s
Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Isca Intelectual – O paraquedas de Da Vinci
Isca Intelectual – O paraquedas de Da Vinci
Cerca de 500 anos atrás, Leonardo da Vinci teve a ideia ...

Ver mais

Isca Intelectual – Música na cabeça e no corpo
Isca Intelectual – Música na cabeça e no corpo
Na isca de hoje, você verá Anna-Maria Helefe fazendo ...

Ver mais

Isca Intelectual – O mago Steve Ray Vaughn
Isca Intelectual – O mago Steve Ray Vaughn
Quando você domina sua técnica, tem repertório e ...

Ver mais

Isca Intelectual sobre talento
Isca Intelectual sobre talento
O que tinham feito suas mãos?

Ver mais

Café Brasil 834 – A Lei de Gresham
Café Brasil 834 – A Lei de Gresham
Quando lancei meu livro Brasileiros Pocotó em 2004, e ...

Ver mais

Café Brasil 833 – Rio, beleza e caos
Café Brasil 833 – Rio, beleza e caos
Um cantinho e um violão / Este amor, uma canção Pra ...

Ver mais

Café Brasil 832 – Carta Aberta Ao Brasil – Revisitado
Café Brasil 832 – Carta Aberta Ao Brasil – Revisitado
Em 2016 viralizou uma carta aberta ao Brasil, que um ...

Ver mais

Café Brasil 831 – Nossos problemas
Café Brasil 831 – Nossos problemas
Problemas, problemas, problemas.... todo mundo tem ...

Ver mais

LíderCast 237 – Marcus Kanieski
LíderCast 237 – Marcus Kanieski
No programa de hoje temos Markus Kanieski, advogado de ...

Ver mais

LíderCast 236 – Paulo Ganime
LíderCast 236 – Paulo Ganime
No programa de hoje temos Paulo Ganime, Deputado ...

Ver mais

LíderCast 235 – Gilberto Lopes
LíderCast 235 – Gilberto Lopes
Hoje a conversa é com Gilberto Lopes, o Giba, que é CEO ...

Ver mais

LíderCast 234 – Danilo Cavalcante
LíderCast 234 – Danilo Cavalcante
Hoje o convidado é o Danilo Cavalcante, que se diz ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

A boa e velha realidade
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Frases que começam com as expressões “Então…” ou “Veja bem…” não têm como dar certo. Caso o cidadão receba resposta principiando com essas pérolas, pode esperar: Vem chumbo. Você ...

Ver mais

A visão pornográfica de mundo
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A minha família está passeando no Brasil. Eles estão aproveitando as férias escolares do nosso filho mais velho. Ontem uma menina de treze anos conversou com a Bruna, minha esposa. A menina lhe ...

Ver mais

Encontro de Cidades Criativas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Encontro de Cidades Criativas  “As cidades surgem como espaço de encontro; uma cidade é um conjunto de pessoas com oportunidades distintas.” Ana Carla Fonseca A XIV Conferência da Rede de Cidades ...

Ver mais

Nós do Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Nós do Brasil  Nossas heranças e nossas escolhas “No Brasil, o futuro de uma criança está em grande parte determinado pelas condições socioeconômicas de sua família no momento do nascimento. ...

Ver mais

Cafezinho 515 – Você nunca foi tão hipócrita
Cafezinho 515 – Você nunca foi tão hipócrita
O convívio civilizado entre interesses conflitantes é ...

Ver mais

Cafezinho 514 – Saia da Zona da Indiferença
Cafezinho 514 – Saia da Zona da Indiferença
Zona da Indiferença é uma área onde quando forçados a ...

Ver mais

Cafezinho 513 – A lei de Gresham cultural
Cafezinho 513 – A lei de Gresham cultural
Existe um princípio econômico chamado Lei de Gresham, ...

Ver mais

Cafezinho 512 – O calo do dono
Cafezinho 512 – O calo do dono
Por muito tempo nos queixamos que não tínhamos ...

Ver mais

Café Brasil 829 – Treine a mente!

Café Brasil 829 – Treine a mente!

Luciano Pires -

Sabe quem ajuda este programa chegar até você?

É a Terra Desenvolvimento Agropecuário, que é especializada em inteligência no agro.

Utilizando diversas técnicas, pesquisas, tecnologia e uma equipe realizadora, a Terra levanta todos os números de sua fazenda em tempo real e auxilia você a traçar estratégias, fazer previsões e, principalmente, agir para tornar a fazenda eficiente e mais lucrativa.

E para você que acredita no agro e está interessado em investir em um seguimento lucrativo e promissor, a Terra oferece orientação e serviços, para tornar esse empreendimento uma realidade.

terradesenvolvimento.com.br – razão para produzir, emoção para transformar.

A inteligência a serviço do agro.

Então, chega mais! Eu quero fazer uma perguntinha pra você: você quer pegar seu carro, moto ou caminhão e chegar com muito mais tranquilidade e conforto onde quiser? Então escuta essa aqui, ó:  com a Nakata você chega muito mais longe! Porque a Nakata é a marca líder em suspensão que garante a qualidade das peças do seu veículo, pra chegar sempre mais longe.

Tudo para você seguir seu caminho com mais segurança. Quer chegar sempre numa boa?

Então, não esqueça, quando chegar lá no seu mecânico de confiança para uma revisão ou quando precisar daquele reparo, pede Nakata. Seu mecânico sabe das coisas e com Nakata na mão, ele vai te ajudar a chegar ainda mais longe.

Porque só com a Nakata a gente sabe: é tudo azul pela frente.

Chega mais!

O cérebro é como um músculo, se não se exercitar, ele atrofia. E os músculos mentais não se desenvolvem sozinhos. Em vez disso, você deve treiná-los ativamente em um programa de treinamento mental estruturado e consistente. Somente fortalecendo esses músculos mentais você terá a chance de dar o seu melhor, obter os resultados desejados e alcançar seus objetivos atléticos e na vida pessoal e profissional. Vamos nessa hoje?

Bom dia, boa tarde, boa noite. Você está no Café Brasil e eu sou o Luciano Pires.

Posso entrar?

“Olá, grande Luciano Pires, Ciça, Lalá. Aqui é o Marcelo de São Paulo. Meu! Que porrada, repito, que porrada, o epísódio 827, aquele que você fala sobre a complicada arte de ver o resultado, né?

E aconteceu algo interessante, viu Luciano? Escutei o episódio um dia e no dia seguinte ainda estava meio assim anestesiado. Meu amigo, primeiro você trouxe Rubem Alves, cara, um verdadeiro poeta. Que delicadeza nas palavras, e como você mesmo colocou, muita simplicidade. Muito bom.

Segundo, peço sua licença, meu caro, direi a você que esse podcast deveria se chamar A arte de ver e não enxergar e já te explico porque, pois você trouxe um assunto muito delicado quando você aborda o tema, quando você fala dos campos de concentração de Bergen Belsen. E como você deu a dica, lá fui eu pesquisar sobre o tema.

Rapaz: tomei várias pauladas e fiquei meio que nocauteado. Já te digo que não acreditei naquilo que estava vendo. Um verdadeiro relato sobre a libertação. Está tudo lá, viu? Os cadáveres empilhados por toda parte. O que mais me espantou foram as valas comuns, com lápides indicando a quantidade de pessoas mortas. Mil, duas mil, cinco mil pessoas feitas de carne e osso enterradas sem nenhum tipo de dignidade.

Meu amigo! Que imagens perturbadoras, viu Luciano? Depois disso fiquei meio pensativo, né? Como pessoas podem fazer e cometer tantas atrocidades? Esse é o fato que eu chamo de ver e não enxergar.

Não enxergar as mais de cinquenta mil pessoas mortas entre homens, mulheres e crianças. Ver e não enxergar as milhares de famílias que foram dizimadas. Ver e não enxergar os pais, as mães, os avós, os tios e as tias que não conseguiram se despedir de seus entes queridos. Ver e não enxergar é o que não podemos esquecer. Que infelizmente, um dia, isso aconteceu. Ver e não enxergar que temos que ficar aqui, que num mundo melhor pra nossos filhos e acreditar que esse sofrimento não volte a acontecer nunca mais em uma nação civilizada. Ver e não enxergar o fim das guerras, que somente causam dor, discórdias, desunião e sofrimento.

É isso aí, Luciano. Deixo aqui um pouco meu lado poético eespero que possamos sonhar ou até mesmo ter um mundo bem diferente desse que temos hoje. Vida longa ao Café Brasil e obrigado por nos fazer refletir. Um grande abraço, fica com Deus e até, amigo. Um abração. Tchau, tchau!”

Grande Marcelo, você fez a tarefa de casa, viu? Ouviu o programa, mordeu a isca e foi procurar mais por sua conta. E trombou com a realidade absurda da tragédia da segunda guerra. É assim que se faz, meu caro. Recebeu o estímulo, aceitou o desafio e foi procurar mais. Daí ganhou uma reflexão ótima, reforçou suas convicções e pronto. Sabe o que é isso, hein? É fitness intelectual na veia. Grande abraço!

Quando criei o conceito de “fitness intelectual”, eu tinha em mente que o cérebro é como um músculo, sem exercícios ele atrofia. E que poderíamos usar para exercitar a mente o mesmo princípio que usamos para os músculos do corpo.

Mas não temos o hábito de dedicar um tempo para o treino do cérebro, como fazemos com nossas caminhadas, corridas, academias, jogos, escaladas e outras formas de manter o corpo em forma. Nossas tentativas de fazer treinamento mental são tipicamente dispersas, inconsistentes e principalmente desconectadas de outros aspectos do desenvolvimento físico. Comparado com seus equivalentes físicos e técnicos, damos ao treinamento mental um status de segunda classe. No esporte também é assim. Todos os programas esportivos sérios de todos os esportes, têm treinadores técnicos e de condicionamento em tempo integral. Mas poucos têm programas de treinamento mental e menos ainda têm treinadores mentais na equipe. Além disso, quando o treinamento mental é oferecido, sua presença é muito diferente do condicionamento físico e dos regimes técnicos dos quais os atletas se beneficiam.

São cinco os elementos que se destacam no treinamento físico, e que deveriam ser considerados para o treinamento mental. Vamos a eles, hein?

Lalá, dá uma subida aí nesse Thunderstruck do ACDC com B&B Project…

Abrangência: Os programas de treinamento físico e esportivo não abordam apenas algumas áreas que afetam o desempenho atlético. Eles são abrangentes em design, destinados a garantir que todos os contribuintes para o sucesso atlético sejam abordados e desenvolvidos ao máximo. Por exemplo, os programas de condicionamento incluem força, agilidade, resistência e flexibilidade. As progressões técnicas incluem postura, equilíbrio, posição da parte superior do corpo e muito mais. Abrangência.

Estruturação: Quando você se exercita, não entra na academia e faz exercícios aleatórios de força ou de  agilidade. Em vez disso, você se envolve em exercícios organizados com base em um programa estruturado que os treinadores acreditam que resultará em uma preparação física ideal para o atletismo. Da mesma forma, quando você vai em seu ambiente de treinamento (seja um campo, no curso, uma quadra, colina, pista, onde quer que seja), você não apenas brinca e espera melhorar. Em vez disso, você segue uma progressão técnica com base no seu nível de desenvolvimento. Os componentes físicos e técnicos do desenvolvimento atlético têm um programa organizado composto por uma estrutura e um processo que o orienta sistematicamente em direção aos seus objetivos .

Consistência: Você não ficaria mais em forma se malhasse de vez em quando, sem uma periodicidade definida. E você não melhoraria no seu esporte se treinasse apenas uma vez por mês. O que permite que você fique mais forte e tenha um desempenho melhor é que você se envolve em treinamento físico e técnico de forma consistente. Dia após dia, semana após semana, mês após mês, você regularmente dedica tempo e esforço ao condicionamento e ao trabalho técnico. O que faz você ficar em forma não é ir à academia, mas é ir sempre à academia.

Periodicidade: atletas não fazem o mesmo condicionamento físico e treinamento esportivo o ano inteiro. Em vez disso, eles se concentram em áreas específicas em diferentes momentos do período de entressafra e da temporada competitiva. Por exemplo, têm maior volume e intensidade no início do programa de condicionamento e diminuem à medida que se aproximam da temporada competitiva. Além disso, eles se concentram na técnica durante o treinamento esportivo fora da temporada e, em seguida, passam para a tática e, em seguida, para a preparação competitiva à medida que a temporada competitiva se aproxima.

Personalização: Embora todos os atletas precisem fazer as mesmas coisas básicas em seu desenvolvimento – o condicionamento, a técnica e a tática – esses programas precisam ser personalizados para atender às suas necessidades, objetivos e estágio de desenvolvimento específicos. Seus treinadores fazem com que eles se concentrem na força da parte inferior do corpo, se essa for uma área em que eles precisam melhorar seu condicionamento. Ou eles enfatizam algo técnico se essa for uma área em que o atleta precisa trabalhar.

Vamos lá, então?

Abrangência, estruturação, consistência, periodicidade e personalização, sacou? Usando esses cinco critérios – um programa abrangente, estruturado, consistente, periodizado e personalizado – os atletas vão para a Olimpiada ou ganham a Copa do Mundo.

Vem cá: você faz isso com sua mente também, hein?

https://www.youtube.com/watch?v=Hk6BqvVucJM

À medida que os limites de condicionamento físico, técnica e equipamentos forem atingidos, será natural e necessário alavancar tudo o que o treinamento mental tem a oferecer para os atletas. Só então o treinamento mental, finalmente, será parceiro igual ao condicionamento físico e ao treinamento técnico, à medida que os atletas se esforçam para aproveitar todas as oportunidades para alcançar o sucesso na busca de seus objetivos.

Agora, vamos trazer agora para o nosso universo profissional, hein? Chega de falar de atletas, né? Vamos falar de nós aqui, os gordinhos.

Olha aqui: é claro que manter-se em forma física ajuda na disposição diária, na agilidade de tomada de decisão e em focar nos seus objetivos. Mas e a forma mental, hein?

Se antigamente tínhamos a hegemonia do conhecimento, que estava restrito a quem a ele tinha acesso, com a internet, tudo está acessível para todo mundo. Deter o conhecimento não é mais o diferencial competitivo. Ter acesso às informações, estudar, passam a ser como os equipamentos e técnicas para o treinamento físico: todo mundo pode ter acesso. O que faz a diferença é a forma como a gente usa esses equipamentos.

O que faz a diferença é abrangência, estruturação, consistência, periodicidade e personalização, sacou?

Você deve pensar em sua mente como composta por ‘músculos mentais’, da mesma forma que você pensa em seu corpo e seus músculos físicos. E você tem certos músculos mentais que também são absolutamente críticos para dar o seu melhor. Tomando essa analogia como o próximo passo natural, você precisa fortalecer ativamente seus músculos mentais para garantir que eles sejam fortes o suficiente para lidar com as demandas do seu dia a dia.

Vamos às cinco cadeias de músculos mentais que são a base para impactar seu desempenho pessoal e profissional.

Primeiro a cadeia da Motivação. Ela é a base de tudo que você faz na vida. Motivação não é o quão comprometido você diz que está, mas é se você está realmente fazendo o que é necessário para atingir seus objetivos. Sem isso cara, nada mais importa, porque é a motivação que faz você acordar de manhã, para treinar e treinar, e que lhe mantém em movimento quando as coisas ficam difíceis. A motivação é tão importante porque afeta tudo o que influencia sua vida: condicionamento físico, treinamento técnico e tático, preparação mental e estilo de vida geral, incluindo sono, dieta, escola ou trabalho e até relacionamentos.

Existem algumas estratégias que você pode empregar para ajudar sua motivação a curto prazo, por exemplo, definir e lembrar-se de seus objetivos de curto, médio e longo prazo, o tempo todo. Ter um parceiro de treino intelectual, ouvir música motivadora e garantir que seus estudos sejam divertidos. A motivação de longo prazo deve vir de dentro de você. Você deve ter um bom motivo para manter-se em movimento quando estiver cansado, com dor, entediado ou lutando. Seu objetivo é estar motivado para fazer o que for necessário para atingir seus objetivos.

A outra cadeia de músculos mentais é a da confiança. Ela é o fator mental mais importante quando se trata do desempenho. Confiança é o quanto você acredita em sua capacidade de dar o seu melhor e alcançar seus objetivos competitivos e de longo prazo. A confiança é de fundamental importância porque você pode ter a capacidade física, técnica e tática para ter um bom desempenho, mas se não acreditar que tem essa capacidade, então não terá um bom desempenho.

A confiança é desenvolvida a partir de várias fontes, incluindo estar preparado ao máximo, ter uma ‘caixa de ferramentas’ mental para que você possa corrigir os problemas quando eles surgirem, estudar, treinar e responder positivamente às inevitáveis adversidades que você vai enfrentar no dia a dia, mantendo-se positivo quando as coisas não estão indo bem. Seu objetivo é desenvolver uma confiança profunda e resiliente que vai permitir que você permaneça positivo mesmo quando não estiver tendo um bom desempenho. Assim você vai se encorajar a assumir os riscos necessários para se esforçar ainda mais. E ganhar!

Então vem a cadeia de músculos mentais da intensidade. Quando você está prestes a começar uma prática ou desempenho competitivo, a intensidade se torna um dos fatores mais importantes para o sucesso. A intensidade é o nível de atividade fisiológica que você sente em seu corpo, incluindo frequência cardíaca, respiração, fluxo sanguíneo e adrenalina. A intensidade está em um continuum que varia do sono (muito relaxado) ao terror (muito ansioso). Em algum lugar entre esses dois extremos está o nível de intensidade em que você é capaz de dar o seu melhor.

O desafio da intensidade é que não existe uma intensidade ideal para todos mundo. Dependendo da sua constituição física e psicológica, você pode realizar seu bem-estar muito relaxado, moderadamente intenso ou super empolgado. Seu objetivo é identificar e atingir ativamente sua intensidade ideal antes de cada momento da entrega.

Chega então a cadeia de músculos mentais do foco. Quando você começa a performar, o foco se torna outra influência essencial sobre o seu desempenho. O foco envolve prestar atenção às coisas que vão ajudar você a ter o melhor desempenho (por exemplo, a técnica, a tática, o esforço) e evitar distrações que interfiram no seu bom desempenho (por exemplo, resultados, competidores ou concorrentes, outras tarefas futuras). Sua capacidade de manter o foco do início ao fim vai determinar  o seu desempenho e se você será capaz de permanecer consistente do início ao fim.

Outro componente-chave do foco envolve entender seu estilo de foco antes da hora da performance. Um estilo de foco é uma preferência por prestar atenção ao ambiente, por exemplo. Os atletas, por exemplo, tendem a se sentir mais confortáveis focando em algumas dicas e evitam ou não prestam atenção a outras. Atletas com um estilo de foco interno apresentam melhor desempenho quando estão totalmente e consistentemente focados com sua preparação antes do treino ou competição. Eles precisam manter o foco estreito, pensando apenas no que precisam fazer para se prepararem para dar o melhor de si.

Olha: não tem aqui como não se lembrar daquele momento do pênalti, final do campeonato, decisão em pênalti, o atleta tá pronto pra bater o pênalti, quarenta, cinquenta mil pessoas gritando em volta, onde é que a cabeça dele está, cara? Se a cabeça estiver na torcida ele já dançou. Ele tem que estar absolutamente focado no que é que ele vai fazer com a bola.

E aí vem a cadeia de músculos mentais da mentalidade. O que acontece com a sua mente imediatamente antes do momento da performance é o que prepara o cenário para você realizar o seu melhor de forma consistente.

Olha: me lembro de quando fiz meu treinamento para a trilha do Everest, subindo o Pico de Agulhas Negras em Itatiaia. Houve um momento em que eu tinha de saltar de uma pedra para outra. Tinha um vão gigantesco no meio. Eu fiquei parado, focado no salto, e o guia me esperando do outro lado. Mas eu não estava focado no salto, eu estava é com medo de despencar lá do alto. Mesmo assim, eu saltei, e se o guia não me segura, eu teria me esborrachado lá embaixo. Me lembro da dura que o guia me deu sobre eu não estar focado no salto. O que se passou na minha mente nos segundos anteriores ao salto, determinou se eu seria bem sucedido ou não.

Muitas vezes, uma mentalidade agressiva é necessária para passar de boas performances pra grandes performances para quem não é naturalmente agressivo nem atua de forma hesitante ou cautelosa. Envolve focar em atacar em ‘trazer’ pra si e ficar realmente excitado mentalmente.

Uma mentalidade calma é normalmente melhor para quem fica nervoso antes de performar. Ao longo de seus preparativos e logo antes de começar, seu objetivo principal é acalmar a mente, permitindo que ela deixe de lado a dúvida e a preocupação e seu corpo libere os nervos e a tensão.

Uma mente clara envolve basicamente não ter nada acontecendo em sua mente antes da performance. Eu, por exemplo, jamais atendo ligações telefônicas antes de entrar no palco para uma palestra. E agora cara, nem mesmo leio mensagens. Foco total na performance.

Mente clara é mais adequada para quem é intuitivo – que não precisa pensar em dar o seu melhor. É mais adequada para quem tem espírito livre – que segue o fluxo em sua abordagem ao desempenho – e para quem é experiente – os que têm muita confiança em sua capacidade de dar o melhor de si. A mente clara faz milagres.

Vamos lá, então?

Mentalidade agressiva, calma ou clara. Seu objetivo é identificar qual mentalidade funciona melhor para você e usá-la de forma consistente no seu dia a dia. O resultado será que, quando você estiver prestes a começar sua performance mais importante, essa mentalidade vai se encaixar e permitirá que você dê o seu melhor.

Motivação, confiança, intensidade, foco e mentalidade.

Olha: foi exatamente para isso que eu criei o Café Brasil Premium. Lá você encontra centenas de conteúdos especialmente escolhidos e preparados para realizar o treinamento mental que lhe dará motivação, confiança, intensidade, foco e mentalidade.

O Café Brasil Premium é abrangente, na medida em que aborda diversos aspectos necessários para o desenvolvimento pessoal e profissional. A gente fala de produtividade, de planejamento, de comunicação, de liderança, de inovação de moral e ética, por exemplo.

O Café Brasil premium é estruturado, na medida em que separa os temas por tipo de veículo (áudio, vídeo ou textos) e por categorias e temas de interesse.

O Café Brasil Premium é consistente, na medida em que tem como premissa a preparação intelectual. Lá você não vai achar fórmulas prontas pra sucesso. Vai achar o treinamento para preparar você para quando as oportunidades se apresentarem.

O Café Brasil Premium é periódico. Conteúdos novos toda semana e acesso fácil por meio de seu computador, tablet ou celular, onde, como, quando e quanto você quiser.

O Café Brasil Premium é personalizado, na medida em que você traça as trilhas de seu interesse, cria jornadas e listas de assuntos preferidos e consome da forma como quiser.

É isso, cara. Treinamento Mental pra fazer sua cabeça! O que é que você está esperando, hein meu?

Venha para o mundocafebrasil.com e assine os planos Premium ou Academia. Depois é treinar e partir pro abraço…

Dê um rolê
Moraes Moreira
Galvão

Não se assuste, pessoa
Se eu lhe disser que a vida é boa
Não se assuste, pessoa
Se eu lhe disser que a vida é boa
Enquanto eles se batem
Dê um rolê e você vai ouvir
Apenas quem já dizia
Eu não tenho nada
Antes de você ser, eu sou
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
E só ‘tô beijando o rosto de quem dá valor
Pra quem vale mais o gosto do que cem mil réis
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Não se assuste, pessoa
Se eu lhe disser que a vida é boa
Não se assuste, pessoa
Se eu lhe disser que a vida é boa
Enquanto eles se batem
Dê um rolê e você vai ouvir
Apenas quem já dizia
Eu não tenho nada
Antes de você ser, eu sou
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
E só ‘tô beijando o rosto de quem dá valor
Pra quem vale mais o gosto do que cem mil réis
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés
Eu sou, eu sou, eu sou amor
Da cabeça aos pés

É assim então, ao som de Dê um Rolê, de Moraes Moreira e Galvão, com os Novos Baianos em 1971, que a gente vai saindo assim estimulados…

Você prestou atenção em tudo que eu falei aqui, cara? Eu não sei quanto tempo você dedica ao teu treinamento mental. Eu sei é que é isso que faz a diferença. Já não vai ganhar quem é o gordinho, quem é o magrinho, quem é o altinho,  quem é o baixinho. Vai ganhar aquele que tiver o cérebro tanquinho cara, que tiver condições de pensar rápido, ter as melhores respostas. E você não vai encontrar isso com esse monte de bobagem que ocupa a tua mente o dia inteiro ouvindo pelo Youtube essa barbaridade, esse monte de influencers ruins, periféricos, rasos, que estão por aí. Você tem que ir atrás daquilo que te provoca, tem que fazer como o leitor que mandou o conteúdo de hoje pra gente, cara. Recebeu ali uma provocação, foi atrás, mergulhou, foi buscar mais informações e ali se abre diante dele um universo. É isso que a gente traz pra você, não só com os podcasts, mas com o Café Brasil Premium. Vem pra ele, cara!

O Café Brasil é produzido por quatro pessoas. Eu, Luciano Pires, na direção e apresentação, Lalá Moreira na técnica, Ciça Camargo na produção e, é claro, você aí, que completa o ciclo.

O conteúdo do Café Brasil pode chegar ao vivo em sua empresa através de minhas palestras. Acesse lucianopires.com.br e vamos com um cafezinho ao vivo.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96429 4746. E também estamos no Telegram, com o grupo Café Brasil. Entra aí, cara: mundocafebrasil.com. Vem com a gente fazer um treinamento mental de primeira. Fitness intelectual.

Para terminar, uma frase dos Novos Baianos, é claro:

E só vou beijar no rosto de quem me dá valor
Pra quem vale mais o gosto do que cem mil réis