s
Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Café Brasil 469 – O Aqui e agora

Café Brasil 469 – O Aqui e agora

Luciano Pires -

Muita gente passa a maior parte da vida com a cabeça na nostalgia ou na esperança, no passado ou no futuro, enquanto vive o presente. E é aí que está o nó, viu? Manter a mente no passado ou no futuro é uma espécie de fuga. Se a coisa não está legal neste momento, se estou me incomodando, se tenho que tomar alguma decisão difícil, prefiro mandar a mente lá para o passado, rever preferencialmente os acontecimentos agradáveis. Ou então mando fantasiar o futuro… Enquanto isso, o presente acontece. É essa a praia de hoje.

Posso entrar?

Amigo, amiga, não importa quem seja, bom dia, boa tarde, boa noite. Este é o Café Brasil e eu sou o Luciano Pires.

Este programa chega até você com o apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera que, você já sabe, né cara, como sempre, estão aí, a um clique de distância. facebook.com/itaucultural e facebook.com/auditorioibirapuera.

E quem vai levar o exemplar de meu livro ME ENGANA QUE EU GOSTO é o Filipe Aprigliano, que mandou este comentário.  Aliás, é um baita comentário. Alias, é quase um programa… Vamos a ele:

“Luciano, como vai meu amigo? Esta noite escutei alguns podcasts atrasados, a partir do “463 – Sobre sorte e azar” mais especificamente. Enquanto escutava esse podcast me lembrei imediatamente do filme Sim Senhor (ou Yes Man, o título em inglês).

yes man

O filme conta a história de Carl Allen (interpretado por Jim Carrey), um homem frustrado que dizia “não” para tudo, com uma postura própria do Hardy do desenho animado. Um dia ele se inscreve num programa de auto ajuda baseado no princípio de dizer “sim” para tudo. Resumidamente, após muitos inconvenientes e desencontros, a vida dele é transformada porque ele se expõe a todos os tipos de oportunidades, ele quebra sua rotina de todas as formas possíveis e o “caos” se encarrega de coisas fantásticas.

Obviamente o filme é uma comédia e tudo se apresenta de uma forma exagerada e caricata, no entanto, existe uma verdade bastante profunda nessa história. Embora eu concorde que o preparo é fundamental, o maior pecado que cometemos é nos fechar às oportunidades. Pré julgamos o valor que determinadas experiências terão e abrimos mão delas.

No ano passado me separei e o fim do meu casamento foi o combustível psíquico para eu tomar algumas atitudes. Eu não tinha mais que prestar contas pra ninguém, também não tenho filhos, era só fazer alguma mudança na minha vida, mas o quê, hein?

Inspirado nesse filme eu decidi o seguinte, deixa o universo escolher pra mim, vou dizer sim pra tudo que aparecer. A partir desse momento eu comecei a fazer yoga, fiz um curso de pilotagem da Mitsubishi, aula de gaita pela internet, resgatei uma gata no estacionamento do trabalho pra fazer companhia para minha cachorra, perdi 20 quilos sem fazer dieta, comprei tantas músicas que fico perdido para escolher o que escutar (nesse momento estou escutando Helter Skelter na versão do The Dead Daisies)…

Pausa. Lalá, vamos entrar no clima do Filipe?

Que delícia de pauleira no cover do grande clássico dos Beatles.

Voltando ao texto do Filipe:

… fiz viagens de trabalho de moto, enchi minha casa de posters, aprendi a cozinhar, arrumei uma namorada que eu não tenho palavras pra descrever de tão legal, todos os projetos bacanas que me mostraram ou enviaram para o meu e-mail pedindo ajuda eu participei e colaborei e fui em todos os eventos sociais que me chamaram, por mais bizarros que fossem.

Se alguém me encontrava com aquele papo de vamos marcar alguma coisa, eu marcava… Se me ligava dizendo vamos encontrar um dia, eu dizia: Claro, vamos hoje… mesmo com reunião de trabalho no dia seguinte de manhã. O mais importante é que eu não planejei nada disso, só agarrei as oportunidades sem julgamentos e sem expectativas.

Essa semana completou um ano disso tudo, e só posso dizer que nunca fui tão feliz na vida, nunca conheci tantas pessoas bacanas, nem aprendi tanta coisa. Eu tive tantas experiências boas que não conseguiria listar todas elas.

Recentemente, nos conhecemos pessoalmente por causa disso, você anunciou que ia lançar um livro em São Paulo, eu pensei, que ótimo… Eu tenho um carro, uma moto e eu tenho tempo, marquei o hotel no mesmo dia e fui te conhecer no meio da semana. Podia ter ido de avião, mas eu queria o tempo sozinho na estrada para ouvir música e apreciar a vista.

Isso é outra coisa engraçada, quando você passa a focar no presente, o seu tempo se multiplica, magicamente parece que você tem tempo pra tudo que realmente deseja, inclusive para o ócio, para identificar estrelas com um aplicativo no iPad, ou procurar versões bizarras de músicas famosas no YouTube. Mais engraçado ainda, a última coisa que passa pela cabeça é perder tempo vendo televisão. Eu até cancelei a TV a cabo e o telefone fixo, agora só tenho internet em casa.

Eu podia ficar horas aqui falando um monte de coisas, mas tem um texto que eu li num retiro de yoga que resume perfeitamente o que eu gostaria de dizer:

“O coração puro sempre vibra em gratidão. Vê o Universo como um amigo que está sempre inspirando a evolução. O coração puro está sempre celebrando a vida e tudo aquilo que se expressa através de um ser humano, porque ele compreende que tudo é sagrado.” ~ Sri Prem Baba

Um grande abraço,

Filipe Aprigliano”

O Filipe é um ouvinte de muito, mas muito tempo do Café Brasil, viu. Já usei seus excelentes comentários acho que em dois ou três programas, pois são sempre instigantes e provocativos. Tudo aquilo que está na raiz do Café Brasil. Acabamos fazendo vários contatos por e-mail e eu o convidei para assumir uma coluna no Portal Café Brasil. É claro que depois de uma mensagem como a que você acaba de ouvir, ele só podia dizer sim. O Filipe será um dos titulares de uma de nossas Iscas Intelectuais. Fico feliz que isso tenha acontecido. Bem vindo, meu caro. Agora mande o endereço para receber o livro! Como o Me Engana Que Eu Gosto você já obteve em mãos no dia do lançamento, escolha outro!

Muito bem. Além do livro, o Filipe receberá um KIT DKT, recheado de produtos PRUDENCE, como géis lubrificantes e preservativos masculino e feminino. Acho que será o segundo ou terceiro Kit que ele recebe… acho que é por isso que ele perdeu 20 quilos sem regime, né? PRUDENCE é a marca dos produtos que a DKT distribui como parte de sua missão para conter as doenças sexualmente transmissíveis e contribuir para o controle da natalidade. O que a DKT faz é marketing social e você contribui quando usa produtos Prudence. Acesse facebook.com/dktbrasil

Vamos lá então! Ô dois… Ih… não tem dois. Hoje a ciça não veio. Lalá, então eu quero você. Mas faz tristinho vai.

Na hora do amor, use

Lalá – (tristinho) Prudence.

Bem, e pra começar nossa reflexão semanal, quero retomar algo que o Filipe disse em seu comentário: “… quando você passa a focar no presente, o seu tempo se multiplica, magicamente parece que você tem tempo pra tudo que realmente deseja, inclusive para o ócio…”

Focar no presente… O que será que ele quis dizer com isso, hein? Vamos lá.

Imagine que sua vida é uma linha que começa no dia do seu nascimento e termina no dia de sua morte. Você está em algum lugar no meio dessa linha, devagarinho caminhando em direção ao fim. Não importa que idade você tem,a  sua vida está dividida em duas partes: tudo que aconteceu antes de hoje, do agora, e tudo que acontecerá depois. O passado e o futuro. No meio, onde você está agora, o presente.

Se eu der um nome para aquele período relativo ao passado, vou chamar de nostalgia. O período que está à frente, o futuro, chamarei de esperança. Sua mente viaja por esses dois perídos… quando vai para trás, lembra dos fatos e experiências passadas, experimenta a nostalgia. Quando vai à frente, imagina o futuro, experimenta a esperança dos sonhos.

O segredo, e a dificuldade, é estar inteiro, íntegro, com a mente totalmente entregue ao agora, a este momento. Já falei disso num programa anterior.

Mas não é fácil, viu?

Muita gente passa a maior parte da vida com a cabeça na nostalgia ou na esperança, no passado ou no futuro, enquanto vive o presente. E é aí que está o nó. Manter a mente no passado ou no futuro é uma espécie de fuga. Se a coisa não está legal neste momento, se estou me incomodando, se tenho que tomar alguma decisão difícil, prefiro mandar a mente lá para o passado, rever preferencialmente os acontecimentos agradáveis. Ou então eu mando fantasiar o futuro… Enquanto o presente acontece.

Você está ouvindo aí ao fundo HERE, THERE AND EVERYWHERE outro petardo dos Beatles com o gaitista, compositor, arranjador, maestro Rildo Hora, que veio lá de Caruaru…

Mas o que será essa fuga do agora, que na verdade é uma espécie de fuga da vida? Bem, para você não se sentir mal, todo mundo em algum momento sofre desse escapismo. A vida é difícil, meu caro. Somos seres sensíveis, vulneráveis, que se chateiam um ao outro. Nos podamos com pensamentos auto limitantes, com autocríticas. Lembra da auto sabotagem do programa passado? Pois é. A vida jamais será tão boa quanto imaginamos que possa ser, e mesmo quando está tudo bem somos assombrados com o pensamento de que um dia aquilo vai acabar.

Mesmo quando as coisas vão muito bem, muita gente não consegue simplesmente curtir o momento. Precisa de uma bebida, de um tapa na pantera… ou simplesmente de pensar que aquele momento bom não vai durar pra sempre.

Ô bicho complicado que a gente é…

Viver um pouco de escapismo não é problema, na verdade em poucas doses deve até fazer bem. O problema é quando transformamos o escapismo num círculo vicioso que nos mantém num ciclo de insatisfação, estresse, medo e infelicidade. Aí é ruim. É preciso interromper o ciclo. Fazer como o Filipe fez, a partir de um fato importante: uma separação.

Here, there and everywhere
John Lennon
Paul McCartney

To lead a better life,
I need my love to be here.

Here, making each day of the year
Changing my life with a wave of her hand
Nobody can deny that there’s something there.

I want her everywhere

And if she’s beside me I know I need never care.
But to love her is to need her

Everywhere, knowing that love is to share
Each one believing that love never dies
Watching her eyes and hoping I’m always there.

I want her everywhere
And if she’s beside me I know I need never care.
But to love her is to need her.

Everywhere, knowing that love is to share
Each one believing that love never dies
Watching her eyes and hoping I’m always there.

I will be there, and everywhere.
Here, there and everywhere.

Aqui, lá e em todo lugar

Para ter uma vida melhor
Eu preciso que meu amor esteja aqui

Aqui, fazendo cada dia do ano
Transformando a minha vida com aceno da sua mão
Ninguém pode negar que há alguma coisa lá

Lá, passando minha mão sobre seus cabelos
Nós dois, ambos, pensando como isso pode ser tão bom
Alguém está falando, mas ela não sabe que ele está lá

Eu a quero em todo lugar
E se ela está junto a mim, sei que não precisarei me preocupar
Mas para amá-la é necessário precisá-la

Em todo, sabendo que o amor é para compartilhar
Cada um acreditando que o amor nunca morrerá
Olhando em seus olhos, e esperando que eu esteja sempre lá

Eu a quero em todo lugar
E se ela está junto a mim, sei que não precisarei me preocupar
Mas para amá-la é necessário precisá-la

Em todo, sabendo que o amor é para compartilhar
Cada um acreditando que o amor nunca morrerá
Olhando em seus olhos, e esperando que eu esteja sempre lá

Eu estarei lá em todo lugar
Aqui, lá e em todo lugar

Péra Lalá. Eu ainda estou de joelhos aqui.  Deixa eu sentar direito. … esse é ninguém menos que Sir Paul McCartney. Não precisa dizer nada, né? Ah, Lalá, acho que temos também aí uma versão do Jake Shimabukuro, lembra dele? O do Ukulelê? Não tem?

Ei! Eu acho que vai ter umas lagriminhas nos olhos de alguns ogros…

Vamos continuar no texto, vai.

Sair do escapismo só é possível quando enfrentamos a realidade com a ideia de mudá-la. Quando mergulhamos em nossas experiências, em nossos sentidos, pensamentos e sentimentos. Isso é o “estar aqui e agora”.

O problema do “estar aqui e agora” é que isso significa mergulhar nas ondas de tristeza, de rotina, das coisas negativas da vida. E quem é que quer mergulhar nas coisas chatas hein, ruins e desagradáveis? Por isso é mais fácil escapar… Sacou?

A questão é que a situação da qual você está tentando escapar, normalmente fica pior… Escapar não resolve os problemas.

Li a carta do Filipe com muito interesse, pude vê-lo mergulhando naquilo que alguns chamam de “eu interior” ou “verdadeira natureza”, a alma – não no sentido religioso. Quando ele atingiu o âmago das experiências novas a que se propôs – e coisas triviais como levar o gato para casa, fazer um curso de gaita ou dirigir na estrada olhando a paisagem – aposto que ele se sentiu agradecido por simplesmente estar vivo. Isso acontece com você de vez em quando? Aquele momento mágico em que você se sente inteiro, saboreando o prazer de estar ali, agora? Como se tivesse descoberto uma fonte de energia e de alegria? Então lá vai a porrada: a única forma de atingir esse estado êxtase é aceitar o “aqui, agora” do jeito que ele é …

E olha só, cara… Isso acaba de acontecer comigo!]

Eu tô aqui escrevendo o programa enquanto rola no computador um show de Martinho da Vila, uma delícia. E entra esse som que você vai ouvir, BEIJA, ME BEIJA, ME BEIJA, com a Mart’nália, curte aí:

Que delícia, não é? Pois é… mas aí chega um momento da música, aos 37 minutos e 50 segundos, quando uma das vocalistas sai sambando e dança com a Mart’nália.

Ouviu a reação do público? Tive que parar tudo que estava fazendo para rever a cena, enquanto um sorriso imenso brotou aqui, ó.

O vídeo do show está publicado no roteiro deste programa no portalcafebrasil.com.br . Assista e veja se não é uma delícia.

Sabe que essa é uma das mágicas do Café Brasil, hein? Que me dá o tesão de continuar? As coisas acontecem assim, enquanto estou escrevendo, pesquisando, gravando. Mas tem que ser uma antena parabólica, estar atento a tudo que acontece em volta e estar disposto a experimentar as oportunidades. Se eu estivesse concentrado só na escrita, sem dar um tiquinho de atenção ao show que rolava ali na outra tela, não teria percebido aquele momento mágico. E não teria tido alguns segundos do mais profundo prazer.

Mas essa atenção constante tem um preço, viu? Consome uma energia imensa, no final do dia dá um cansaço mental gigantesco…mas os prazeres que eu encontro, valem a pena. Não é Filipe?

Parar tudo que eu estava fazendo simplesmente para curtir, para me entregar inteiro àquele momento… me fez me sentir vivíssimo, feliz, com vontade de mais….

Aqui e agora.

É, meu caro, minha cara… enquanto um monte de gente tenta escapar das durezas da vida navegando – ou fugindo-  no passado ou no futuro, outros mergulham no aqui e agora, se descobrem e simplesmente mudam. Bem, fique sabendo que isso é uma habilidade que a gente desenvolve, viu? O Filipe explicou como é que ele está fazendo. Descubra o seu jeito.

Você está mergulhando no aqui e agora ou fugindo dele?

Aqui e agora
Gilberto Gil

O melhor lugar do mundo é aqui
E agora
O melhor lugar do mundo é aqui
E agora

Aqui, onde indefinido
Agora, que é quase quando
Quando ser leve ou pesado
Deixa de fazer sentido

Aqui, onde o olho mira
Agora, que o ouvido escuta
O tempo, que a voz não fala
Mas que o coração tributa

O melhor lugar do mundo é aqui
E agora
O melhor lugar do mundo é aqui
E agora

Aqui, onde a cor é clara
Agora, que é tudo escuro
Viver em Guadalajara
Dentro de um figo maduro

Aqui, longe, em Nova Deli
Agora, sete, oito ou nove
Sentir é questão de pele
Amor é tudo que move

O melhor lugar do mundo é aqui
E agora
O melhor lugar do mundo é aqui
E agora

Aqui perto passa um rio
Agora eu vi um lagarto
Morrer deve ser tão frio
Quanto na hora do parto

Aqui, fora de perigo
Agora, dentro de instantes
Depois de tudo que eu digo
Muito embora muito antes

O melhor lugar do mundo é aqui
E agora
O melhor lugar do mundo é aqui
E agora

Putz…hoje eu viajei, hein? Mas adorei. E você? Mergulhou fundo neste cafezinho? Ah, sim, é fundamental curtir o passado, viu? E principalmente, imaginar o futuro. Só não dá é pra viver lá.

É assim então, ao som de AQUI E AGORA, clássico de Gilberto Gil de 1977, que vamos saindo de mansinho.

Com o viajandão Lalá Moreira na técnica, a destrambelhada Ciça Camargo na produção e eu, este mergulhador profissional Luciano Pires na direção e apresentação. Meu, como é bom estar com você, viu aqui e agora…

Estiveram conosco o ouvinte Filipe Aprigliano, Mart’nália, The Dead Daisies, Gilberto Gil, Jake Shimabukuro, Rildo Hora e… Sir Paul McCartney, que tal?

E não esqueça da Pellegrino, que além de ser uma das maiores distribuidoras de auto e motopeças do Brasil, também distribui conhecimento sobre gestão, comunicação e outras coisas legais em sua página em facebook.com/pellegrinodistribuidora. Conheça. E se delicie.

Pellegrino distribuidora. Conte com a nossa gente.

Este é o Café Brasil, que chega a você com o apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera. De onde veio este programa tem muito mais. Visite para ler artigos, para acessar o conteúdo deste podcast, para visitar nossa lojinha no … portalcafebrasil.com.br.

E mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96789 8114. E se você está fora do país: 55 11 96789 8114. E também estamos no Viber, com o grupo Podcast Café Brasil.

E se você acha que vale a pena ouvir o Café Brasil e quer contribuir, agora é possível fazer uma assinatura do programa. Acesse podcastcafebrasil.com.br e clique no link CONTRIBUA para saber mais. Já agradeço aos cerca de 150 ouvintes que assinaram até o momento. Mais que o valor financeiro, é o gesto de confiança que nos enche de orgulho.

E para terminar, uma frase de Henry Thoureau

Nada pode ser mudado até ser enfrentado.