s
Iscas Intelectuais
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

Café Brasil 927 – Quando a água baixar
Café Brasil 927 – Quando a água baixar
A história de Frodo Bolseiro em "O Senhor dos Anéis" ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

LíderCast 321 – Rafael Cortez
LíderCast 321 – Rafael Cortez
Tá no ar o #LC321 O convidado de hoje é Rafael Cortez, ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 328 – Crimes de Honra
Cafezinho 328 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

O efeito Dunning-Kruger

O efeito Dunning-Kruger

Jota Fagner - Origens do Brasil -

Conhece alguém que fala de assuntos que não domina com excesso de confiança? É o efeito Dunning-Kruger, aquele mesmo que está dando o tom dos debates políticos no Brasil e no mundo.

 

McArthur Wheeler tinha 44 anos quando resolveu assaltar um banco. Ele morava na cidade de Pittsburgh, no Estado da Pensilvânia. O ano era 1995. Seu plano era tão simples que lhe parecia estranho que ninguém tivesse pensado nisso antes. Tentemos acompanhar o raciocínio do nosso gênio do crime: O suco de limão pode ser utilizado para escrever cartas invisíveis, que só podem ser lidas quando aproximadas de uma fonte de calor. Sendo assim, é possív1401el passar esse mesmo suco de limão no rosto para ficar invisível.

Wheeler resolveu fazer um teste. Não iria invadir um banco sem ter certeza. Passou o suco de limão no rosto e tentou tirar uma foto de si mesmo usando uma máquina Polaroide. Não se sabe exatamente o que aconteceu, mas é possível que a acidez do limão tenha criado algum desconforto nos olhos e isso o impediu de ajustar corretamente a câmera. Ele acabou fotografando o teto, que era branco como a parede ao fundo. Ficou maravilhado, a fórmula do suco de limão havia funcionado. Ele estava invisível.

Acredite se quiser, mas o super vilão roubou dois bancos naquele dia, sem usar máscaras. As câmeras de segurança registraram seu rosto e ele foi preso algumas horas depois.

Quando David Dunning, professor de psicologia na Universidade de Cornell, leu a notícia, sua curiosidade foi estimulada. Como alguém pode ser tão estúpido? Como alguém pode desconhecer sua própria ignorância dessa forma?

Dunning convidou Justin Kruger, seu melhor aluno, para ajudá-lo numa pesquisa sobre o tema. Recrutaram um grupo de voluntários e desenvolveram um teste. Primeiro, o indivíduo era questionado sobre seus conhecimentos nas áreas de gramática, humor e raciocínio lógico. Logo depois ele realizava uma prova escrita para comprovar o quanto realmente sabia.

O resultado foi publicado num artigo do Journal of Personality and Social Psychology, em dezembro de 1999. O que os dois pesquisadores descobriram surpreendeu a todos. A turma que mais confiava em suas próprias habilidades e dizia dominar o assunto havia tirado as notas mais baixas. Aqueles que se mostravam um tanto inseguros, haviam conseguido as melhores notas. Quatro pontos importantes foram concluídos desse experimento: 1) os ignorantes não reconhecem sua própria ignorância; 2) os ignorantes têm dificuldade para reconhecer a expertise alheia; 3) os ignorantes não reconhecem o tamanho da sua ignorância; 4) se forem devidamente instruídos podem reconhecer sua ignorância anterior.

Em resumo, para poder avaliar suas limitações é preciso conhecer, ter dimensão do quanto o assunto é complicado. Aqueles que dominam bem determinada área costumam ser menos confiantes. Quem sabe muito pouco costuma se achar mais instruído do que realmente é.

O caso parece surreal. No entanto, preste atenção aos debates nas redes sociais. O efeito Dunning-Kruger dá o tom da conversa. É possível que você mesmo já tenha bancado a autoridade num assunto qualquer do qual conhecia muito pouco.

Certezas absolutas são sintomas de imaturidade e arrogância. Façamos um esforço de amadurecimento. Sei que não é fácil, mas só assim poderemos nos tornar mais tolerantes.

José Fagner Alves Santos

Ver Todos os artigos de Jota Fagner