s
Iscas Intelectuais
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 798 – Raciocínios Perigosos – Revisitado
Café Brasil 798 – Raciocínios Perigosos – Revisitado
O Café Brasil de hoje é a releitura de um programa de ...

Ver mais

Café Brasil 797 – ‘Bora pra Retomada – com Lucia Helena Galvão
Café Brasil 797 – ‘Bora pra Retomada – com Lucia Helena Galvão
Tenho feito uma série de lives que chamei de ‘Bora pra ...

Ver mais

Café Brasil 796 – Maiorias Irrelevantes
Café Brasil 796 – Maiorias Irrelevantes
Outro daqueles acidentes estúpidos vitimou mais uma ...

Ver mais

Café Brasil 795 – A Black Friday
Café Brasil 795 – A Black Friday
Uma vez ouvi que a origem do apelido Black Friday seria ...

Ver mais

Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Hoje bato um papo com Antônio Chaker, que é o ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Quadrinhos em alta
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Quadrinhos em alta Apesar do início com publicações periódicas impressas para públicos específicos, as HQs não se limitam a atender às crianças. Há quadrinhos para adultos, de muita qualidade, em ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Tipos e Regras de Divisão Lógica (parte 7)
Alexandre Gomes
Antes de tratar das regras da divisão lógica – pois pode parecer mais importante saber as regras de divisão que os tipos de divisão – será útil revisar alguns tópicos já tratados para ...

Ver mais

Simplificar é confundir
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Alexis de Tocqueville escreveu que “uma idéia falsa, mas clara e precisa, tem mais poder no mundo do que uma idéia verdadeira, mas complexa”.   Tocqueville estava certo. Em todos os ...

Ver mais

País de traficantes?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não é segredo que o consumo de drogas é problema endêmico no País, bem como o tráfico delas. O Brasil não apenas recebe toneladas de lixo aspirável ou injetável para consumo interno, como ainda ...

Ver mais

Cafezinho 444 – Congestão mental
Cafezinho 444 – Congestão mental
Quanto de alimento intelectual você consegue entuchar ...

Ver mais

Cafezinho 443 –  O crime nosso de cada dia
Cafezinho 443 –  O crime nosso de cada dia
A sociedade norte americana está doente. E eles somos ...

Ver mais

Cafezinho 442 – Por que cultura é boa?
Cafezinho 442 – Por que cultura é boa?
A cultura é boa porque influencia diretamente a forma ...

Ver mais

Cafezinho 441 – Qual cultura é melhor?
Cafezinho 441 – Qual cultura é melhor?
A baixa cultura faz crescer a bunda, melhorar o ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)

Alexandre Gomes -

 

Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia.

Os requisitos são:

1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à espécie e ao termo por definir.

A CONVERSIBILIDADE é o teste de uma definição. Uma declaração é conversível se for igualmente verdadeira com o sujeito (s) e o predicado (p) permutados.

Ex. O homem (s) é um animal racional. (p)

Um animal racional (s) é um homem. (p)

2. POSITIVA, preferencialmente à negativa. Com poucas exceções, pois não é muito esclarecedor simplesmente dizer o que uma coisa não é.

Ex.: Um elefante é um grande animal com uma tromba.

E se eu digo: “o homem não é um elefante”, eu ainda deixo vago o que pode ser um homem, mesmo eu sabendo que “homem” é um animal, eu posso dizer que ele é igual a um caramujo ou um ornitorrinco!

3. CLARA, simbolizada por palavras que não sejam obscuras, vagas, ambíguas nem figurativas.

Culturalmente, essa clareza pode ser confundida com rudeza ou, em termos mais comuns e esvaziados atuais, a CLAREZA é vista como RADICALISMO.

Esse erro é duas vezes mais emburrecedor. 

Primeiro porque não há radicalismo em ser claro sobre algo. É clareza quando alguém diz: “sou cristão, logo, contra o aborto”; como também é clareza outra pessoa dizer “sou socialista e vejo todas as religiões como enganação”. Nenhum dos dois é um ogro incivilizado incapaz de ter empatia pelo próximo. Ambos estão expondo uma das formas como vêem o mundo. Isso é clareza e não radicalismo.

Em Segundo, a origem da palavra RADICAL é latina, vem do latim radix, ou seja, RAIZ. Bom, a raiz é o princípio, o começo, de algo. É também a fonte de alimento desse algo, se estivermos falando de uma planta, um vegetal. Logo, um RADICAL é alguém em contato com a ORIGEM de algo.

A definição negativa de RADICAL só é aplicável quando se trata de política, pois se refere ao sistema político que exige reformas nos costumes e na economia.

Enfim, a lição deste ponto é a seguinte: preste atenção ao significado das palavras, e tais significados TÊM SUA HIERARQUIA.

E apontar essa hierarquia é UMA DAS FUNÇÕES DE UM DICIONÁRIO. é por conta dessa hierarquia que as explicações sobre o significado de uma palavra estão enumeradas em um dicionário. Do uso mais comum para o uso mais específico da palavra.

4. LIVRE de uma palavra derivada da mesma raiz da palavra por definir.

Ex.: eu NÃO digo: cão é um animal canino. (desse jeito, eu não expliquei nada na frase escrita).

Eu devo dizer: cão é um animal que ladra*

* Se você seguiu a dica do item anterior, “ladra”, na frase acima, é um verbo, logo, a definição no dicionário que você deve buscar é da palavra “ladra” como verbo.

 

5. SIMBOLIZADA por uma estrutura gramatical paralela e não misturada. Ou seja, um gerúndio deveria ser usado para definir um gerúndio, um infinitivo para um infinitivo. Neste segundo modelo, é o que vemos em dicionários quando descrevem o significado de verbos (no infinitivo).

Veja:

VOAR é DESLOCAR-SE por meio de transporte aéreo.

MOVER-SE e MANTER-SE no ar por meio de asas.

E para fazer você pensar um pouquinho, o exemplo de gerúndio virá do inglês, já que o telemarketing brasileiro escangalhou essa flexão verbal.

CHEATING is DEFRAUDING or DECEIVING another.

Uma tradução possível da frase acima é: alguém que está traindo é alguém que está fraudando ou enganando outro.

Viu como a tradução emporcalhou o exemplo? Isso provavelmente aconteceu porque você se lembrou de algum teleatendimento onde alguém dizia que outro estava fazendo algo mesmo não sendo verdade.

Enfim, qual a utilidade desta lição? Bom, considere que você se veja obrigado a explicar algo no seu trabalho para algum superior, ou precise resumir algum tema para seus estudos do colégio ou faculdade. Seguir esses requisitos irá garantir que você realmente vai ser entendido por quem o lê ou para você mesmo, quando estiver revisando o assunto para prova. E o que é mais importante ainda: você estará realmente aprendendo algo de maneira que dificilmente esquecerá.

 

 

 

 

Ver Todos os artigos de Alexandre Gomes