s
Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
Aplicativos IOS e Android para o Café Brasil Premium!
MUDANÇAS IMPORTANTES NO CAFÉ BRASIL PREMIUM A você que ...

Ver mais

Café Brasil 746 – O viés
Café Brasil 746 – O viés
Você já se pegou forçando a barra para que os fatos ...

Ver mais

Café Brasil – A chamada
Café Brasil – A chamada
Meu conteúdo vale muito desde que seja de graça.

Ver mais

Café Brasil 745 – Superhomem
Café Brasil 745 – Superhomem
O programa de hoje passa por igualdade de gêneros. E ...

Ver mais

Café Brasil 744 – Sinalização de virtude
Café Brasil 744 – Sinalização de virtude
Você já ouviu alguns ditados como “faça o que digo, não ...

Ver mais

LíderCast 211- Luis Grottera
LíderCast 211- Luis Grottera
Um nome importante do mundo da propaganda brasileira, ...

Ver mais

LíderCast 210 – Sarah Rosa
LíderCast 210 – Sarah Rosa
“Atriz pornô e acompanhante” como ela mesma se define. ...

Ver mais

LíderCast 209 – Gabriel Lima
LíderCast 209 – Gabriel Lima
CEO da Enext e uma das mais jovens referências nos ...

Ver mais

LíderCast 208 – Alon Lavi
LíderCast 208 – Alon Lavi
Bacharel em Engenharia Biotecnológica na Universidade ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Mainstream
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Mainstream Tema atual e oportuno  “As indústrias criativas não são mais hoje em dia um tema exclusivamente americano: são um tema global.” Frédéric Martel Acabo de ler Mainstream. Concluído em ...

Ver mais

Vacinas para quem precisa
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Não, o assunto não é a vacina contra a Covid-19. Por dois motivos: Primeiro, tem gente demais dando opinião sobre isso, e a maioria totalmente leiga no assunto. A coisa virou briga política, e ...

Ver mais

A montanha-russa peruana
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A montanha-russa peruana Peru em flashes  “Desde a década de 1970, a democracia na América Latina cresceu num clima internacional favorável, mas suas vantagens são prejudicadas pela fraqueza de ...

Ver mais

A nova esquerda e a ideologia ultraliberal
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Amigos, a nossa alienação nunca está onde nós acreditamos que ela esteja: a nossa alienação está justamente onde temos certeza de que enxergamos a realidade.   Digo isso porque percebo, em boa ...

Ver mais

Cafezinho 339 – Bote na rua esses urubus
Cafezinho 339 – Bote na rua esses urubus
Mantenha por perto quem quer construir. Livre-se dos ...

Ver mais

Cafezinho 338 – Cobertor de casal
Cafezinho 338 – Cobertor de casal
Ir de um post ao outro foi como sair de uma sauna e ...

Ver mais

Cafezinho 337 – Erebus e Terror
Cafezinho 337 – Erebus e Terror
A Expedição Franklin, no final do século 19, apesar de ...

Ver mais

Cafezinho 336 – Dê uma chance pra sorte
Cafezinho 336 – Dê uma chance pra sorte
Não dá pra provocar a sorte. Mas dá pra dar uma chance ...

Ver mais

Café Brasil 738 – O encantador de Millennials

Café Brasil 738 – O encantador de Millennials

Luciano Pires -

O Café Brasil chega a você com patrocínio da Perfetto, que faz… Sorvetes!

E a Perfetto acaba de obter a IFS Certification, uma certificação internacional que assegura que a  empresa implementou sistemas que garantem a segurança e qualidade de seus produtos e processos de produção. A norma ​IFS é reconhecida internacionalmente, tanto pela GFSI (Global Food Safety Initiative), uma associação internacional que consolida e promove a segurança alimentar ao longo de toda a cadeia de suprimentos, quanto pelos principais mercados mundiais.

Você sabe o que isso significa? Ainda mais qualidade e segurança além do sabor delicioso. Dê uma olhada no site deles, perfetto.com.br, perfetto tem dois tês. Tem um blog lá com umas receitas enlouquecedoras, cara!

No Instagram é @perfettosorvetes.

Com sorvete #TudoéPerfetto

Todo mês, publicamos no Café Brasil Premium um Podsumário, sumário comentado de um livro que não foi lançado no Brasil. Este mês foi o livro Encantador de Millenials, que trata de choque de gerações, e explica o que é a geração que maior impacto tem na força de trabalho e de consumo mundial. A geração dos Millenials. E hoje eu vou mostrar um resumo de alguns pontos. E vou tentar fazer uma trilha sonora que vai na mesma onda, tá?

Bom dia, boa tarde, boa noite. Você está no Café Brasil e eu sou o Luciano Pires.

Posso entrar?

I Want it that way
Alyson Stoner
Max Schneider
Kurt Hugo Schneider

Yeah
You are my fire
The one desire
Believe when I say
I want it that way

But we are two worlds apart
Can’t reach to your heart
When you say
That I want it that way

Tell me why
Ain’t nothin’ but a heartache
Tell me why
Ain’t nothin’ but a mistake
Tell me why
I never wanna hear you say
I want it that way

Am I your fire?
Your one desire?
Yes, I know, yeah, it’s too late
But I want it that way

Tell me why
Ain’t nothin’ but a heartache
Tell me why
Ain’t nothin’ but a mistake
Tell me why
I never wanna hear you say
I want it that way

Now, I can see that we’ve fallen apart
From the way that it used to be, yeah
No matter the distance
I want you to know
That deep down inside of me

You are my fire
The one desire
You are, you are, you are, you are

Don’t wanna hear you say, yeah
Ain’t nothin’ but a heartache
Ain’t nothin’ but a mistake
(Don’t wanna hear you say)
I never wanna hear you say
I want it that way

Tell me why
Ain’t nothin’ but a heartache
Tell me why
Ain’t nothin’ but a mistake
Tell me why
I never wanna hear you say
(Don’t wanna hear you say)
I want it that way

Tell me why
Ain’t nothin’ but a heartache
Ain’t nothin’ but a mistake
Tell me why
I never wanna hear you say
(Don’t wanna hear you say it)
I want it that way
‘Cause I want it that way

Eu quero assim

Sim
Você é o meu fogo
Meu único desejo
Acredite quando digo
Eu quero assim

Mas somos de dois mundos separados
Não consigo alcançar seu coração
Quando você diz
Que eu quero assim

Diga-me por que
Não foi nada além de uma magoa
Diga-me por que
Não foi nada além de um erro
Diga-me por que
Eu nunca quero te ouvir dizer
Eu quero assim

Sou eu o seu fogo?
Seu único desejo?
Sim, eu sei que é tarde demais
Mas eu quero assim

Diga-me por que
Não foi nada além de uma magoa
Diga-me por que
Não foi nada além de um erro
Diga-me por que
Eu nunca quero te ouvir dizer
Eu quero assim

Agora eu vejo que estamos nos distanciando
Do que costumávamos ser
Não importa a distância
Eu quero que você saiba
Que bem no fundo, dentro de mim

Você é o meu fogo
Meu único desejo
Você é, você é, você é, você é

Não quero ouvir você dizer
Não foi nada além de uma magoa
Não foi nada além de um erro
(Não quero ouvir você dizer)
Eu nunca quero ouvir você dizer
Eu quero assim

Diga-me por que
Não foi nada além de uma mágoa
Diga-me por que
Não foi nada além de um erro
Diga-me por que
Eu nunca quero te ouvir dizer
(Não quero ouvir você dizer)
Eu quero assim

Diga-me porque
Não foi nada além de uma magoa
Não foi nada além de um erro
Diga-me porque
Eu nunca quero te ouvir dizer
(Não quero ouvir você dizer)
Eu quero assim
Porque eu quero assim

Muito bem! Começo o programa com Back Street Boys e I Want it That Way, já quebrando as pernas de uns Millennials aí…

Millennials são arrogantes, preguiçosos, mimados, egoístas e empregados desleais. Ponto!

São mesmo, é? De verdade?

A ideia de encontrar um Millennial produtivo é sinônimo de encontrar o monstro do Lago Ness, o Pé Grande ou, para ficar no folclore brasileiro, o Curupira ou o Boitatá.

Algum desses Millennials já cruzou seu caminho?

– Eles querem promoções imediatas depois de apenas um mês no novo emprego.
– Eles acreditam que são melhores que você em sua profissão.
– Eles vão desistir no momento em que se sentirem chateados.
– São a geração do “primeiro eu”.
– Eles precisam ter mesas de jogos, videogames e barris de cerveja para serem produtivos.

É assim que o autor começa o livro, cara!  E de forma simples ele chega numa conclusão: esses mitos são falácias.

Como atrair, reter, dar poder e liderar Millennials? Essa é a questão na qual a maior parte do livro se desenvolve.

Em The Millennial Whisperer, que eu traduzi livremente como O Encantador de Millennials, o autor Chris Tuff desfaz os mitos e estereótipos relativos à geração Millennial e nos mostra como, simplesmente capacitando, confiando e motivando uma das maiores gerações de todos os tempos, o futuro de nossas comunidades empresariais pode florescer e ter sucesso de formas nunca antes imaginadas.

A Geração Millennials é aquela que nasceu entre 1981 e 1996. Em 2016 os Millennials tornaram-se a maior geração da força de trabalho do planeta, representando 35% dos norte-americanos trabalhadores a partir de 2017. Até 2030, eles representarão mais de 75% dos americanos na força de trabalho. No entanto essa geração continua a ser estereotipada por muitos empregadores. Por que será, hein?

Olha! Muito das diferenças que sentimos para com os Millennials, tem mais a ver com as fases da vida do que com planos diabólicos para evitar trabalho ou trabalhar remotamente. Apenas há poucos anos fora da escola, os Millennials ainda estão aprendendo. É por isso que podemos ensinar-lhes sobre atitude e ética em vez de abordar formalmente os atributos que eles ainda estão desenvolvendo.

Como grupo, os Millennials estão em seus vinte ou trinta anos quando este livro foi escrito. O que significa que os mais novos estão namorando, casando e começando a ter filhos. Todo o tempo estão procurando no mundo corporativo as coisas que amam fazer e nas quais são bons.

Há Millennials mais novos e há Millennials mais velhos. Alguns ainda estão tentando descobrir suas paixões e nichos, aquela área onde podem brilhar. É ali que os seus talentos, paixões e os lucros vão se cruzar.

As pessoas mais velhas podem ter tendência a ver ambos os Millennials mais velhos e mais novos como preguiçosos ou desmotivados, quando na verdade eles estão reagindo às fases da vida nas quais se encontram.

“Grande Luciano. Puxa vida! Quanto tempo que eu tenho vontae de mandar essa mensagem e só hoje, depois de alguns anos, acompanhando seu trbalho, que me encorajei pra te enviar.

Eu sou um fã de carteirinha. Meu nome é David Butros, eu sou aqui de Rio Claro, interior de São Paulo e acompanho as suas publicações, os seus textos e a sua narrativa há muito tempo. E me tornei assinante, recentemente, do Café Brasil Premium e foi um marco pra mim. Sabe por que?

Porque eu sempre consumi o seu conteúdo gratuito. E eu não tenho no meu dia a dia tempo suficiente pra consumir tudo que você já publicou pra todos nós e ainda falta muito pra eu assistir daquilo que gratuitamente eu poderia ter. Hoje, eu acabei de ouvir o episódio de Verdi, aquela ópera Va pensiero. Uma coisa linda, não lembro o nome, não lembro nem o número do episódio, mas uma coisa maravilhosa que você publicou. Ontem eu ouvi o episódio número 1, da sua trajetória e realmente, é algo que me faz emocionar, que me faz querer e pensar em ser uma pessoa melhor e produzir coisas melhores, não só pra mim,  mas pra minha família e as pessoas que estão ao meu redor.

Estou mandando essa mensagem pra te agradecer. Por muitto tempo eu relutei pra ser assinante e refletia: caramba, se eu gosto tanto, por que eu não assino? E aí eu fui entender. Primeiro, porque tem muito conteúdo gratuito. Isso me fazia relutar em pagar o conteúdo pago. Mas segundo e principal porque eu sou um pão duro de natureza. E puxa, me fez muito bem hoje poder participar de forma plena do seu projeto e muito mais do que participar, poder te ajudar, mesmo que seja pra produzir mais conteúdos gratuitos que cheguem ao alcance cada vez maior.

Use o valor que eu envio… eu não assinei o plano mais barato não. Assinei o mais caro, aqui, não sei nem quanto que é, quase cinquenta reais por mês, mas que é um valor ínfimo daquilo que você produz pra todos nós. Tá bom?

Um forte abraço, vida longa ao seu Café”.

Valeu, Davi, seja muito bem-vindo ao Café Brasil Premium! Meu caro, olha! Acho que a quantidade de ouvintes que pensam como você pensava, é muito gande. Eu calculo que menos de 1% dos nossos ouvintes se tornaram assinantes, talvez achando isso mesmo: como tem conteúdo gratuito, pra que pagar? Quem dera mais ouvinte se inspirassem na sua iniciativa,  entendendo que assinando, contribuem para que este projeto continue com força. Muito, mas muito obrigado, meu caro.

Muito bem. O Davi receberá um KIT DKT, com alguns dos principais produtos PRUDENCE, como géis lubrificantes e preservativos masculinos. Basta enviar seu endereço para contato@lucianopires.com.br

A DKT distribui a maior linha de preservativos do mercado, com a marca Prudence, além de outros produtos como os anticonceptivos intrauterinos Andalan, géis lubrificantes, estimuladores, coletor menstrual descartável e lenços umedecidos. Mas o que realmente marca na DKT é sua causa de reverter grande parte de seus lucros para projetos nas regiões mais carentes do planeta. A DKT trabalha para evitar gravidez indesejada, infecções sexualmente transmissíveis e a AIDS. Ao comprar um produto Prudence, Sutra ou Andalan você está ajudando nessa missão!

facebook.com/dktbrasil.

Vamos lá então!

Luciano – Lalá, como é que você contribui para o nosso projeto?

Lalá -Pô, pedindo pro povo: usem Prudence! Usem Prudence! Na hora do amor, usem Prudence!

Garota nacional
Samuel Rosa
Chico Amaral

Aqui nesse mundinho fechado ela é incrível
Com seu vestidinho preto indefectível
Eu detesto o jeito dela, mas pensando bem
Ela fecha com meus sonhos como ninguém

Oooh!
Beat it laun, daun daun!
Beat it, loom, dap’n daun
Beat it laun, baun baun!

Beat it laun, daun daun!
Beat it, loom, dap’n daun
Beat it laun, baun baun!

Conhece-te a ti mesmo e eu me conheço bem
Sou um qualquer vulgar, bem, às vezes me esqueço
E finjo que não finjo ao ignorar, eu sei
Que ela me domina no primeiro olhar

Eu quero te provar
Sem medo e sem amor
Uooh!
Quero te provar
Por quê?

Porque ela derrama um banquete, um palacete
Um anjo de vestido, uma libido do cacete
Ela é tão, tão vistosa, que talvez seja mentira
Quem dera minha cara fosse de sucupira

Conhece-te a ti mesmo e eu me conheço bem
Sou um qualquer vulgar, bem, às vezes me esqueço
E finjo que não finjo ao ignorar, eu sei
Que ela me domina no primeiro olhar

Aqui nesse mundinho fechado ela é incrível
Com seu vestidinho preto indefectível
Eu detesto o jeito dela, mas pensando bem
Ela fecha com meus sonhos como ninguém

Aeeeee…. Skank com Garota nacional, trilha sonora da vida dos Millennials mais velhos… mas que eu também curti de montão, viu?

Lalá, vamos homenagear os Millennials mais velhos com outro petardo?

Na boquinha da garrafa
Willys
Eleonor Sacramento

No samba ela me disse que rala
No samba eu já vi ela quebrar

No samba ela gosta do rala, rala
Me trocou pela garrafa
Não agüentou e foi ralar

Vai ralando na boquinha da garrafa
É na boca da garrafa
Vai descendo na boquinha da garrafa
É na boca da garrafa

Desce mais, desce mais um pouquinho
Desce mais, desce devagarinho

Vai saindo da boquinha da garrafa
É da boca da garrafa
Vai subindo na boquinha da garrafa
É da boca da garrafa

Sobe mais, sobe mais um pouquinho
Sobe mais, sobe devagarinho

Sim, ela gosta do rala, rala e no embalo do samba
Ela só pensa em ralar
Ela gosta do rala, rala, viu a boca da garrafa
Não agüentou e foi ralar

Vai ralando na boquinha da garrafa
É na boca da garrafa
Sobe e desce na boquinha da garrafa
É na boca da garrafa

Rararararararararrara… Ai que delícia! Lalá, manda outra aí!

Pelados em Santos
Dinho

Mina, seus cabelo é da hora
Seu corpão violão
Meu docinho de coco
Tá me deixando louco

Minha Brasília amarela
Tá de portas abertas
Pra mode a gente se amar
Pelados em Santos

Pois você, minha pitchula
Me deixou legalzão
Não me sintcho sozinho
Você é meu chuchuzinho
Music is very good

(Oxente ai, ai, ai!)
Mas comigo ela não quer se casar
(Oxente ai, ai, ai!)
Na Brasília amarela com roda gaúcha
Ela não quer entrar
(Oxente ai, ai, ai!)

É feijão com jabá
A desgraçada num quer compartilhar
Mas ela é lindia
Mutcho mar do que lindia
Very, very beautiful

Você me deixa doidião
Oh, yes! Oh, no!
Meu docinho de coco
Music is very porreta

(Oxente Paraguai!)
Pos Paraguai ela não quis viajar
(Oxente Paraguai!)
Comprei um Reebok e uma calça Fiorucci
Ela não quer usar
(Oxente Paraguai!)

Eu não sei o que faço
Pra essa mulé eu conquistchar
Porque ela é lindia
Mutcho mar do que lindia
Very, very beautiful

Você me deixa doidião
Oh, yes! Oh, no!
Meu chuchuzinho
Oh, yes! No, no, no, no!
Eu te I love you!

Pera aí que tem mais
Um poquinho de u
Uuuuu

Tchê

Rarararararar…. ai que delíca. Preciso dizer quem são? São geniais…

Pois é…

Os Millennials mais velhos, aqueles que estão entre os 30 e 40 anos de idade, ainda têm filhos morando em casa e muitos não têm a capacidade de tirar férias demoradas e caras, por isso precisam tirar várias mini férias para reduzir o estresse de um ambiente profissional de alta demanda. E eles ainda não têm décadas de experiência atuando em sua área de brilho.

Eles tiveram infância parecida com a de seus pais, mas quando chegaram na adolescência e puberdade, o mundo começou a mudar também. A internet abriu um mundo completamente novo diante deles. Esses Millennials mais velhos não tiveram seus celulares até que se formaram no começo dos anos 2000.

Os Millennials mais velhos não cresceram na era da tecnologia. Gravaram seus programas favoritos em VHS, e depois começaram a ouvir músicas em pequenos tocadores de MP3, tudo isso em menos de uma década. Fizeram tudo o que os seus pais disseram que era o certo, aceitaram empregos de nível básico e esforçaram-se por tentar subir na hierarquia corporativa.

Até que chegou a “Grande Recessão” com a crise do subprime do ano de 2008, e eles tiveram seus tapetes puxados. E eles, que tinham feito certinho tudo tudo o que lhes foi dito para fazer, foram dispensados na esteira dos processos de “downsizing”. E justamente quando tiveram de começar a pagar os custos de sua formação escolar.

Aquele foi o agradecimento que os Millenials mais velhos receberam por seguir as regras. Como resultado, desenvolveram um nível de cinismo como não se viu nas gerações que os antecederam, que até perderam seus empregos também na recessão, mas só depois que já tinham uma década ou mais de estabilidade. Os Millennials mais velhos foram abatidos quando decolavam.

E se enamoram por Mark Zuckerberg e outros ícones das startups, que tiveram carreiras muito diferentes daquilo que seus pais disseram que era o certo.

E aí vem os Millennials mais jovens…

As quatro estações
Sandy
Álvaro Socci

A noite cai, o frio desce
Mas aqui dentro predomina
Esse amor que me aquece
Protege da solidão

A noite cai, a chuva traz
O medo e a aflição
Mas é o amor que está aqui dentro
Que acalma meu coração

Passa o inverno, chega o verão
O calor aquece minha emoção
Não pelo clima da estação
Mas pelo fogo dessa paixão

Na primavera, calmaria
Tranquilidade, uma quimera
Queria sempre essa alegria
Viver sonhando, quem me dera

Outono é sempre igual
As folhas caem no quintal
Só não cai o meu amor
Pois não tem jeito, é imortal

Outono é sempre igual
As folhas caem no quintal
Só não cai o meu amor
Pois não tem jeito não
É imortal.

Claro.. Sandy e Junior com As quatro estações.

Os Millennials mais jovens não experimentaram as mudanças da mesma forma que os mais velhos. Eles cresceram com telefones celulares e iPods. Quando chegaram na adolescência, os smartphones eram a grande novidade. Os Millennials mais novos nunca tiveram de ir à uma biblioteca para pesquisar, tinham a internet na ponta dos dedos. Nunca ficaram em casa sentados ao lado do telefone esperando a paquera ligar. Mergulhavam em suas atividades sabendo que uma mensagem de texto chegaria a qualquer momento. E esse tipo de resposta instantânea e alta conectividade redefiniu sua percepção de tempo. Dois minutos de comerciais na TV parecem uma eternidade para eles, esperar cinco minutos parecem horas. E essa expectativa pelas conexões instantâneas foi levada para o ambiente profissional.

Quando eles começaram a trabalhar, tinham blackberries ou e-mails que podiam baixar pelo telefone. Havia a expectativa de que estariam disponíveis para responder imediatamente. Tudo em seus mundos profissional e pessoal passou a acontecer em tempo real. É natural, então que, quando colocamos as coisas no contexto de como eles cresceram e o que se espera deles, tudo faça sentido. O relógio interno deles é mais rápido que o nosso. Quando damos a eles feedbacks que se encaixem nessa estrutura, seja o feedback positivo ou negativo, conseguimos mantê-los motivados e trabalhando duro.

All the small things
TravisBarker
Mark Hoppus
Tom DeLonge

All the small things
True care, truth brings
I’ll take one lift
Your ride best trip
Always, I know
You’ll be at my show
Watching, waiting, commiserating

Say it aint so, I will not go
Turn the lights off, carry me home
Na, na, na, na
Na, na, na, na, na, na

Late night, come home
Work sucks, I know
She left me roses by the stairs
Surprises let me know she cares

Say it aint so, I will not go
Turn the lights off, carry me home
Na, na, na, na
Na, na, na, na, na, na

Say it aint so, I will not go
Turn the lights off, carry me home
Keep your head still, I’ll be your thrill
The night will go on, my little windmill

Say it aint so, I will not go
(Na, na, na, na, na, na)
Turn the lights off, carry me home
(Na, na, na, na, na, na)
Keep your head still, I’ll be your thrill
(Na, na, na, na, na, na)
The night will go on, the night will go on
(Na, na, na, na, na, na)
My little windmill

Todas as coisas pequenas

Todas as coisas pequenas
Cuidado verdadeiro, a verdade traz
Eu pegarei uma carona
Seu passeio, melhor classe
Sempre, eu sei
Você estará no meu show
Assistindo, esperando, sentindo pena

Diga que não é, eu não irei
Desligue as luzes, carregue-me pra casa
Na, na, na, na, na
Na, na, na, na, na

Tarde da noite, venha pra casa
Trabalho é um saco, eu sei
Ela me deixou rosas nas escadas
Surpresas me mostram que ela se importa

Diga que não é verdade, eu não irei
Apague as luzes, me leve pra casa
Na, na, na, na
Na, na, na, na, na, na

Diga que não é verdade, eu não irei
Apague as luzes, me leve pra casa
Mantenha sua cabeça erguida, serei seu suspense
A noite continua, meu pequeno moinho de vento

Diga que não é verdade, eu não irei
(Na, na, na, na, na, na)
Apague as luzes, me leve pra casa
(Na, na, na, na, na, na)
Mantenha sua cabeça no lugar, serei seu suspense
(Na, na, na, na, na, na)
A noite continua, a noite continua
(Na, na, na, na, na, na)
Meu pequeno moinho de vento

Olha aí, ó! Essa é All the small things com os garotos do Blink 182 (one eighty two)

Me lembro de um texto que escrevi lá no final dos anos 90, fazendo uma comparação de processos…

Durante os anos 80 a gente escrevia um memorando e passava para a secretária datilografar. Ela nos devolvia o trabalho para ser revisado. Corrigíamos e ela fazia as correções. Trazia pra gente assinar, colocava num envelope e deixava na caixa de saída. Em algum momento o office boy passaria para recolher, colocaria no malote e mandaria para a sede da empresa em Porto Alegre. Quando o malote chegasse, o memorando seria colocado na caixa de entrada de outra secretária, que o entregaria para o chefe. Ele leria, e o processo se repetiria. Uma troca de correspondência rápida levava de 4 a 6 dias. Esse era o normal.

Dava tempo de se arrepender e brecar o memorando antes do outro ler. Dava tempo de se arrepender e bloquear o memorando antes do outro ler, cara!

Hoje é por e-mail, respondido em segundos e com cópia para todo mundo. Ou é um Whatsapp, que é ainda mais rápido. Ou ainda um Google Docs ou outro sistema de gestão de processos, que é em tempo real, cara!

Dá pra imaginar a consequência dessa mudança em nossa percepção de tempo?

Wannabe
Matt Rowe
Richard Stannard
Spice Girls

Hahaha
Yo, I’ll say you what I want, what I really really want
So tell me what you want, what you really really want
I’ll tell you what I want, what I really really want
So tell me what you want, what you really really want
I wanna, I wanna, I wanna, I wanna
I wanna really really really wanna zig-a-zig ah

If you want my future, forget my past
If you wanna get with me, better make it fast
Now don’t go wasting my precious time
Get your act together, we could be just fine

I’ll tell you what I want, what I really really want
So tell me what you want, what you really really want
I wanna, I wanna, I wanna, I wanna
I wanna really really really wanna zig-a-zig ah

If you wanna be my lover
You gotta get with my friends
(Gotta get with my friends)
Make it last forever
Friendship never ends
If you wanna be my lover
You have got to give
Taking is too easy, but that’s the way it is

What do you think about that?
Now you know how I feel
Say you can handle my love
Are you for real? (Are you for real?)
I won’t be hasty, I’ll give you a try
If you really bug me, then I’ll say goodbye

Yo, I’ll tell you what I want, what I really really want
So tell me what you want, what you really really want
I wanna, I wanna, I wanna, I wanna
I wanna really really really wanna zig-a-zig ah

If you wanna be my lover
You gotta get with my friends
(Gotta get with my friends)
Make it last forever
Friendship never ends
If you wanna be my lover
You have got to give (you’ve got to give)
Taking is too easy, but that’s the way it is

So here’s a story from A to Z
You wanna get with me, you gotta listen carefully
We got Em in the place who likes it in your face
We got G like MC who likes it on an-
Easy V doesn’t come for free
She’s a real lady
And as for me, haha, you’ll see

Slam your body down and wind it all around
Slam your body down and wind it all around

If you wanna be my lover
You gotta get with my friends
(Gotta get with my friends)
Make it last forever
Friendship never ends
If you wanna be my lover
You have got to give (you’ve got to give)
Taking is too easy, but that’s the way it is

If you wanna be my lover
You gotta, you gotta, you gotta, you gotta
You gotta slam, slam, slam, slam

Slam your body down and wind it all around
Slam your body down and wind it all around

Slam your body down and wind it all around
Slam your body down and zig-a-zig ah

If you wanna be my lover

Quer ser

Hahaha
Ei, vou te dizer o quê eu quero, o que realmente quero
Então me diz o quê você quer, o que realmente quer
Eu vou te dizer o que eu quero, o que eu realmente quero
Então me diz o quê você quer, o que realmente quer
Eu quero, eu quero, eu quero, eu quero
Eu quero realmente realmente zig-a-zig ah

Se quiser um futuro comigo, esqueça meu passado
Se quiser ficar comigo, é melhor ser rápido
Agora não venha fazer eu perder meu tempo
Recomponha-se, a gente pode ficar de bem

Vou te dizer o quê eu quero, o que realmente quero
Então me diz o quê você quer, o que realmente quer
Eu quero, eu quero, eu quero, eu quero
Eu quero realmente realmente zig-a-zig ah

Se você quer ser meu amante
Terá que se dar bem com minhas amigas
(Se dar bem com minhas amigas)
Fazer durar para sempre
A amizade nunca acaba
Se você quer ser meu amante
Você tem que se doar
Tomar isso é fácil, mas é assim que funciona

O quê você acha disso?
Agora sabe como eu me sinto
Diz que pode aguentar meu amor
É sério isso? (É sério isso?)
Não vou ser chata, vou te dar uma chance
Se você me incomodar, então vou dizer “adeus”

Ei, vou te dizer o quê eu quero, o que realmente quero
Então me diz o quê você quer, o que realmente quer
Eu quero, eu quero, eu quero, eu quero
Eu quero realmente realmente zig-a-zig ah

Se quiser ficar comigo
Terá que se dar bem com minhas amigas
(Se dar bem com minhas amigas)
Fazer durar para sempre
A amizade nunca acaba
Se quiser ficar comigo
Você tem que se doar (tem que se doar)
Tomar isso é fácil, mas é assim que funciona

Então aqui vai uma história de A à Z
Quer ficar comigo, então ouça com atenção
Nós temos a Emma que gosta de tudo às claras
Temos a Geri e a Mel C que gostam de
E a Victoria não entra de graça
Ela é uma dama de verdade
E quanto a mim, haha, você verá

Desça até o chão e dê um giro
Desça até o chão e dê um giro

Se quiser ficar comigo
Terá que se dar bem com minhas amigas
(Se dar bem com minhas amigas)
Fazer durar para sempre
A amizade nunca acaba
Se quiser ficar comigo
Você tem que se doar (tem que se doar)
Tomar isso é fácil, mas é assim que funciona

Se quiser ficar comigo
Você tem, você tem, você tem, você tem
Você tem que se jogar, jogar, jogar

Desça até o chão e dê um giro
Desça até o chão e dê um giro

Desça até o chão e dê um giro
Desça até o chão e zig-a-zig ah

Se quiser ficar comigo

Pois é, cara, é com as Spice Girls e Wannabe

que eu lembro que os Millennials mais novos também não foram forçados para fora do mercado de trabalho como os mais velhos. A maioria ainda estava estudando quando a crise chegou, então tiveram tempo de se ajustar às novas regras do mundo profissional. Mas se eles não experimentaram a falta de lealdade no mundo corporativo, eles a observaram. E de perto. Muitos viram seus pais impactados pela recessão, viram de perto o estresse, a preocupação e a diminuição da segurança financeira. As poupanças foram esgotadas e tudo isso foi visto como uma situação de luta pela sobrevivência, o que abriu seus olhos para a ideia de que precisariam se desconectar das velhas regras e inovar, se quisessem sobreviver. Aquele emprego de 30 anos com aposentadoria deixou de ser a ambição. Agora era necessário buscar segurança independente da empresa. Eles não precisavam daquele trabalho para assegurar o seu futuro.

Em outras palavras, nós mostramos a eles que eles não podem depender de nós para protege-los. Nós inadvertidamente os inspiramos a abrir seus próprios caminhos no mundo profissional. Quando recuamos no tempo e nos apercebemos do seu passado, é absolutamente compreensível porquê não confiam na “autoridade”.

Vamos la então ao Itaú Cultural com seus três podcasts… você não ouviu ainda, cara?  Tem que ouvir! É uma delícia! Para quem se interessa por música, literatura e questões indígenas.

No podcast Escritores-Leitores, autores brasileiros falam de seu processo criativo. No podcas Toca Brasil, artistas, produtores e pesquisadores do universo musical falam de seu trabalho. E no podcast Mekukradjá escritores, cineastas e lideranças de povos indígenas de várias regiões do Brasil tratam das questões indígenas. Vai ouvir, cara! É imperdível!

Acesse itaucultural.org.br. Agora você tem cultura entrando por aqui, ó:

Pelos olhos e pelos ouvidos…

Ilariê
Cid Guerreiro

Tá na hora, tá na hora
Tá na hora de brincar
Pula, pula, bole, bole
Se embolando sem parar

Dá um pulo e vai pra frente
De peixinho, vai pra trás
Quem quiser brincar com a gente
Pode vir, nunca é demais

Ilarilarilariê (ô, ô, ô)
Ilarilarilariê (ô, ô, ô)
Ilarilarilariê (ô, ô, ô)
É a turma da Xuxa que vai dando o seu alô

Rararararraa…. batendo os pezinhos aí, é cara? Quem nunca….

Muito bem. O primeiro passo então é reconhecer que a velha maneira de pensar sobre os Millennials é totalmente incorreta. Nós os criamos para que valorizassem coisas diferentes. Nós os criamos para que não queiram ou precisem de coisas que nossas gerações quiseram ou precisaram. Também os ensinamos a se preocuparem com coisas com as quais não nos preocupamos quando tínhamos a idade deles.

Fomos nós que criamos a mentalidade ecológica dos Millennials.

Muitos Millennials não acreditam que o excesso de exigências no trabalho vale o sacrifício de suas vidas pessoais. A maioria anseia por fazer parte de uma equipe forte e um ambiente de trabalho estável. Eles querem fazer um trabalho interessante, em qualquer parte do mundo. Estes fatores são importantes para sua felicidade no local de trabalho, mais ainda do que para seus colegas de trabalho não Millennials.

Os Millennials procuram o crescimento e desenvolvimento pessoal. Por isso é crucial que os líderes empresariais façam o movimento certo para atrair os melhores talentos Millennials. Eles querem fazer parte de uma organização que lhes permita ampliar sua capacidade profissional e pessoal.

Millennials são incrivelmente preocupados com sentimentos. Eles precisam sentir que são apreciados, e precisamos agir de forma a causar impacto emocional e intelectual neles.

Millennials estão muito mais interessados em viver experiências do que em coisas materiais. Não medem seu valor em termos de casas, carros, conta no banco… aquelas coisas que nós, os mais velhos, tanto valorizamos. Eles escolhem um apartamento pequeno, assim sobra mais dinheiro para viajar. Trocam o carro da hora por um mês sabático. Millennials são mais qualitativos que quantitativos.

Olha, eu confesso que comecei a leitura  do livro com muitos preconceitos e conforme fui lendo percebi que realmente muito do que eu critico nessa moçada, fui eu que provoquei neles. Se não diretamente, indiretamente ao fazer parte do mesmo sistema que os criou e impactou. Vivo permanentemente em conflito com Millennials, exatamente pela diferença de expectativas e de cultura. Jamais vou me conformar com uma certa superficialidade que garotos e garotas espertas em posição de poder exibem com desenvoltura, mas sabe já concluí que isso não tem a ver só com a geração à qual eles pertencem não.

O fator primordial para mim é a educação. O berço. Valores que são passados de geração para geração dentro das famílias, e que têm perdido sistematicamente a importância por conta da substituição do senso de autoridade, do respeito aos mais velhos e das tradições, por modismos que ocupam todos os espaços da mídia.

Mas isso deve ser porque sou um conservador e estou aqui destilando meu reacionarismo.

Olha! Nada disso, no entanto, tira a importância das sugestões do autor para a construção de um ambiente positivo e harmônico que tire o melhor da geração Millennial.

Cara, todo mundo só tem a ganhar!

He-man
Michael Sullivan
Paulo Massadas

No mundo de Etérnia bem distante daqui
Na luta pela paz um guardião vai surgir
A força e a coragem, ele nasceu para o bem
Os músculos de aço, nosso herói é He-Man

Aponta para o céu a sua espada a brilhar
E entre raios e trovões um campeão nascerá
Pacato, o seu tigre, vira o Gato Guerreiro
Na luta da justiça se entregar por inteiro

Eu tenho a força
Sou invencível
Vamos, amigos
Unidos venceremos a Semente do Mal

Pelos poderes de Grayskull

Mandíbula, Maligna e as forças do mal
O plano do Esqueleto poderá ser fatal
Segredos do castelo ele quer conseguir
Planeja mil trapaças, nunca vai desistir

Zoar, Mentor e Teela são as forças do bem
Amigos da verdade, eles não temem ninguém
O Gorpo gira, gira, pro feitiço quebrar
He-Man com sua espada faz a guerra acabar

Eu tenho a força
Sou invencível
Vamos, amigos
Unidos venceremos a Semente do Mal

Muito bem, é ao som do Trem da Alegria com He-Man, que vamos saindo inspirados….

Olha, o Podsumário sobre Millenials tem mais de 30 páginas, a versão em áudio têm cerca de uma hora e está disponível exclusivamente para os assinantes do Café Brasil Premium. Você se interessou, é? Vá lá: confraria.cafe e escolha o plano PREMIUM. Tem mais 36 podsumários lá, é conteúdo pra cair os butiá do bolso…

O Café Brasil é produzido por quatro pessoas. Eu, Luciano Pires, na direção e apresentação, Lalá Moreira na técnica, Ciça Camargo na produção e, é claro, você aí, completando o ciclo.

Olha! Não foi fácil montar a trilha sonora desse programa aqui não, porque tanto eu quanto o Lalá e a Ciça, já passamos do ponto! Então, a gente precisou recorrer a uma MIllenial, a Bárbara Stock, que nos ajudou na missão.

O conteúdo do Café Brasil pode chegar ao vivo em sua empresa através de minhas palestras. Acesse lucianopires.com.br e vamos com um cafezinho ao vivo.

De onde veio este programa aqui tem muito mais e você pode agora fazer parte do time, vem pra cá! Acesse o link confraria.cafe. De novo confraria.cafe. Conheça os planos pra se tornar um assinante e contribuir ativamente para que conteúdos como este que você acaba de receber, cheguem semanalmente pra mais e mais gente. Tem um plano lá, que custa R$12,00 por mês. Doze reais, cara. É o preço de uma barrinha de chocolate, um saco de amendoim, uma cerveja em lata. Todo mês esse dinheiro vai fazer com que você nos ajude a continuar crescendo e trazendo a nossa voz, fazendo com que ela seja ouvida, continuando a trabalhar pela liberdade, pela independência. De novo, cara: vem pra cá. confraria.cafe.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96429 4746. E também estamos no Telegram, com o grupo Café Brasil.

Para terminar, uma frase do Marquês de Maricá:

Condenamos por ignorantes as gerações pretéritas, e a mesma sentença nos espera nas gerações futuras.