s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 788 – Love, Janis
Café Brasil 788 – Love, Janis
Janis Joplin era uma garota incompreendida, saiu da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

Cafezinho 426 – Quem tem pressa?
Cafezinho 426 – Quem tem pressa?
Hoje as narrativas familiares perderam espaço para uma ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Termos e Seus Equivalentes (parte 1)

Trivium: Capítulo 4 – Termos e Seus Equivalentes (parte 1)

Alexandre Gomes -

Começo reforçando o que já comentei antes: PALAVRAS são símbolos criados para representar a realidade.

Um TERMO é um CONCEITO comunicado através de um SÍMBOLO.

No momento em que as PALAVRAS são usadas para comunicar um CONCEITO de realidade, tais PALAVRAS tornam-se TERMOS.

A COMUNICAÇÃO é dinâmica, e a TRANSMISSÃO de uma IDEIA de uma mente a outra, através de um meio material, PALAVRAS ou OUTROS SÍMBOLOS (desenhos, gestos…). Se o ouvinte ou o leitor recebe através da linguagem precisamente as IDEIAS que nela colocou o emissor ou o escritor, esses dois (emissor e receptor) chegaram a um acordo quanto ao SIGNIFICADO dos TERMOS.

Ou seja, a IDEIA foi TRANSMITIDA exitosa e claramente, do emissor para o receptor, sem ambiguidade.
Um TERMO difere de um CONCEITO apenas no seguinte:

TERMO é uma ideia em trânsito, por isso, é DIN MICO, um ens communicationis (ente de comunicação);
CONCEITO é uma ideia que representa a realidade de um ens mentis (ente da mente).

Percebe que o primeiro está em movimento e o segundo parado, fixado em um lugar (mente)?
Um CONCEITO é um termo potencial que se ATUALIZA quando é comunicado através de um SÍMBOLO.
Assim, um TERMO é o significado, a forma (alma) do CONTEÚDO LÓGICO DAS PALAVRAS (lembra?). As PALAVRAS são, portanto, símbolos são os MEIOS pelos quais os TERMOS são transmitidos de uma mente para outra.

Porém, nem toda PALAVRA pode simbolizar um termo lógico. Só as palavras CATEGOREMÁTICAS (substantivas e atributivas) podem fazê-lo.
Apesar de uma palavra SINCATEGOREMÁTICA não poder simbolizar um termo lógico, a situação muda quando se trata da GRAMÁTICA, as palavras SINCATECOREMÁTICAS (conjunções, preposições, determinativos) podem ser parte de um símbolo completo.

E pra não deixar você no vácuo…

Símbolo completo: deve ser um nome próprio, na descrição empírica, um nome comum ou uma descrição geral, é, portanto, o equivalente gramatical de um TERMO LÓGICO.
Um TERMO é sempre unívoco, porque é SEMPRE UM: é ele mesmo e não outro. Já o SÍMBOLO GRAMATICAL que expressa um TERMO pode ser ambíguo, pois o mesmo símbolo é capaz de expressar termos diferentes.
É daí que vêm as dificuldades das traduções de textos. Palavras em línguas diferentes normalmente são equivalentes na sua dimensão LÓGICA, mas frequentemente não o são na sua dimensão PSICOLÓGICA.

E a dificuldade de traduzir fica maior quando se trata de poesia, pois é RARO que sinônimos na mesma língua tenham EXATAMENTE o mesmo significado, quanto mais em línguas distintas. O que nos leva a buscar a ESSÊNCIA do indivíduo (seja ente ou coisa) que a palavra empregada tenta representar. Por exemplo, há várias maneiras de se descrever um quadrado; veja:

retângulo equilátero,
retângulo de lados iguais,
quadrado
A ESSÊNCIA está em cada um dos símbolos acima. E se você consegue ver a mesma imagem na sua mente quando lê os diferentes símbolos, significa que está realmente prestando atenção ao que lê.
Por exemplo… como traduzir esse trecho de Shakespeare sem perder a piada implícita
“By my life, this is my lady’s hand! These be her very C’s, her U’s, and her T’s, and thus she makes her great P’s. It is in contempt of question her hand.”

Numa tradução livre, ficaria mais ou menos assim:
“Por minha vida, essa é a letra da minha dama! Esses são exatamente os C’s dela, seus U’s e seus T’s, e isso que ela faz P’s ótimos. É desprezível contestar ser esta a mão dela.”

Porém tem um detalhezinho que nenhuma tradução será capaz de corrigir se o tradutor não entender a piada do que as letras C, U, n e T significam quando estão juntas na língua inglesa.

Ver Todos os artigos de Alexandre Gomes