Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Gramática Geral (parte 1)

Trivium: Capítulo 3 – Gramática Geral (parte 1)

Alexandre Gomes -

Novo capítulo, nova pegada! O que você viu até agora era voltado à comunicação e como a linguagem realmente funciona. Imagino que você tenha notado uma coisa importante: as línguas e as palavras podem, e vão, mudar com o passar do tempo. E isso irá acompanhar a agudeza de nossas mentes, nossa inteligência – não a individual, mas a coletiva.

Mas isso não quer dizer que aquela conversa de que se prender a formalismos e regras é um erro tem algum sentido. Não tem. é bobagem para emburrecer quem quer ser melhor que é, preguiça e/ou malandragem de quem deveria ensinar a gramática formal.

Bom, feita esta introdução (meio longa), vamos ao que interessa agora.

 

Qual a diferença do que será apresentado aqui, daquilo que estudamos (ou toleramos) durante nossos anos de escola?

Esta GRAMÁTICA GERAL trata da relação das palavras com as ideias e com a realidade.

Enquanto a Gramática Especial (a que eu e você estudamos do primário até o colegial)diz respeito principalmente à RELAÇÃO DAS PALAVRAS COM AS PALAVRAS. não importa se estudamos uma gramática para aprender nossa língua materna ou um segundo idioma. Ou seja, Gramáticas especiais ensinam aquela história de concordância entre sujeito e verbo quanto à pessoa e número.

Portanto, a Gramática Geral é mais filosófica, porque está mais diretamente relacionada à Lógica e à Metafísica.

 

E agora iremos começar a complicar um pouco as coisas, pois agora virão os palavrões.

 

A Gramática Geral distingue, separa, as palavras em dois grandes grupos:

 

  1. Palavras CATEGOREMÁTICAS;

 

  1. Palavras SINCATEGOREMÁTICAS.

 

Palavrões. Eu avisei.

 

Vou tentar simplificar as coisas por aqui. As palavras categoremáticas são autônomas. Pois elas têm sentido por si próprias; ou seja, ou são substantivos ou são adjetivos. Dizendo de outra forma: palavras categoremáticas dão nome a coisas ou a qualidades de algo.

 

E já que falei sobre Filosofia, uma boa associação pode ser feita aqui. As palavras categoremáticas podem ser facilmente classificadas nas 10 Categorias do SER! (só lembrando as categorias: 1 substância e 9 acidentes). Dito isso, fica fácil perceber como as Dez Categorias se distribuem entre os dois tipo de palavras categoremáticas:

 

  1. SUBSTANTIVAS: palavras que simbolizam substâncias;
  2. ATRIBUTIVAS: palavras que simbolizam acidentes.

 

Já as palavras sincategoremáticas (Santo Deus…), são aquelas que só têm significado junto a outras palavras. Pois, se analisadas sozinhas, não podem ser classificadas nas categorias do Ser que citei ali em cima. As palavras sincategoremáticas também se dividem em dois grupos

 

  1. DETERMINATIVAS, que chamam a atenção para as substâncias;

 

  1. CONECTIVAS, que ligam ou palavras ou frases, ou sujeitos e predicados.

 

Vou fazer uma analogia insólita para esclarecer todos esse palavrório: Na MATEMÁTICA, os números, ângulos, etc. equivalem aos símbolos CATEGOREMÁTICOS, enquanto +, -, %, ÷, √ , =, etc. são símbolos SINCATEGOREMÁTICOS.

 

Os números têm significado SOZINHOS, já os símbolos das operações, ou até mesmo o símbolo de “igual a” (=) fica sem significado caso não existam numerais de cada um dos seus lados.

Pois bem, na Gramática Geral temos DEZ CATEGORIAS de PALAVRAS, todas decorrentes dos dois primeiros grupos que falei (os palavrões: Categoremáticos e Sincategoremáticos). vou listar todas as categorias logo abaixo:

 

CATEGOREMÁTICAS:

Substantivas:

  • substantivos [1]; (bola, árvore, pedra)
  • pronomes [2]; ( ele, ela, teu, mim, dela, Sua Eminência, Vossa Majestade)

 

Atributivas:

  Primárias:

  • verbos (e inflexões) [3]; (voar, andando, nadei)
  • adjetivos [4]; (claro, duro, saboroso)

os verbos e adjetivos são atributos da substância!

 

  Secundárias:

  • advérbios [5]; (aqui, nunca, nem, pouco, talvez)

os advérbios são atributos dos atributos!

 

SINCATEGOREMÁTICAS:

Determinativas:

  • artigos [6]; (o, a, um, uma)
  • dêicticos [7];

 

Determinativas:

  • preposições [8] (conectam palavras); (como, afora, conforme)
  • conjunções [9] (conectam frases – implícitas ou explícitas); (e, ainda, então, logo)
  • pura cópula [10] (conecta sujeito e predicado). (Juliana é morena)

 

Certo… o que é cópula, não é? Significa ligação, união, ou seja, CÓPULA é a palavra que, em uma frase, liga o sujeito (S) ao predicado (P) seguindo o modelo básico de S é P. Nesta situação o verbo ser (flexionado) é TAMBÉM uma CÓPULA.

Para finalizar este texto, vou listar uma categoria que não merece estar na lista acima.

 

Interjeições

Sim, as interjeições são uma categoria de palavras mas, diferente das já listadas antes porque elas não podem ser assimiladas à estrutura de uma frase. Mesmo quando uma interjeição é uma palavra, que vista fora do seu contexto, seja classificada em uma das categorias, no momento em que ela é usada como INTERJEIÇÃO está sozinha.

 

Exemplo: Quando eu digo para você: Coragem!

Eu estou te animando a continuar algo, mas a palavra ali não é um substantivo abstrato, e sim uma INTERJEIÇÃO! (ou seja, é uma expressão de animação). Principalmente porque estou expressando uma emoção e não um pensamento.

Ver Todos os artigos de Alexandre Gomes