s
Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

Café Brasil 736 – Coisas Sobre Você
Café Brasil 736 – Coisas Sobre Você
A Bianca Oliveira é jornalista, apresentadora de ...

Ver mais

Café Brasil 735 – Morrer de quê?
Café Brasil 735 – Morrer de quê?
Fala a verdade, quem é que não se pegou pensando sobre ...

Ver mais

Café Brasil 734 – Globalização e Globalismo
Café Brasil 734 – Globalização e Globalismo
Olha, vira e mexe a gente ouve falar em globalização e ...

Ver mais

Café Brasil 733 – Agro Resenha
Café Brasil 733 – Agro Resenha
O agronegócio, que talvez seja o mais espetacular caso ...

Ver mais

Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Nos 14 anos em que produzimos podcasts, esta talvez ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

O turismo e a economia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O turismo e a economia A indústria do turismo passou certamente pelo maior desafio das últimas décadas, mas é forte o bastante para superar. Esteja atento às possibilidades tecnológicas e agregue ...

Ver mais

O boom no turismo regional no mundo pós-pandemia do coronavírus
Michel Torres
Estratégias para diferenciação e melhor aproveitamento da imensa demanda por hotéis e pousadas Um detalhe sobre a pandemia do coronavírus em curso é que as áreas com focos concentrados são ...

Ver mais

Boicote, Coelhinho?
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
O britânico Charles Cunningham entrou pra História de um jeito muito diferente. Em 1880, foi à Irlanda dirigir os negócios de um grande proprietário de terras local. Acabou entrando em desavenças ...

Ver mais

Aquém do potencial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Aquém do potencial  “A economia está sujeita a conveniências políticas que a levaram por maus caminhos. Por isso enfatizo tanto a gravidade da situação, na esperança de levar seus responsáveis ao ...

Ver mais

Cafezinho 319 – A cizânia
Cafezinho 319 – A cizânia
Fique de olho nos Tullius Detritus que infestam sua vida.

Ver mais

Cafezinho 317 – Declaração de Princípios
Cafezinho 317 – Declaração de Princípios
Quando decidi que lançaria meu primeiro curso on-line, ...

Ver mais

Cafezinho 316 – Não somos estúpidos
Cafezinho 316 – Não somos estúpidos
Não, não é para mergulhar no otimismo cego, que é tão ...

Ver mais

Cafezinho 315 – Como nasce uma palestra
Cafezinho 315 – Como nasce uma palestra
É exatamente como um pintor, um escultor, um músico ...

Ver mais

Café Brasil 701 – Sorte

Café Brasil 701 – Sorte

Luciano Pires -
Download do Programa

Olha! Se você tem água infiltrando, tem a pintura manchando, tem fungo pegando: saiba que isso tudo é umidade. E a umidade  não perdoa. E com ela vem também várias doenças respiratórias. Se você tá brigando com a umidade, saiba que a maioria dos problemas são fáceis de resolver com a ajuda da SIKA – Líder Mundial de Impermeabilizantes.  Acesse @sika_brasil no Instagram e coloque lá suas dúvidas! Ou diga simplesmente,  que conheceu a SIKA através do Café Brasil!

SIKA – S.I.K.A. – @sika_brasil.

E quem voltou ao patrocínio do Café Brasil é o Itaú Cultural! E desta vez trazendo uma baita  novidade.

Fazendo uso de sua riquíssima produção em áudio, O Itaú Cultural lançou três podcasts. No podcast Escritores-Leitores, autores brasileiros falam de seu processo criativo. No podcast Toca Brasil, artistas, produtores e pesquisadores do universo musical falam de seu trabalho. E no podcast Mekukradjá escritores, cineastas e lideranças de povos indígenas de várias regiões do Brasil tratam das questões indígenas.

Acesse itaucultural.org.br. Agora você tem cultura entrando por aqui, ó:

Pelos ouvidos…

E aí, hein? Você se considera uma pessoa sortuda ou azarada? Aliás, sucesso tem a ver com sorte ou com talento, hein? Com os dois, é? E quanto de cada um, hein?

Quanta pergunta, né? Bom, chegou a hora de falar sobre sorte.

Bom dia, boa tarde, boa noite. Você está no Café Brasil e eu sou o Luciano Pires.

Posso entrar?

Fui a uma palestra de Abílio Diniz, um dos mais bem-sucedidos empresários brasileiros. Ele contou que era filho de um padeiro e que sofria bullying na escola.

A diversão da molecada era bater no Abílio.

Hoje ele é um bilionário. E num determinado momento, ele solta a seguinte pérola:

“Se hoje eu estou aqui, você também pode estar…”

Olha… sabe quando eu vou conseguir estar num lugar como o do Abílio, hein? Nunca. Talvez em outras quatro encarnações. Ou então se eu ganhar sozinho na loteria.

A possibilidade de chegar onde o Abílio chegou, existe sim. Mas a probabilidade é nula.

Olha, não acho que exista nada de mal em você se visualizar lá na posição do Abílio. Que bom poder usar alguém como ele como referência.

Mas é só como referência.

O que é que ele ensina para mim? Que dá para crescer mesmo sem ser filho de rico. Que é preciso trabalhar pra caramba. Que tem de ter disciplina. Que é preciso agir!

E que tem de ter… sorte.

Pensamento positivo é excelente para focar a nossa energia, nos motivar e abrir o apetite para seguir em frente.

Mas só abre o apetite… tem de comer.

Pensamento positivo não é pensamento mágico. Não faz que as coisas aconteçam do nada.

Pensar positivamente, visualizar onde você quer estar, é como desenhar um mapa. Depois que ele estiver pronto, não basta ficar contemplando. Tem que seguir o caminho.

E aí meu, é disciplina, disciplina, disciplina. Expor-se às oportunidades. Preparar-se e… sorte.

Passei a usar o exemplo do Abílio como uma utopia, aquele sonho ideal que mantêm você em movimento.

Provavelmente jamais chegarei lá, mas estarei me expondo às oportunidades. À sorte.

O sonho me manterá em movimento e, portanto… vivo!

“Bom dia chuvoso. Boa tarde, boa noite, Luciano, Ciça. Fernando Luiz Rosar, de Floripa, santa e bela Catarina, com a recém aberta dama de ferro, senhora de ferro, a ponte Hercílio Luz.

Sobre esse Cafezinho 243, eu acho curioso quando se fala sobre pensamento positivo. É claro que é bom você ter uma postura, uma mentalidade, um pensamento otimista, positivo, como você falou, perante a vida, perante os eventos. Mas assim, a questão de ter sorte é como se tivesse uma condição de sempre esperar que as coisas na vida acontecessem de uma maneira a privilegiar esta ou aquela pessoa.

Do que eu tenho lido, do que eu tenho aprendido nos cursos que eu tenho feito, dá uma perspectiva de que ter um pensamento mais assertivo, talvez seja muito mais… e não só condizente, como também muito mais produtivo, porque cada um de nós está sujeito às intempéries normais da vida. Como por exemplo, essa chuva que eu acabei de falar. Eu posso reclamar, resmungar, choramingar, porque eu estava planejando dar uma caminha na praia, ou eu posso perceber: ok, se isso acontece, eu posso então aproveitar pra fazer uma leitura ou alguma outra atividade em substituição a essa.

E quando outros problemas, digamos de uma maneira um pouco mais crítica, mais grave, acontecem na vida, como por exemplo, bater um carro…. ter uma perda, uma perda financeira, eu posso pensar: ok, isso é ruim, isso é desagradável. Porém, o que que eu posso fazer com isso? Qual a escolha que eu faço a respeito desse evento? Eu posso ter uma postura de dizer: porra, que nada, sou uma pessoa azarada, só problemas acontecem na minha vida, ou dizer: bom, se isso aconteceu comigo, o que eu posso fazer a esse respeito? O que eu posso aprender? Que educação financeira que eu posso tomar e que prudências a mais eu posso acrescentar no meu dia a dia pra não sofrer esse revés financeiro, esse calote, seja lá o que for. Enfim… mas… ok.

As coisas vão se ajustando e vão se alinhando pra tornar um pensamento positivo em um pensamento mais assertivo, de aprender  com tudo o que acontece com a gente. Um abraço. Fiquem bem. Um abraço pra vocês. Um ótimo 2020″

Grande Fernando, pensamento positivo ou assertivo? Que grande questão… Você verá neste programa que esses dois pensamentos convergem na cabeça de quem tem sorte. Vamos mergulhar um pouco mais fundo nele…

Muito bem. O Fernando teve sorte e receberá um KIT DKT, recheado de produtos PRUDENCE, como géis lubrificantes e preservativos masculinos. Basta enviar seu endereço para contato@lucianopires.com.br.

A DKT distribui as marcas Prudence, Sutra e Andalan, contemplando a maior linha de preservativos do mercado, além de outros produtos como anticonceptivos intrauterinos, géis lubrificantes, estimuladores, coletor menstrual descartável e lenços umedecidos. A causa da DKT é reverter grande parte de seus lucros para projetos nas regiões mais carentes do planeta para evitar gravidez indesejada, infecções sexualmente transmissíveis e a AIDS. Ao comprar um produto Prudence, Sutra ou Andalan você está ajudando nessa missão!

facebook.com/dktbrasil.

Vamos lá então!

Luciano – Lalá, na hora do amor, como é que faz pra não dar sopa pro azar, hein?

Lalá – Pô, meu, usa Prudence.

Luciano – Boa…

Private dancer
Mark Knopfler

Well, the men come in these places
And the men are all the same
You don’t look at their faces
And you don’t ask their names
You don’t think of them as human
You don’t think of them at all
You keep your mind on the money
Keeping your eyes on the wall

I’m your private dancer
A dancer for money
I’ll do what you want me to do
I’m your private dancer
A dancer for money
And any old music will do

I wanna make a million dollars
I wanna live out by the sea
Have a husband and some children
Yeah, I guess I want a family
All the men come in these places
And the men are all the same
You don’t look at their faces
And you don’t ask their names

I’m your private dancer
A dancer for money
I’ll do what you want me to do
I’m your private dancer
A dancer for money
And any old music will do

I’m your private dancer
A dancer for money
I’ll do what you want me to do
I’m your private dancer
A dancer for money
And any old music will do

Deutschmarks or dollars
American Express will do nicely, thank You!
Let me loosen up your collar
Tell me do you wanna see me do the shimmy again

I’m your private dancer
A dancer for money
I’ll do what you want me to do
I’m your private dancer
A dancer for money
And any old music will do

Dançarina particular

Todos os homens vem nestes lugares
E os homens são todos os mesmos
Você não olha para seus rostos
E você não pergunta seus nomes
Você não pensa neles como humanos
Você absolutamente não pensa neles
Você se concentra no dinheiro
Fixando seus olhos na parede

Eu sou sua dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Eu farei o que você quer que eu faça
Eu sou sua dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Qualquer musica velha eu dançarei

Eu quero fazer um milhão de dólares
Eu quero viver perto do mar
Ter um marido e alguns filhos
Sim, eu acho que quero uma família
Todos os homens vem nesses lugares
E os homens são todos os mesmos
Você não olha para seus rostos
E você não pergunta seus nomes

Eu sou sua dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Eu farei o que você quer que eu faça
Eu sou sua dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Qualquer musica velha eu dançarei

Eu sou sua dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Eu farei o que você quer que eu faça
Eu sou sua dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Qualquer musica velha eu dançarei

Marcos alemães ou dólares
American express será gentil…obrigada!
Deixe-me soltar seu colarinho
Diga-me você não quer me ver rebolar novamente

Eu sou sua dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Eu farei o que você quer que eu faça
Eu sou sua dançarina particular
Uma dançarina por dinheiro
Qualquer musica velha eu dançarei

No PodSumário “Como pensar estrategicamente”, que os assinantes do Café Brasil Premium receberam em dezembro de 2019, comento que acabara de assistir um documentário sobre Tina Turner, que completara 80 anos. Depois de se separar de seu marido Ike Turner, após anos de relacionamento abusivo, Tina se tornou uma cantora de cassinos e bares, muitos deles até obscuros. Até ser vista por um produtor que, impressionado, decidiu trabalhar com ela. E apresentou-lhe a canção Private Dancer.

Tina diz que ouviu, não achou nada demais na música e disse ao produtor:

– Tá bem. Eu consigo cantar isso.

O que se viu na sequência foi um sucesso estrondoso por mais de 30 anos.

E se aquele produtor tivesse ido ao lugar onde Tina se apresentou, num outro dia ou horário, hein? E se ele não a tivesse visto?

No meio de toda história de sucesso sempre existe um golpe de sorte. Estar no local certo, na hora certa. Cruzar com a pessoa certa. Alguém vê seu trabalho quando você menos espera…

Pois então… Talento, habilidades pessoais, resiliência, trabalho duro, otimismo, visão e mais um monte de atributos fazem parte da cesta que leva ao sucesso. E sucesso leva a mais sucesso.

Em minha palestra O ão e o inho, eu comento a tese de David Easley e Jon Kleinberg no livro Networks, Crowds and Markets, sobre a Lei do Poder, que diz que popularidade é um fenômeno de Network. Quanto mais popular é a pessoa, mais popular ela se torna. Até que um cataclisma ou a falta de renovação a carreguem para um limbo.

Foi o que aconteceu com Tina. Uma tragédia pessoal que a retira dos holofotes, até o golpe de sorte de ser vista pelo cara certo na hora certa.

Quanta gente talentosa você não conhece, que está esquecida enquanto a mediocridade enche as burras de dinheiro, hein? Olha! É só assistir os programas musicais da Globo, por exemplo.

Nós escolhemos as pessoas bem-sucedidas para dar nosso dinheiro, nosso tempo, nossa atenção. E é em seu histórico de sucesso que confiamos. Afinal, se são bem-sucedidas, devem ser as mais competentes, certo?

Hummmm… será?

Não dá para negar que a paixão pelo que se faz, a criatividade e imaginação, a perseverança e a abertura para novas experiências são fatores que podem levar ao sucesso. O Abílio lá deve ter muito disso.

Mas tá cheio de gente imaginativa, criativa, perseverante, com abertura para novas experiências que é um fracasso. Como é que se explica essa variação, hein?

Será que tem algo mais, é?

Sorte e oportunidade. Tem muita gente falando a respeito, tentando entender como funciona a sorte.

Mas sorte não é aquela coisa que acontece enquanto estamos deitados na rede tomando uma cerveja, não. Tem de dar uma mãozinha para ela, né?

E o primeiro passo é reconhecer que talento e características pessoais não são tudo.

Algumas pesquisas recentes apresentaram descobertas fascinantes:

– Metade da diferença em ganho entre as pessoas no mundo todo tem a ver com o país no qual vivem e pela distribuição de renda naquele país.

– Nas carreiras científicas, a alta produtividade por si só tem efeito limitado no sucesso dos cientistas;

– A chance de se tornar CEO de uma empresa é influenciada por seu nome  e mês de nascimento;

– A quantidade de CEOs nascidos em junho e julho é muito menor que os CEOs nascidos em outros meses;

– Mulheres com nomes que parecem masculinos têm mais sucesso nas carreiras legais…

Parece muito louco isso aí, não é? Então será que as pessoas mais bem-sucedidas são também as mais sortudas?

Bem, os pesquisadores italianos Alessandro Pluchino, Andrea Raspisarda e Alessio Biondo fizeram uma pesquisa procurando determinar o papel da sorte e do talento no sucesso de nossas carreiras. Eles criaram um modelo matemático que simula a evolução da carreira de uma população especifica durante 40 anos, dos 20 aos 60 anos de idade. A população do estudo tem gente com culturas, talentos e habilidades diversas. E eles definiram “talento” como características pessoais que possibilitem à pessoa explorar as oportunidades de sorte. A chave do estudo é que pessoas talentosas teriam mais chance de aproveitar as oportunidades.

Todos os indivíduos no estudo começaram no mesmo patamar. A cada seis meses eles eram expostos a um certo número de acontecimentos de sorte e de azar. Sempre que trombassem com um evento de azar, o sucesso era reduzido pela metade. No caso de um  evento de sorte, o sucesso dobrava em proporção a seu talento.

A descoberta foi que eles chegaram ao princípio de Pareto, aquela curva normal que diz que 20% das pessoas terão 80% do sucesso. No final da simulação de 40 anos de carreira, em que os talentos foram distribuídos de forma equalitária, eles descobriram que o sucesso não foi.

Os 20% indivíduos mais bem-sucedidos tinham 44% do total do sucesso, enquanto metade da população ficou abaixo da condição inicial de sucesso. Ou seja, além de não progredir, fracassaram.

Olha: eu coloquei o link para a pesquisa desses italianos no roteiro deste programa no portalcafebrasil.com.br.

https://blogs.scientificamerican.com/beautiful-minds/the-role-of-luck-in-life-success-is-far-greater-than-we-realized/

Bem, se os mais bem-sucedidos também fossem os mais talentosos, o resultado do estudo estaria justificado, não é?

Mas o estudo descobriu que o talento importa, sim, pois dá à pessoa a chance de aproveitar melhor as oportunidades. Mas o talento por si não foi suficiente, pois no estudo, os indivíduos mais talentosos raramente foram os mais bem-sucedidos!

No geral, gente medíocre mas sortuda foi mais bem-sucedida que os talentosos azarados. E os mais bem-sucedidos foram aquele levemente acima da média do talento, mas com muita sorte na vida.

Em outras palavras, os bem-sucedidos foram os que tiveram a maior quantidade de eventos de sorte ao longo da carreira. O grande talento nada pode contra o grande azar.

No Café Brasil 430 eu apresentei o conceito de Serendipidade, você está lembrado hein? Pois naquela mesma palestra O ão e o inho eu apresento a fala de umas filósofas baianas…

Xibom Bombom
Rogério Gaspar
Wesley Rangel

Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!

Analisando
Essa cadeia hereditária
Quero me livrar
Dessa situação precária

Analisando
Essa cadeia hereditária
Quero me livrar
Dessa situação precária

Onde o rico cada vez
Fica mais rico
E o pobre cada vez
Fica mais pobre
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce…

Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!

Mas eu só quero
Educar meus filhos
Tornar um cidadão
Com muita dignidade
Eu quero viver bem
Quero me alimentar
Com a grana que eu ganho
Não dá nem prá melar
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce

Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!

Cara! A cena do Lalá dançando aqui é imperdível, cara!

Pois é… Quando damos recursos às pessoas baseados em seu histórico de sucesso, fazemos com que os famosos fiquem mais famosos, os populares mais populares e os ricos ainda mais ricos.

Então talvez devêssemos encontrar uma forma de garantir os recursos para que mais gente pudesse ter oportunidade de sucesso, e não apenas os já bem-sucedidos, não é?

E a DTI Digital é um dos apoiadores do Café Brasil, e está ensinando a o caminho do sucesso, sabe como é que é? É sendo ágil. Sua empresa é ágil, hein? Cada empresa precisa descobrir o seu próprio caminho para ser ágil! Não existe um único modelo, mas existem princípios, e é isso que os Agilistas trazem para você. Descubra por onde começar a ser ágil, ouvindo o podcast Os Agilistas, que você encontra em todas as plataformas. E pode seguir pelo Instagram no @osagilistas. Ou então acessando a dtidigital.com.br .

Vai, meu, se mexe! Seja ágil como um agilista!

Olha, dá pra dizer que existem dois tipos de sorte. Uma que os norte-americanos chamam de “chance”, que tem a ver com acaso, com o imponderável. É aquela sobre a qual não temos controle, por exemplo, ganhar na loteria. Pode acontecer com qualquer um, mas não acontece com frequência.

A outra eles chamam de luck, a sorte que aparece de forma consistente. E só acontece porque alguém está fazendo alguma coisa para que aconteça.

Uia! Então talvez seja possível fazer a própria sorte!

Os psicólogos usam o temo “viés retrospectivo” para descrever a forma como percebemos e avaliamos eventos depois que eles ocorrem. Nossa memória é falha, e acabamos produzindo falsas sensações de inevitabilidade e previsibilidade. Quando algo muito bem-sucedido acontece, esse viés vem ainda mais forte. Parece que dava pra prever, né?

E aí? Quais eram as chances da Tina performar justamente na noite que o cara lá estava no local do show, hein?

Ninguém discute o talento e a capacidade de trabalho de Tina, mas se não fosse aquele encontro…

E é fácil olhar para trás e explicar o sucesso de Tina baseado em seu inigualável talento

Mas…e se ela, com todo seu talento e capacidade de trabalho tivesse nascido em Kigali e fosse a maior cantora de Ruanda, hein?

Talento e trabalho duro, sozinhos, não explicam o sucesso.

Tem uma metáfora muito legal a respeito e quem anda de bike vai adorar: quando estamos pedalando contra o vento, percebemos claramente a força do próprio vento. Ele está lá, dificultando nossa vida. E aí chegamos numa curva, e agora o vento está em nossas costas, nos empurrando. Em segundos, esquecemos dele. Nossa mente e o mundo funcionam assim: temos muito mais consciência das coisas que nos dificultam do que das que nos ajudam.

Por isso, no longo prazo, o bem-sucedido dificilmente dirá que a razão de seu sucesso foi a sorte… Ele terá esquecido dos momentos de sorte. Só lembrará do trabalho duro e do seu talento.

Pois bem. E então a ciência explica: quanto mais nos sentimos com sorte, mas influenciamos nossa sorte futura. Em outras palavras, somos tão sortudos quanto achamos que somos. E a sorte gera mais sorte.

Você está caminhando na rua quando um aparelho de ar condicionado despenca do vigésimo andar. O aparelho cai na sua frente, destrói o seu celular que estava em sua mão, mas você sai ileso.

Você tem sorte porque saiu ileso ou tem azar porque perdeu a celular?

Gente otimista foca na sua sorte. Os pessimistas focam no azar.

Portanto, o primeiro passo para avaliar a sorte é saber se você é otimista ou pessimista. Dependendo da perspectiva, a avaliação muda completamente.

O psicólogo Richard Wiseman passou dez anos estudando o Fator Sorte, examinando o papel da sorte na vida das pessoas e seu relacionamento com sentimentos de ser bem afortunado. Ele afirma que a sorte é uma profecia auto-realizável.

Wiseman diz que sentir-se azarado, cria medo e ansiedade, que nos tornam cegos para as oportunidades. Ele diz assim, ó: Você pode dizer que 50% de sua vida acontece por sorte. Não. Talvez 10%. Os outros 40% sobre os quais você acha que não tem influência, são definidos pela forma como você pensa.”

Numa experiência, ele colocou um anúncio num jornal prometendo dinheiro para quem respondesse. Entregaram o jornal para as pessoas pedindo que contassem quantas imagens havia por todo o jornal. As pessoas que se consideravam ansiosas e azaradas, simplesmente não viram o anúncio. Já as que se identificaram como sortudas, viram o anúncio, responderam, ganharam o dinheiro e se consideraram ainda mais sortudas.

Gente sortuda é aquela que mantêm os olhos, mente e coração abertos, sempre disponíveis para a sorte. Somos treinados a focar em uma direção, mas no mundo real estamos rodeados de oportunidades.

Conclusão: a forma como enquadramos os eventos define se vamos focar nos aspectos positivos ou negativos das experiências. Dessa forma, duas pessoas que vivem a mesma experiência podem chegar a conclusões completamente diferentes. E a forma como falarem a si próprias sobre o fato, define não só como se sentirão, mas como outras pessoas se sentirão sobre elas. E assim definirão sua sorte futura.

Quem enfatiza o lado bom das coisas, quem coloca sua energia no que ama em vez de colocar no que odeia, cria a boa sorte.

Que tal? Baita tema, né?

 

Whole lotta love
Led Zeppelin

You need cooling
Baby, I’m not fooling
I’m gonna send, yeah
You back to schooling

Way down inside
Honey, you need it
I’m gonna give you my love
I’m gonna give you my love

Wanna whole lotta love
Wanna whole lotta love
Wanna whole lotta love
Wanna whole lotta love

You’ve been learning
Baby, I been learning
All that good times
Baby, baby, I’ve been yearning

Way, way down inside
Honey, you need it
I’m gonna give you my love
I’m gonna give you my love

Wanna whole lotta love
Wanna whole lotta love
Wanna whole lotta love
Wanna whole lotta love

You’ve been cooling
Baby, I’ve been drooling
All the good times
Baby, I’ve been misusing

Way, way down inside
I’m gonna give you my love
I’m gonna give you
Every inch of my love, gonna give you my love

Wanna whole lotta love
Wanna whole lotta love
Wanna whole lotta love
Wanna whole lotta love

Way down inside
Woman you need love
Shake for me, girl
I wanna be your backdoor man

Keep it cooling, baby
Keep it cooling, baby
Keep it cooling, baby
Keep it cooling, baby

Um bocado de amor

Você precisa se acalmar
Garota, eu não estou brincando
Eu vou mandar, sim
Você de volta à escola

Lá no fundo
Querida, você precisa disso
Eu vou te dar o meu amor
Eu vou te dar o meu amor

Quero um bocado de amor
Quero um bocado de amor

Você está aprendendo
Garota, eu fui aprendendo
Todos os bons tempos
Garota, garota, que eu tenho saudade

Lá no fundo
Querida, você precisa disso
Eu vou te dar meu amor
Eu vou te dar meu amor

Quero um bocado de amor
Quero um bocado de amor

Você tem se acalmado
Garota, eu tenho babado
Todos os bons tempos
Garota, eu tenho abusado

Lá no fundo
Eu vou te dar o meu amor
Eu vou te dar
Cada centímetro do meu amor, vou te dar o meu amor

Quero um bocado de amor
Quero um bocado de amor

No fundo
Garota, você precisa de amor
Balance pra mim, garota
Eu quero ser seu amante

Fique calma, garota
Fique calma, garota

Uau! É assim então, olha,  ao som de Whole Lotta Love, aquele petardo do Led Zepellin, aqui com Ike e Tina Turner, que vamos saindo cheios de sorte.

Muito bem. Tá claro então pra você, hein? Olha! Ajuda muito a ser sortudo quem procura ver o lado bom das coisas, sempre fazendo do limão limonada. Gente sortuda é aquela que acha que a sorte está esperando ali ó, na esquina. Gente sortuda é aquela que é aberta para as possibilidades, e assim atrai oportunidades.

Pô meu! Parece livrinho de auto-ajuda, né?

É. Mas a ciência comprova, viu?

Você define se enxergará sorte ou azar nos acontecimentos. E assim define se gerará oportunidades ou não.

O Café Brasil é produzido por quatro pessoas. Eu, Luciano Pires, na direção e apresentação, Lalá Moreira na técnica, Ciça Camargo na produção e, é claro, você aí, completando o ciclo.

De onde veio este programa tem muito mais, especialmente para quem assina o cafebrasilpremium.com.br. Cara! Tá de aplicativo novo, tá de site novo, tem conteúdo que não acaba mais. É o seu MLA – Master Life Administration. Acesse cafedegraca.com e experimente o Premium por um mês, sem pagar.

O conteúdo do Café Brasil pode chegar ao vivo em sua empresa através de minhas palestras. Acesse lucianopires.com.br e vamos com um cafezinho ao vivo.

Para o resumo deste programa, acesse portalcafebrasil.com.br/701.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96429 4746. E também estamos no Telegram, com o grupo Café Brasil.

Para terminar, uma frase que li na revista Fast Company:

É melhor ter sorte do que ser esperto.