s
Iscas Intelectuais
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

Café Brasil 927 – Quando a água baixar
Café Brasil 927 – Quando a água baixar
A história de Frodo Bolseiro em "O Senhor dos Anéis" ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

LíderCast 321 – Rafael Cortez
LíderCast 321 – Rafael Cortez
Tá no ar o #LC321 O convidado de hoje é Rafael Cortez, ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 328 – Crimes de Honra
Cafezinho 328 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

Sempre, sempre Godwin

Sempre, sempre Godwin

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

O advogado Mike Godwin criou em 1990 a seguinte “lei” das analogias nazistas: “À medida que uma discussão online se alonga, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Adolf Hitler ou os nazistas tende a 100%.”

                        Segundo as hostes vermelhas que infestam a internet, qualquer um que não siga Lula da Silva como seu mestre máximo, o messias demiurgo, o timoneiro do comunismo moreno, é automaticamente carimbado, rotulado, classificado, confirmado e sentenciado como nazista de carteirinha, sem direito a explicações ou recurso, este instrumento tão ao gosto do presidiário mais notório do país.

A coisa é tão simples quanto abrangente: Se o indivíduo votar em qualquer candidato que não seja bafejado por Lula (no bom sentido, pois no mau o cheiro de cachaça deve ser nauseante), é nazista dos mais sádicos. Ponto final. Não é fantástico? Se o candidato não for lulista… é nazista graduado na Gestapo ou nas SS.

Impressionante como a lulada abusa da Lei de Godwin de uma forma piorada; eles nem se dão ao trabalho de argumentar ou explicar como e porque chegaram a essa conclusão. É nazista e ponto. Não sabem definir nazismo ou situá-lo na História mundial, mas isso não significa nada para os impolutos donos da verdade lulista. Magister dixit, como se dizia em latim; o Mestre disse, e acabou; não são necessárias maiores explicações.

O comportamento infantil dessa turba na internet tem causas bastante simples: A primeira é que Hitler e sua gente são (ou foram, como queira), com toda razão, o demônio encarnado, e ninguém nega tais fatos. Some-se a isso o fato do anticomunismo ferrenho do líder nazista e está servido o prato pronto para a lulada. Não importa que a URSS do ídolo comunista Stalin foi sócia e aliada desses monstros de 1939 a 1941, quando dividiram a Polônia, entre outros países, destroçando populações inteiras conjuntamente, numa máquina de moer carne digna de Satã. Também não importa que o próprio Stalin, entre outros genocidas comunistas como Mao Tsé-Tung, Pol Pot, Fidel Castro, Nicolae Ceausescu tenham trucidado muito mais gente que qualquer guerra, cataclisma ou pandemia que tenha se abatido sobre a Humanidade. Afinal, segundo os camaradas, bandidos são os outros, numa releitura imbecil on line de Jean-Paul Sartre. A História foi (é) escrita e “ensinada” em grande parte por adeptos dessa seita de missa negra com tons vermelhos, e ai de quem discordar: É nazista na certa! Daí, temos que Hitler e sua turma são, corretamente, vistos como o horror e a lulada & satélites, automaticamente, anjos de candura. O raciocínio é tão raso que uma formiga atravessaria para o outro lado com água pelas canelas, como diria o grande anticomunista Nélson Rodrigues. Tudo é perdoável se feito em nome da vermelhidão, camaradas. Até matar Celso Daniel.

O lulismo elegeu um inexistente “nazismo” como seu inimigo capital não porque seja uma ideologia podre, completamente errada, assassina; serve sim como contrário, como antípoda, para fazer crer aos desavisados que Lula e sua gangue são santos puros e probos. O nazismo inexiste no Brasil, isso é fato, exceção feita a uma meia dúzia de idiotas que assim se intitulam. Embora se diga contra, a numerosa e gritona extrema esquerda opta por táticas cridas pelo ministro da propaganda do 3º Reich hitlerista, Paul Joseph Goebbels, tal como o golpezinho de repetir uma mentira mil vezes até que ela se torne uma “verdade”. Exemplos? Os delírios sobre Lula condenado sem provas ou sobre Bolsonaro matando todo mundo, ou a volta da ditadura.

O mesmo se dá com o vocábulo “fascista”; a lulada nem ao menos sabe o que é (assim agem crendo ser parte de seu monopólio da razão), onde se originou ou qual é seu nicho histórico, mas digita a palavra para ofender qualquer um que os contrarie minimamente. Agem como fascistas e acusam os outros exatamente disso. Incrível. Seguem pari passu o decálogo de Lenin, camaradas!

O mais hilariante nessa jecaria digital é chamarem Jair Bolsonaro de nazista. Seria o primeiro nazista do mundo a ter apoio entusiástico da nação mais antinazi do Universo: Israel, cujo povo contabiliza 6 milhões deles exterminados pelo nazismo. Os lulistas diriam, à guisa de justificativa calhorda, que Israel hoje é nazista – e ficaria mais uma vez confirmada a Lei de Godwin, por seu próprio enunciado, axiomaticamente.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes