s
Iscas Intelectuais
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

LíderCast 321 – Rafael Cortez
LíderCast 321 – Rafael Cortez
Tá no ar o #LC321 O convidado de hoje é Rafael Cortez, ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 328 – Crimes de Honra
Cafezinho 328 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

Os Malandrões

Os Malandrões

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

A mesma história, personagens diferentes. Há uns 20 anos, o protagonista era um picareta chamado José Bové. Esse francês, militante de extrema-esquerda, vivia sabotando qualquer concorrente que ousasse competir com o subsidiadíssimo mercado rural de seu país. A coisa funcionava (e ainda funciona!) assim: Como a França tem pequena e ineficiente produção agrícola, não cobrindo nem 10% de seu consumo interno, os produtores rurais reivindicam mais e mais dinheiro público para, dizem eles, compensar os preços baixos de outros países; na verdade, tentam esconder a mediocridade produtiva com essa balela, locupletando-se gostosamente com o dinheiro alheio. Quando isso não é suficiente para garantir a vagabundagem, apelam para a sabotagem do produtor concorrente.

Bové veio várias vezes ao Brasil. Em todas, invariavelmente, incentivou uma quixotesca luta de classes, vandalismo, quebra-quebra e uma espécie de guerra civil contra o agronegócio, acusando-o das mesmas bobagens que a extrema esquerda guerrilheira de sofá repete como mantra. Apoiou alegremente a invasão de caros e avançados centros de pesquisa brasileiros, resultando em vandalismo criminoso. Chegou a participar, junto a seus indefectíveis amigões do MST, da destruição de plantações de soja no Rio Grande do Sul. Alegadamente, para “proteger” o mundo das multinacionais e dos alimentos transgênicos. Pois é, a conversa mole nunca muda. Nem os reais motivos: Bové tinha como única intenção sabotar nossa produção de grãos para garantir a boquinha de seus colegas na França. Conseguiu, sob aplausos dos paspalhos lulistas daqui.

Atualmente, os franceses nem disfarçam suas intenções maquiavélicas. Não utilizam mais teorias conspiratórias sobre soja brasileira “envenenada” pelos americanos para matar as inocentes crianças do mundo. Não, chega de subterfúgios. Agora a sabotagem ao Brasil é meta de governo deles. Declaradamente, com outro protagonista, bem mais poderoso.

Presidente da França desde 14 de maio de 2017, Emmanuel Macron já deu infinitas provas de ser um idiota completo – e covarde, pra não fugir à regra. Preocupado com sua vertiginosa queda de popularidade, tenta recuperar alguns eleitores promovendo uma guerra alegadamente santa contra a agricultura brasileira. Anunciou ao mundo que pretende deixar de adquirir soja daqui porque “continuar a depender da soja brasileira seria apoiar o desmatamento da Amazônia”. Macron sabe perfeitamente que não há nenhuma relação entre a produção de soja e o desmatamento da Amazônia, mas, arrotando a estudada asneira, deixou os incompetentes agricultores franceses contentinhos, posando de bonzinho perante a histérica massa mundial de defensores da floresta amazônica; exatamente aqueles que nunca estiveram lá e nem ao menos saberiam apontá-la num mapa, mas vivem preocupadíssimos com os leões e girafas mortos nos incêndios perto de Buenos Aires.

Nestes tempos ingratos do politicamente correto, ninguém perde investindo no bom-mocismo de araque, no ódio do bem, em histéricas falsidades pseudo-ecológicas como a da “soja ou Amazônia”. Macron sabe e aposta suas fichas na ignorância popular, inflada por um serviço de desinformação bastante ativo e replicado por tantos inocentes úteis que creem estar lutando bravamente pelo bem geral. O lucro político é garantido.

Macron mente, trazendo mais pobreza, fome e desemprego ao País. Inova só ao exportar miséria criada por ele, com o apoio irrestrito dos inocentes úteis e de outros nem tão inocentes assim. O golpe é velho, mas é incrível como continua dando certo.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes