s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 3 – Palavras Atributivas: verbos, advérbios e adjetivos (parte 5)

Trivium: Capítulo 3 – Palavras Atributivas: verbos, advérbios e adjetivos (parte 5)

Alexandre Gomes -

Continuando a tratar de VERBOS, irei expor agora sobre as classes de verbos:

 

  1. TRANSITIVOS: aqueles que expressam uma ação que começa no sujeito (agente) e “vai até” (trans + ire) o objeto (receptor). Um VERBO TRANSITIVO sempre requer um complemento, isto é, uma palavra que complete o sentido do predicado. Ex.: 

Fernanda cortou o bolo. (aqui ficou mais evidente, não?)

 

  1. INTRANSITIVOS: aqueles que expressam a ação que começa e termina no agente, o sujeito da frase. Consequentemente, o sujeito deve ser tanto agente quanto paciente. Um bom exemplo é: “o pássaro VOA”.

 

DUAS classes de VERBOS INTRASITIVOS:

 

  1. Os que expressam a ação completa por si mesma, por exemplo: brotar, murchar;

e,

  1. Os que requerem um complemento, uma palavra para completar o sentido do predicado, por exemplo: tornar (uma lagarta torna-se uma borboleta)

Ou seja, um verbo intransitivo que requer um complemento (item 2 acima) é o que se pode chamar de verbo copulativo.
Antes de falar dessa estrovenga que é a cópula, faço um reforço sobre VERBOS INTRANSITIVOS.

 

Um verbo intransitivo NUNCA requer um objeto direto (OD), pois o OD recebe a ação do verbo e um verbo intransitivo NÃO TRANSMITE a ação a um complemento, transmite diretamente para o paciente (a coisa atingida pela ação do verbo).

 

Pois bem, vou tentar ser breve ao explicar a CÓPULA, que é algo simples, mas de difícil explicação. O termo significa “união, junção” (se você pensou naquilo gentil leitora… bem, é isso mesmo!). No caso aqui, estamos falando da junção de um ATRIBUTIVO, ou um substantivo, ao SUJEITO.

A pura cópula “é”  NÃO É UM VERBO, porque não expressa um atributo juntamente com a noção de tempo. Por exemplo: “a maçã é vermelha”. O atributivo (adjetivo) “vermelha” está ligado à maçã, não é uma ação, ou movimento.

 

FORMAS VERBAIS NOMINAIS

 

Existem três classes de FORMAS VERBAIS NOMINAIS:

 

  1. O Inifinitivo: o verbo está “agindo” por toda a extensão do tempo. Ex.: nadar, domir, plantar;
  2. O Particípio: o verbo expressa o resultado da ação do verbo. É como se fosse um ADJETIVO, pois MODIFICA um substantivo. Ex.: flores colhidas no campo;
  3. O Gerúndio: aqui o verbo pode desempenhar todas as funções de um substantivo, mesmo sendo um verbo ainda. É onde entra aquele idioma peculiar do telemarketing: “não se preocupe Sra., nós estaremos providenciando o atendimento de sua solicitação…”.

 

Perceba o seguinte: igual ao verbo, a forma nominal tem as seguintes características:

  1. expressa um atributo junco com a noção de TEMPO (mudança);
  2. indica o tempo verbal (passado, presente e futuro);

 

Ao mesmo tempo que se diferencia com outras características – porque se não houvesse diferença, era verbo, oras!!

 

  1. não afirma;
  2. não expressa modo*

 

* Só lembrando, os MODOS são: INDICATIVO, POTENCIAL, INTERROGATIVO e VOLITIVO.

 

ADJETIVOS

 

Este é um atributivo que expressa o… atributo (qualidade) de um substantivo. Mas, diferente de um verbo ou forma verbal nominal, que expressam tanto o atributo, como também a noção de TEMPO, portanto, mu-dan-ça! Ou seja, o ADJETIVO expressa simplesmente UM ATRIBUTO de um substantivo..

 

ADVÉRBIOS

 

São atributivos SECUNDÁRIOS. Ou seja, funcionam como atributos de atributos. Meio vago e abstrato, certo? vamos a um exemplo, então:

 

“O homem anda RAPIDAMENTE.”

Decompondo a frase rapidamente, temos:

homem – substantivo;

anda – atributivo (verbo);

rapidamente – atributivo (advérbio)

 

Agora, analisando com mais calma, temos o seguinte: andar é uma ação existente em HOMEM, logo “andar” é um atributo da substância (homem). E veja, rapidez é uma qualidade existente em “andar” (pode-se andar rápido, devagar, correndo, etc.). Portanto, “rapidamente” expressa um ATRIBUTO de um ATRIBUTO de uma SUBSTÂNCIA!

 

Resumindo os pontos apresentados neste capítulo até agora, temos:

 

Designadores de substância: substantivos e pronomes;

 

Atributivos: verbos, formas verbais nominais e adjetivos;

Atributivos secundários: advérbios

 

E explicando a referência da imagem, acima: vemos um distinto cavalheiro executando uma caminhada boba. perceba que temos quase todos os elementos que expus agora:

 

“O cavalheiro faz uma caminhada boba”

(pronome, substantivo, verbo, pronome, substantivo e advérbio)

Ver Todos os artigos de Alexandre Gomes