s
Artigos Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Cafezinho 619 – Don´t make stupid people famous
Cafezinho 619 – Don´t make stupid people famous
As pessoas que realmente fazem diferença na sua vida ...

Ver mais

Café Brasil 921 – A Praça e a torre
Café Brasil 921 – A Praça e a torre
O livro "A Praça e a Torre: Redes, Hierarquias e a Luta ...

Ver mais

Café Brasil 920 – No Caravelas
Café Brasil 920 – No Caravelas
O Caravelas Podcast foi criado pelo advogado e ...

Ver mais

Café Brasil 919 – Muito Além do Jardim
Café Brasil 919 – Muito Além do Jardim
Neste episódio, a partir de um filme delicioso, uma ...

Ver mais

LíderCast Especial Ozires Silva – Parte 2
LíderCast Especial Ozires Silva – Parte 2
Segunda parte da entrevista realizada com o ex-ministro ...

Ver mais

LíderCast Especial Ozires Silva – Parte 1
LíderCast Especial Ozires Silva – Parte 1
Seguindo na missão de trazer de volta alguns dos ...

Ver mais

LíderCast 316 – Gustavo Succi
LíderCast 316 – Gustavo Succi
No episódio de hoje temos Gustavo Succi, que é o CEO da ...

Ver mais

LíderCast 315 – Marina Helena
LíderCast 315 – Marina Helena
Hoje temos como convidada Marina Helena, pré-candidata ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Daniel Kahneman, a economia e a psicologia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Daniel Kahneman, a economia e a psicologia   “O trabalho de Kahneman é realmente monumental na história do pensamento”. Steven Pinker (Entrevista em 2014 ao jornal The Guardian) ...

Ver mais

Oppenheimer e a Bomba
alexsoletto
Iscas Científicas
  Texto de Alex Soletto   “Agora me tornei a Morte, o destruidor dos mundos” (frase do livro hindu Bhagavad Gita)   A frase foi repetida por Oppenheimer após o teste da ...

Ver mais

G20
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Esclarecendo o que é o G20          Katherine Buso    Luiz A. Machado  Paulo Galvão Jr. 1. Considerações iniciais O presente artigo analisa os principais indicadores econômicos do Grupo dos Vinte ...

Ver mais

Talentos, tecnologia, tesouros e tolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Talentos, tecnologia, tesouros e tolerância “É a relação entre quem tem a força das ideias e quem tem o poder da força que permite progredir no tempo e no espaço na cidade, de forma ...

Ver mais

Cafezinho 618 – Uma descoberta no Polo Norte
Cafezinho 618 – Uma descoberta no Polo Norte
Em 2008 eu embarquei numa viagem até o Polo Norte, que ...

Ver mais

Cafezinho 917 – Mais pedras no lago
Cafezinho 917 – Mais pedras no lago
Já devíamos ter percebido que a colaboração e a união ...

Ver mais

Cafezinho 616 –  Bem-vindo, seu Caos
Cafezinho 616 –  Bem-vindo, seu Caos
Vivemos numa era de caos. Não se trata mais de planejar ...

Ver mais

Cafezinho 615 – Esquerda e direita
Cafezinho 615 – Esquerda e direita
Ser verdadeiramente racional significa estar aberto a ...

Ver mais

Pacto brutal

Pacto brutal

Luciano Pires -

Terminei de assistir a Pacto Brutal, a mini série da HBO Max que trata do assassinato da atriz Daniella Perez em 1992. Eu tinha 36 anos na época, e foi um choque receber a sucessão de notícias que criavam uma história muito mais impactante que as novelas das quais Daniella era protagonista.
Todo mundo sabe da história, mas revê-la com a crueza das imagens e depoimentos desse documentário é uma porrada. Uma porrada.
As imagens são mostradas sem concessões, a dor dos amigos e familiares é esfregada em nossa cara, o oportunismo do povo invadindo o cemitério e velório na esperança de ver algum ator global, a perspectiva de aparecer dominando policiais e advogados, a incompetência generalizada das instituições que deveriam ser responsáveis por cuidar de nós e a impunidade nossa de cada dia, estão lá. É chocante.
Os depoimentos de Glória Perez, a mãe de Daniella, serena, sábia, capaz de construir raciocínios até mesmo poéticos mesmo quando descreve as atrocidades, me fez admirar ainda mais essa mulher. São trinta anos desde a tragédia que levou sua filha, trinta anos de luta, em que ela não teve paz, seja para colocar os responsáveis na cadeia, seja para proteger a memória de sua filha, seja para retomar a vida que lhe restou, Glória é um monumento à mãe brasileira. Coragem, sensatez, paciência, persistência, Glória demonstra todos os atributos que só uma mãe pode ter para com seus filhos. Suas falas no capítulo final são uma aula sobre o respeito à vida humana. É tocante, emocionante e por diversas vezes, me veio um nó na garganta.
Noutro polo estão os assassinos, Guilherme de Pádua e Paula Thomaz. Eu terminei de assistir a minissérie sem entender a razão de matarem Daniella. São psicopatas? Possivelmente. Mas todos os elementos que a série apresenta, e que apontam para a culpa de ambos, não conseguem explicar o motivo do crime.
O que machuca de verdade é uma espécie de arrogância dos dois, é vê-los retomando a vida sete anos após o crime e tentando parecer que o que passou, passou. Não passou. Glória expõe claramente: mesmo com a prisão e condenação, mesmo carregando o rótulo de assassinos pelo resto da vida, eles têm o resto da vida pela frente. Daniella, não.
Assistir a essa minissérie é uma espécie de tortura para cada brasileiro, que vê esfregada na cara a suprema incompetência de nossa sociedade em lidar com os processos que, na teoria, deveriam regrar nossa convivência social. Somos muito bons de falatório e muito ruins de execução.
Do ponto de vista técnico, o documentário é muito bem feito. Falaram com quase todo mundo, expuseram as feridas de forma crua. Preencheram lacunas com representações das situações, foram buscar os principais envolvidos, muitas imagens de arquivo bem usadas. Trilha sonora adequada. O documentário é excelente, e eu o assisti logo na sequência de outro documentário, o Entre Lobos, da Brasil Paralelo. Cara, é difícil resistir a juntar minhas coisas e me mandar para outro lugar do mundo. O Brasil está condenado.
Mas… resta um fio de esperança: o diagnóstico está feito. As possibilidades para solução existem. Faltam homens e mulheres com a coragem de Glória Perez para executar aquilo que o bom-senso diz que precisa ser feito. Repare: eu disse bom-senso. Não é preciso nenhum gênio, nenhum especialista de gabinete, nenhum técnico retórico, nenhum político metido a fodão, nenhum artista global, nenhum juiz supremo.
Bastaria o bom-senso.
Mas ninguém mais dá bola pra ele.