s
Artigos Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 935 – O que faz a sua cabeça?
Café Brasil 935 – O que faz a sua cabeça?
É improvável – embora não impossível – que os ...

Ver mais

Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Durante o mais recente encontro do meu Mastermind MLA – ...

Ver mais

Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
A ilusão de transparência é uma armadilha comum em que ...

Ver mais

Café Brasil 932 – Não se renda
Café Brasil 932 – Não se renda
Em "Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith", ...

Ver mais

LíderCast 329 – Bruno Gonçalves
LíderCast 329 – Bruno Gonçalves
O convidado de hoje é Bruno Gonçalves, um profissional ...

Ver mais

LíderCast 328 – Criss Paiva
LíderCast 328 – Criss Paiva
A convidada de hoje é a Criss Paiva, professora, ...

Ver mais

LíderCast 327 – Pedro Cucco
LíderCast 327 – Pedro Cucco
327 – O convidado de hoje é Pedro Cucco, Diretor na ...

Ver mais

LíderCast 326 – Yuri Trafane
LíderCast 326 – Yuri Trafane
O convidado de hoje é Yuri Trafane, sócio da Ynner ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Rubens Ricupero
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Memórias de um grande protagonista   “Sem as cartas, não seríamos capazes de imaginar o fervor com que sentíamos e pensávamos aos vinte anos. Já quase não se escrevem mais cartas de amor, ...

Ver mais

Vida longa ao Real!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Vida longa ao Real!   “A população percebe que é a obrigação de um governo e é um direito do cidadão a preservação do poder de compra da sua renda. E é um dever e uma obrigação do ...

Ver mais

A Lei de Say e a situação fiscal no Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Lei de Say e o preocupante quadro fiscal brasileiro   “Uma das medidas essenciais para tirar o governo da rota do endividamento insustentável é a revisão das vinculações de despesas ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Cafezinho 633 – O Debate
Cafezinho 633 – O Debate
A partir do primeiro debate entre Trump e Biden em ...

Ver mais

Cafezinho 632 – A quilha moral
Cafezinho 632 – A quilha moral
Sua identidade não vem de suas afiliações, ou de seus ...

Ver mais

Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
O episódio de hoje foi inspirado num comentário que um ...

Ver mais

Cafezinho 630 – Medo da morte
Cafezinho 630 – Medo da morte
Na reunião do meu Mastermind na semana passada, a ...

Ver mais

Nopelourinho.Com

Nopelourinho.Com

Luciano Pires -

Algum tempo atrás usei um texto de Rubem Alves no podcast “A volta do Malandro”. O Rubem escreveu assim:

“É preciso notar que os criminosos não  são criminosos só por razões práticas, como dinheiro e poder. Eles são  criminosos também por razões estéticas. Todos os homens desejam ser figuras  lendárias, objetos de admiração, espanto ou mesmo de horror. A felicidade do  criminoso quando a sua fotografia aparece na primeira página do jornal! Há um  enorme prazer em se sentir temido e odiado. O horrendo pode ser belo.
Também os criminosos se alimentam de fantasias narcísicas! Na Idade Média havia uma forma curiosa de punir os criminosos. Eles eram colocados em pelourinhos com cabeças e mãos presas numa peça de madeira. O pelourinho ficava numa praça pública. Ali ficavam os infratores, expostos ao riso e zombaria do povo. Essa situação de ridículo, imagino, se constituía num poderoso antídoto a quaisquer  imagens heróicas que os criminosos pudessem ter de si mesmos. Não há narcisismo que resista à zombaria. Aí fiquei pensando se não haveria uma forma moderna de se aplicar esse castigo pedagógico e inspirado na psicanálise. O medo do ridículo é capaz de desencorajar muitas ações. Já imaginaram? Poderia haver praças dedicadas aos políticos corruptos, aos seqüestradores, aos pedófilos, aos assassinos, etc., etc. Lá ficariam eles expostos ao riso público e, preferivelmente, com as partes pudendas à mostra. Se essa proposta é inviável, por razões práticas (não há praças em número suficiente, o número dos criminosos é muito grande), as autoridades competentes poderiam colocar na Internet um site com o nome de Pelourinho. Ali poderíamos ver a cara dos criminosos nas mais variadas versões, ao lado de suas partes pudendas  e crimes cometidos. Aí o povo começaria a rir deles. Quem sabe os criminosos se regenerariam, por vergonha…”.



Pois recebi de uma ouvinte brasileira que mora nos EUA, a Mirian Amorim, uma dica interessante, demonstrando que a idéia do Rubem não é de todo impossível:



“Nos Estados Unidos já existe um site onde os criminosos sexuais têm seus endereços registrados e fotografias, Se você for se mudar para uma cidade, na hora de comprar ou alugar uma casa, você pode recorrer àquele site e encontrar a lista dos tarados da região. O site é o http://ncfindoffender.com/search.aspx . Você vai no segundo item: Find offenders near you by address, clica o zip code  (por exemplo 28227) e pronto, funciona! Aparecerá a foto do individuo que mora naquela localidade.”



Não resisti e acessei o site. É da Carolina do Norte. E realmente estão lá as fotos dos tarados que vivem no seu bairro… Fascinante! Como é que você acha que seria um site assim aqui no Brasil? Já estou vendo a reação das patrulhas dos direitos humanos, condenando a exposição pública das pobres “vítimas da sociedade”… E os malandros? Imediatamente criariam uma indústria para impedir que as fotos fossem publicadas. Além disso, os políticos logo aprovariam uma lei impedindo que o “Nopelourinho.com” fosse criado. Autoproteção, né?
Pois dê uma olhada no site e responda a algumas perguntas: ele é politicamente incorreto? Age certo uma sociedade que se protege dos criminosos, tornando pública sua localização e seus crimes? A exposição desses indivíduos no site é uma ofensa aos direitos humanos?
Se fosse possível promover esse debate no Brasil, sem ideologias ou hipocrisia, talvez colocássemos em prática nossos pelourinhos.
Sem violência. Mas com vergonha.