Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Características Gramaticais dos Substantivos (parte 3)

Trivium: Capítulo 3 – Características Gramaticais dos Substantivos (parte 3)

Alexandre Gomes -

Até agora mostrei maneiras um pouco diferentes de se ver um SUBSTANTIVO.

Usando um tanto de Lógica e  Filosofia para explicar SUBSTANTIVOS e ADJETIVOS. E só para te lembrar: toda a Realidade é composta por objetos, e tais objetos têm um conjunto específico de ACIDENTES, que  os diferenciam entre si. Para tudo isso, criamos palavras para descrever tais objetos e seus ACIDENTES.

 

(Ah, insisto no termo “ACIDENTE” para não confundir mais ainda se usasse a palavra “qualidade”, que é um tipo de acidente)

 

Logo, SUBSTANTIVOS nomeiam objetos. E ADJETIVOS nomeiam acidentes. Este é um bom começo, não é?

 

Agora, irei listar e apresentar as Características Gramaticais dos Substantivos:

 

  • Número: Estritamente falando… um SUBSTANTIVO que nomeia um INDIVÍDUO não tem número, porque esse INDIVÍDUO é único e não pode ser pluralizado, exceto naquilo que o torna um MEMBRO DE SUA ESPÉCIE ou GÊNERO.(lembrou do exercício da lição anterior?). Um SUBSTANTIVO que nomeia um indivíduo é um NOME PRÓPRIO ou uma DESCRIÇÃO EMPÍRICA.

 

  • Gênero: Um substantivo pode ser masculino, feminino, neutro ou comum. e para deixar isso claro, irá em letras maiúsculas: GÊNERO É GRAMATICAL, certo? Ou seja, o termo gênero, no Português, é usado para duas coisas APENAS:

 

  1. designar uma classe mais abrangente que espécie, e;
  2. se referir às classes masculinas e femininas das PALAVRAS.

 

  • Pessoa: Esta característica é mais importante para PRONOMES do que para SUBSTANTIVOS. Ela tem sua origem natural na conversação, pois a 1a. pessoa é a que fala; a 2a. pessoa é a que escuta, e a 3a. pessoa (que pode ser um indivíduo ou um objeto cáspita!) é aquela de que se fala. O pronome CONCORDA em PESSOA, NÚMERO e GÊNERO com o substantivo que o antecede. O pronome relativo desempenha AO MESMO TEMPO três funções:

 

  1. faz a vez do substantivo;
  2. conecta orações;
  3. subordina uma oração à outra.

Exemplo: Sofia é a guria QUE conheci na escola.

Antes, vou lembrar uns conceitos básicos para evitar dúvidas e confusão:

ORAÇÃO: é um conjunto de palavras que se estrutura em torno de um verbo para formar uma mensagem.

FRASE: é um enunciado de sentido COMPLETO que pode ser formado por uma só palavra ou várias; podendo ter verbo(s) ou não.

Desculpe te lembrar daquelas aulas de Análise Sintática do colegial, mas foi preciso. Agora… voltando à frase do exemplo:

Sofia é a guria QUE     conheci na escola

          A                                               B

 

Perceba que o “QUE” é o que conecta as duas orações (função da letra “b” acima), ele também subordina a oração B à oração A (função da letra “c”), bem como faz a vez do substantivo “guria” da oração A para a oração B (função da letra “a”)

 

 

  • Caso: mostra a relação de um substantivo ou pronome com outras palavras na FRASE. Existem quatro casos distintos dessa relação. Veja:

 

  1. NOMINATIVO: é o caso do sujeito. É o único caso necessário a todas as frases;

Ariano Suassuna é um escritor.

  1. GENITIVO: é o caso que nomeia aquele que possui;

  Fernanda tem um cão.

  1. DATIVO: é o caso que nomeia o termo* para o qual a ação segue (objeto indireto);

Shakespeare deu Hamlet ao mundo.

  1. ACUSATIVO:é o caso que nomeia o objeto que recebe a ação (objeto direto).

Shakespeare deu Hamlet ao mundo.

* o próximo capítulo será sobre o que é termo. Por ora, digo que termo é uma palavra usada para comunicar um conceito. Ou seja, um tipo bem específico de palavra.

 

Agora vamos puxar um pouco a barra  pra cima. Veja a frase em inglês abaixo, ela tem uma pegadinha.

“The quarterback threw Dan the football”. Perceba que eu não estou dizendo que o zagueiro jogou o pobre do Dan na bola. Essa seria uma tradução apressada que poderia levar a esse erro. Veja como é fácil errar.

 

THE   QUARTERBACK    THREW DAN THE     FOOTBALL

  o            zagueiro         lançou Dan a            bola

 

O tradutor apressado sapeca um “n” ali no “a” e dá à luz a seguinte pérola: “O zagueiro lançou Dan na bola”. Enquanto uma tradução decente entende que verbos como dar, contar, entregar, etc. que predicam um RECEPTOR e algo a ser recebido. Então, o tradutor compreende a imagem criada e reescreve a frase para o português, preservando a imagem criada pela frase original:

 

“O zagueiro lançou a bola para Dan” ou ainda “O zagueiro lançou a Dan a bola”

 

Notou que a tradução não é apenas a troca de palavras de mesmo significado de línguas distintas?

Enfim, esta foi uma introdução razoável ao que a Gramática Geral pode dizer sobre o que é substantivo. Há muito mais, vá ao livro (Trivium), estude os outros exemplos!

Na próxima lição, iremos começar a entender as palavras ATRIBUTIVAS.

 

Ver Todos os artigos de Alexandre Gomes