...

Ver mais

Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Café Brasil 762 – LíderCast Alessandro Santana
Da mesma forma como o Youtube joga no colo da gente um ...

Ver mais

Café Brasil 761 – O viés nosso de cada dia
Café Brasil 761 – O viés nosso de cada dia
Você já ouviu falar em autoilusão? A forma como nós ...

Ver mais

LíderCast 217 – Amyr Klink
LíderCast 217 – Amyr Klink
Meu nome é Amyr Klink, tenho 65 anos e eu construo viagens.

Ver mais

LíderCast 216 – Denise Pitta
LíderCast 216 – Denise Pitta
Empreendedora digital, dona do site Fashion Bubbles, ...

Ver mais

LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
LíderCast 215 – Marco Antonio Villa
Historiador, professor, comentarista polêmico em rádio ...

Ver mais

LíderCast 214 – Bianca Oliveira
LíderCast 214 – Bianca Oliveira
Jornalista e apresentadora, hoje vivendo na Europa, ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Três livros sobre corrupção e como combatê-la
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A corrupção e o desafio de combatê-la em três livros “Ao contrário da maioria dos crimes violento ou passionais, a corrupção em larga escala é um crime absolutamente racional, baseado na análise ...

Ver mais

Richard Feynman desancando a universidade brasileira… de 1951
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Como acabar com o mito de que a educação brasileira dos anos 50 tinha boa qualidade…   Em 1951, o físico norte-americano Richard Feynman (que posteriormente ganharia o Nobel de Física) veio ...

Ver mais

Exemplos positivos da sociedade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Exemplos positivos da sociedade O início do outono foi marcado pela publicação de dois documentos apresentados por diferentes segmentos da sociedade com considerações críticas e sugestões para o ...

Ver mais

Efeito da pandemia na economia mundial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Efeito da pandemia na economia mundial “O PIB brasileiro se apresentou melhor do que o de muitos países da Europa, por exemplo. No início da pandemia, a expectativa era de que o PIB brasileiro ...

Ver mais

Cafezinho 375 – As Mídias E Eu
Cafezinho 375 – As Mídias E Eu
Dias 26, 27 e 28 de abril vai acontecer o DESAFIO AS ...

Ver mais

Cafezinho 374 – Amizades perdidas
Cafezinho 374 – Amizades perdidas
Não brigue com seu amigo por causa da política. Depois ...

Ver mais

Cafezinho 373 – oladocheio.com
Cafezinho 373 – oladocheio.com
Venha para o lado dos que querem construir.

Ver mais

Cafezinho 372 – (des)Equilíbrio
Cafezinho 372 – (des)Equilíbrio
Após anos de condicionamento recebendo más notícias, ...

Ver mais

Rua Augusta

Rua Augusta

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Rua Augusta

 Quem te viu, quem te vê

epois de meses trabalhando em home office, compareci ao Espaço Democrático. Dos vários corredores que levam à região central – Rebouças/Consolação, Augusta, Nove de Julho, Brigadeiro Luiz Antonio, 23 de Maio –, optei pelo trajeto que se configura como um grande retão, que se inicia logo depois da ponte da Cidade Jardim e chega até o Centro. A partir da Rua Estados Unidos, esse retão responde pelo nome de Rua Augusta.

A melancolia foi inevitável. Na minha juventude, a Rua Augusta era a mais elegante e charmosa de São Paulo. Concentrava as melhores lojas, bons cinemas, restaurantes, cafés e lanchonetes, atraindo visitantes de vários bairros da capital e de outras cidades que lá encontravam produtos exclusivos num comércio de primeira categoria.

Fazer compras ou simplesmente passear pela Rua Augusta era sinal de status. Ronnie Cord, um dos integrantes da Jovem Guarda, deu o nome da rua a seu maior hit, na fase em que o grande ídolo Roberto Carlos enaltecia carros, carangos, calhambeques, estradas e velocidade.

Em 1970, era para lá que a população se dirigia para comemorar as vitórias da seleção brasileira na Copa do México, na qual a Seleção Brasileira conquistou o tricampeonato mundial.  No Natal de 1973, a Rua Augusta chegou a ter seu trecho mais badalado acarpetado, a exemplo do que acontecia em famosas ruas londrinas.

Com a chegada dos shopping centers, surgiu uma concorrência cada vez mais ameaçadora, à medida que o crescimento desordenado da cidade trazia consigo problemas de violência e engarrafamentos de trânsito.

Com o tempo, o cenário foi se alterando, e o glamour da velha Rua Augusta foi transferido, num dos seus trechos, às suas alamedas, como a Oscar Freire, que se tornou a rua de comércio mais chique da cidade. Outro trecho, conhecido como Baixo Augusta, transformou-se num dos lugares preferidos por um público alternativo, frequentador de bares, boates, cineclubes e casas de música ao vivo que ali se multiplicavam.

Quem observasse atentamente, percebia certa deterioração, mas, aos trancos e barrancos, o movimento se mantinha. Mas faltava à Rua Augusta uma identidade própria, uma vez que o comércio elegante transferiu-se para os shoppings e o popular concentrou-se em regiões como a da 25 de Março, do Brás e do Bom Retiro.

A pandemia do coronavírus, porém, escancarou a decadência. Em boa parte da extensão da Rua Augusta, uma sequência infindável de portas fechadas domina o cenário em que antes se viam lojas, bares, restaurantes, lanchonetes e galerias.

Torço para que a deterioração não atinja o nível de degradação a que chegaram outras regiões da cidade, que percorreram trajeto semelhante. Passando pela Rua Augusta e imaginando um eventual projeto de recuperação, lembrei de outro hit, este de Chico Buarque, cujo refrão dizia:

Quem te viu, quem te vê
Quem não a conhece não pode mais ver pra crer
Quem jamais a esquece não pode reconhecer.

 

Iscas para ir mais fundo no assunto

Referências musicais

Quem te viu, quem te vê. Letra e música de Chico Buarque. Disponível em https://www.vagalume.com.br/chico-buarque/quem-te-viu-quem-te-ve.html.

Rua Augusta. Letra e música de Ronnie Cord. Disponível em https://www.vagalume.com.br/chico-buarque/quem-te-viu-quem-te-ve.html.

 

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado